A Gruta do Lou

A lógica do mercado , o deus de nossos dias.


Minha esposa está decepcionada com a Globo, de novo, dessa vez porque a novela que terminou ontem usou e abusou de manipulações múltiplas no seu andamento. Detalhista, ela percebeu inúmeras mudanças, aparentemente inexplicáveis, no texto, e culpa o autor por esse pecado. Isso me chateia porque é assim que me sinto quando alguém de casa é traído ou machucado. Pior se levarmos em conta que é ela que sempre defende a Globo quando faço meus constantes ataques à rede.

Entretanto, creio ser essa uma boa oportunidade para fazermos algumas considerações, despretensiosas é claro, mas interessantes, talvez. Para mim, pouca ou nenhuma atividade segue seu ritmo normal ou natural, hoje em dia. Os grandes eventos de competição, como As Olimpíadas, Copas do Mundo, Fórmula Um, Lutas de Boxe, etc, são todos manipulados de cabo a rabo. As novelas não tem enredo fechado, nos bastidores dizem que as constroem durante seu tempo de apresentação, partindo de uma sinopse que cobre uma primeira leva de capítulos, apenas. Fato inclusive porque todo mundo sabe que os autores das novelas trabalham ao mesmo tempo em que elas vão sendo apresentadas, o que me parece paradoxal. Nunca vi um texto de teatro ser escrito durante a apresentação da peça, ou o roteiro de um filme, durante as filmagens. Uma ou outra correção é admissível, mas escrever o texto todo me parece pecado.

Mas há muito mais, o clima faz tempo que deixou de ser um fenômeno natural, desde que ganhou condições, nossos semelhantes mais ricos vivem manipulando sol, chuva, terremotos, maremotos (tsunamis), tufões, ciclones, etc. segundo seus interesses. As doenças não acontecem mais por acaso ou causas naturais, mas são produto de mãos iguais às nossas. A economia não segue seu curso normal, caminha conforme um rumo que lhe é dado. Até a filosofia deixou de ser emocional e fruto da sensibilidade e passou a ser instrumento de manipulação das massas.

A grande verdade que não quer ficar no quarto escuro de castigo é que estamos muito perto de assistir tudo caminhando  segundo a lógica do mercado. A novela precisa ser mexida conforme os interesses dos patrocinadores, os campeonatos são realizados para dar lucro e dos grandes, as doenças também. Ninguém no mundo dos negócios está interessado em acabar com o que lhes traz ganhos impensáveis e hospitais, escolas públicas, políticos honestos, juízes incorruptíveis e redes de TV santas são péssimos para os negócios e/ou a lógica vigente.

Nem a igreja escapa dessa. Já narrei aqui uma experiência que tive com o Tio Cássio, anos atrás. Cobrei dele uma igreja mais bíblica e alinhada com os ditames da sã doutrina e ele me respondeu: “Se eu dirigir minha Igreja segundo a Bíblia, acabo com ela em dois tempos”. Essa é, sem dúvida, uma das frases que mudou a minha vida, a outra me foi dita por uma gerente de agência da Caixa Econômica Federal: “Banco é reciprocidade“. Quando lembro dessas experiências, sinto ódio de mim. Eita inocência maldita. Pior é que, a lógica do mercado ganhou a mente de nossos líderes religiosos, e não apenas dos pastores brasileiros, na verdade começou fora daqui, mas a Igreja Católica move-se sob essa lógica há muito mais tempo que os imbecis evangélicos e até os macumbeiros aderiram a essa lógica perversa. O serviço de benemerência e filantropia tornou-se um mercado nojento e sem volta aos primórdios filantrópicos, nos moldes do Exército de Salvação ou de Madre Tereza, também.

A Filosofia está, em grande parte, voltada em defesa  da nova moralidade, mais flexível, sem família, casamentos duradouros ou só entre heterossexuais, e todas essas bobagens capazes de inibir o consumo. Até nossos pares entraram nessa e, cada vez mais, estão incorporando essas novas leis filosóficas aos cultos e missas. Não é raro ver nossos líderes pregando o uso da camisinha, a liberação do aborto e o casamento homossexual, inclusive entre pastores, e alguns já fazem apologia aberta em favor da eutanásia, afinal, liberar leitos é mais lucrativo, com exceção de vice-presidentes, lógico.

Acho que aquela frase muito usada pelo Chapolim Colorado: “Não contavam com minha astúcia” foi cunhada no céu e pelo próprio proprietário (desculpe pelos prs). Como ensinou o Dr. Shedd certa vez, “os grandes reinos humanos foram todos para o espaço, ou para o chão, em seu devido tempo”, se não, me mostre onde eles estão hoje, grande império persa, o mesopotâmico, o egípcio, o romano, o chinês, otomano, sarraceno, o reino unido, o napoleônico, a URSS. Agora esperamos pelo fim dos Estados Unidos, já em rota de decadência, que só não foi ainda devido a globalização. Quando for, levará consigo o mercado comum europeu e, muito provavelmente, o Mercosul.

O que vai enterrar esses novos reinos, como enterrou os anteriores: a lógica do mercado, onde o que conta é o quanto se ganha. Engraçado é que essa lógica se opõe retumbantemente à lei de Deus, principalmente em sua nova versão neotestamentária: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”, ao invés de fazer de Deus e do próximo objetos de nossa renda, como ensina a Amway, expressão máxima de nosso anticristianismo pós moderno.

Amo os palhaços porque vejo ao Senhor em cada um deles e deixo você com o Salmo 2, escrito sob a inspiração do maior de todos os palhaços.

1 Por que se amotinam as nações, e os povos tramam em vão? 2 Os reis da terra se levantam, e os príncipes juntos conspiram4 Aquele que está sentado nos céus se rirá; o Senhor zombará deles. 5 Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os confundirá, dizendo: 6 Eu tenho estabelecido o meu Rei sobre Sião, meu santo monte. 7 Falarei do decreto do Senhor; ele me disse: Tu és meu Filho, hoje te gerei. 8 Pede-me, e eu te darei as nações por herança, e as extremidades da terra por possessão. 9 Tu os quebrarás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro. 10 Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra. 11 Servi ao Senhor com temor, e regozijai-vos com tremor. 12 Beijai o Filho, para que não se ire, e pereçais no caminho; porque em breve se inflamará a sua ira. Bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.


1 thought on “A lógica do mercado , o deus de nossos dias.

  1. Lou, cada dia que passa você fica mais afiado, e, não me venha mais com essa estória de que está ficando velho.

    Tá bom, não estou ficando velho… Putz véi! Não consigo acreditar nisso. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *