A Gruta do Lou

A Rede de Deus

18. Fortalecer a rede..._0

“Creio ser oportuno lembrar um aforisma de Bacon: “Religio praecipuum humanae soicetatis vilculum” (A religião é o liame mais substancial da humanidade). Tendo em mente as calamidades que têm assediado a civilização no nosso tempo, é de suma importância uma compreensão cabal do papel da religião, no passado e no presente. *”

Chegou o momento de deixarmos a Rede de Deus ser estabelecida. Muitos empreenderam construir na igreja, suas próprias igrejinhas. Uns fizeram a igreja com cara de escola, outros a transformaram em fórum de ação social; os sociólogos não fizeram por menos e resolveram dar a ela uma cara de birot de informações e estatísticas sobre os movimentos e papéis das massas; alguns enxergaram aí uma comunidade terapêutica capaz de curar as dores da mente e do corpo e, se possível, da alma. Até Jesus resolveu dar a sua intrometidazinha e chamou a igreja de Casa de oração. Claro que essa foi a hipótese com menor índice nas pesquisas.

Negócio de Jesus, segundo todos esses construtores da igreja, é mais a área de transportes. Sim, transporte de cruzes morro acima. O pai carpinteiro as faz e ele as leva. Afinal alguém tem que pagar o pato, enquanto nós nos deliciamos ao samba, cerveja e sexo. A ordem dos fatores não altera o produto.

Pessoalmente, entendo que a tarefa à frente da igreja emergente é descobrir como reorganizar a nossa religião em tempos cibernéticos. Nesse caso devemos batizá-la à saída de Rede de Deus, ou simplesmente RD, antes que os gringos a batizem de WCE ou God´s Net.

Os blogs terão papel fundamental nesse processo, a meu ver, menos esses blogzinhos superficiais, voltados a cultuar os estereótipos, claro. Nesse caso, os alemães terão muito trabalho em rê-escrever toda a teologia, enquanto os norte americanos cuidarão da eclesiologia, com a prioridade de encaixar a NET no todo, como a rede que abrigará a nova religião da humanidade.

É, talvez esse seja o esboço da igreja que Jesus virá buscar, naquele tal dia, desde que a oração seja incluída como parte fundamental no processo.

Capricornio PB

14 thoughts on “A Rede de Deus

  1. Olá Lou,

    nestes úlimos dias senti a falta de de vir aqui ler os seus posts.
    Tenho estado e ainda estou… com muita dificuldade em aceder á net.Só consigo ficar por aqui poucos minutos.

    Em relação ao poste de hoje, quero dizer que por aqui a “Igreja Emergente” tambem está na ordem do dia.
    Alguns jovens pastores Baptistas sairam das Igrejas que pastoreavam e abriram novas congregações , muito diferentes das tradicionais baptistas.

    Realmente, há por aí muita coisa a acontecer…

    Tenha um lindo dia

    um abraço

    viviana

  2. Viviana

    A igreja é vida e ela precisa nascer de novo para continuar vida. Esses pastores estão cumprindo o ciclo da vida criado por Deus. Igreja Emergente, Cibernética, Net Igreja, não importa, ela deve viver.

  3. Vamos colocar lenha na fogueira do Lou…
    igreja não são as pessoas Lou?
    na net ou onde quer que estejam?!
    🙂
    🙂
    beijos,
    alê

  4. Ale

    Segundo um antigo diácono lá na Igreja Batista do Sumarezinho, SP, Igreja era o prédio que ele ajudou a construir com as próprias mãos. Mas, também vejo a igreja como o povo salvo por Jesus Cristo, que pode estar ligado por uma rede de igrejas prédios ou uma rede de cristãos via Net ou outra opção que servir para unir o povo.

  5. A Gruta nos oferece um pouco daquele lodo, com as mesmas substancias do misturado com o cuspe do Mestre…

    Oração nos dias atuais é coisa do passado, Lou. A cultura igrejesca nos remete a se exigir mais do pai em detrimento de vigiar e orar.

    Quanto a pagar o pato, realmente, Cristo já pagou!

    Abraços

  6. Wander

    Precisamos fazer algo em relação a isso. Acho que vou jejuar e orar pela oração e pelo jejum. 🙂

    E cristo continua pagando a conta, haja paciência!

  7. Por falar em blogues, o teu sonho Lou foi ouvido e respondido.
    Já podes comentar no CANTO sem ser pela Blogger!

    (mas despacha-te que os sonhos bons duram pouco…lol)

    Abraço

  8. Jorge

    Os blogues são uma força ainda não totalmente utilizada. Nosso presidente (Lula) vive repetindo: Quero ver o que os blogues dirão sobre isso ou aquilo. Se presidentes de grandes nações 🙂 estão sendo incomodados é porque são relevantes, certo? Quanto a ajudar a manter a igreja viva, concordo que alguns blogs são dispensáveis. O seu, por exemplo, é um blog que pode evitar a morte anunciada da igreja, especialmente sem todas aquelas dificuldades para se comentar.

  9. Não é por nada não, mas os ideais da igreja emergente não me agradam, aparenta ser somente mais uma organização (facção) como muitas outras surgindo como uma opção alternativa.

    Um cristianismo verdadeiro deveria vir primeiramente sem rótulo algum…

  10. Rap

    De fato, a expressão já é designativa de um movimento, precisamos de uma expressão neutra, que de nome à idéia de uma Igreja viva. Já pensou em algo? O Volney anda sugerindo o “código aberto”.

  11. virtualmente tenho visto uma igreja mais, digamos, concisa em certos propósitos. vide as amizades que surgem naturalmente, seja por blogs, ou por grupos de discussão. talvez seja a necessidade intrínseca do afastamento daquilo que, de uma forma ou de outra, nos tira do sério no “ao vivo”. nesse sentido com certeza os blogs e a “igreja virtual” têm cumprido seu dever de casa.

    abçs

  12. Filipe

    E fica o desafio de como podemos aprofundar isso, até o saber bíblico, a devoção e o crescimento espiritual, sem cabresto, mas com pessoas pensando livremente, por exemplo.

  13. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *