A Gruta do Lou

Adquirindo o Reino de Deus

Reino de Deus
Reino de Deus

O Reino de Deus parece estar à venda para os ricos, afinal, Jesus ofereceu-o ao jovem rico pela bagatela de toda a fortuna do mancebo distribuída aos pobres. Disse mais, o Reino de Deus é como um homem que encontra uma pérola de bom tamanho e vende tudo que tem para poder comprá-la. Pobres ricos, tanto trabalho para ganhar e agora precisam se desfazer dela para continuar a viver.

Já os pobres bem como os perseguidos por causa da justiça, segundo o entendimento do Nazareno, já estão com o Reino de Deus garantido, desde que não apareça nenhum jovem rico maluco para acabar com a pobreza deles.

Acho uma imprudência Jesus sair por aí dizendo essas coisas subversivas. Essas ideias arrebentam com nossas queridas crenças capitalistas, neoliberais e materialistas. Meus filhos, que já tinham a mim com minhas ideias nada ortodoxas, depois de lerem essas insanidades, não conseguem mais se ajustar nesses roteiros de vida escola/diploma-trabalho-igreja-família-cemitério-céu.

Gostaria muito de saber onde chegaríamos com outro modelo de vida. Sou obrigado a aceitar que não viver conforme o modelo proposto por esse mundo é absolutamente inviável. Meio compulsoriamente, é na dissidência que tenho vivido, não por opção mas por falta dela. Não sei se me enquadro em uma ou nas duas possibilidades dos que já tem o Reino de Deus. Me sinto pobre e injustiçado, se querem saber, mas tenho dúvidas se é desse tipo de pobre e injustiçado a quem o Galileu se referia. Colocando de outra maneira, não tenho mais tempo para enricar, ser perseguido por causa da justiça ou para conseguir a pobreza total que me possibilitem obter qualquer um dos requisitos exigidos para chegar ao Reino de Deus. Mas sinto uma enorme inveja de quem não deu ouvidos a Jesus e seguiu o caminho mais fácil, mais óbvio e menos árduo. Não tá fácil viver na mira dos dardos inflamados do inimigo.

Me pergunto se após o limiar da compra da pérola de bom preço ou da farta distribuição de riquezas aos pobres,  há uma vida legal para se viver. Desconfio que o Mestre da Galileia acreditava que jamais alguém seria capaz de dobrar o cabo da boa esperança celeste e nem se deu ao trabalho de planejar essa parte. Acho que para Ele, não haveria pobres, injustiçados ou ricos malucos que se dignificassem e fizessem jus ao prêmio supremo.

Então ele tratou de resolver o problema, não se suicidando via crucis, como queria Anselmo, mas com a sua demonstração de como viver sem fazer força e pela fé, na certeza de que seu Pai acabaria recebendo todo mundo no Reino dele, menos os desprevenidos e os mal vestidos, claro. Tenho um amigo que sempre lembra que para entrar no Reino de Deus é preciso ser fashion.

A morte dele só aconteceu depois disso e foi ocasional, apenas. Ele avisou que se destruíssem o templo, ele o reconstruiria em três dias. Haja fé.

morcego-12

3 thoughts on “Adquirindo o Reino de Deus

  1. O preço, para os ricos, não é tão em conta, haja vista a tendência dominante do amor ao dinheiro.

    Para os pobres, talvez custe a fé e a não maledicência/blasfêmia.

    O binômio desfrutar sem possuir nos dias de hoje, a la Brabo, se configura de uma dificuldade imensa.

    Até porque quem não tem boas condições financeiras tem péssima qualidade de vida, e quem tem boas condições, a qualidade de vida sobrepõe a esperança em Deus.

    Abraço

    Enfim, tá todo mundo ferrado. E agora? Quem poderá nos salvar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *