A inveja e o debate
O Debate
O Debate

Muito bem, vamos falar sobre a inveja.

Era para escrever sobre o debate e fazer todo mundo rir. Mas o tiro saiu pela culatra. O debate, em Azaré, foi um grande sucesso.

O pastor rico (não citarei o nome dele a pedido) tomou a palavra e declarou:

Estamos aqui para discutir o tema “Se Deus existe, porque há riqueza no mundo”. Sou um homem rico por dois motivos: 1) Meu avô e meu pai trabalharam duro e me deixaram uma grande herança. 2) Multipliquei a herança recebida trabalhando duro. Nunca recebi um centavo pelo trabalho pastoral. A fé em Jesus Cristo foi outra parte da herança recebida. Se você deseja deixar a pobreza, aí está a receita: trabalho duro e fé no senhor Filho de Deus. Sempre estive disposto a compartilhar minha riqueza com a primeira pessoa que nunca a houvesse desejado pecaminosamente. Fiz isso com minha esposa. Além dela, não surgiu ninguém mais que cumprisse a exigência. Deus existe, a riqueza e a pobreza também. Provavelmente o Criador tenha corrido esse risco para não sacrificar a liberdade.

Dito isso sentou. Os outros não quiseram dizer mais nada e o debate se encerrou, quatro minutos depois de ter começado. Fechei e guardei meu equipamento. Foi o trabalho mais fácil que fiz naquela cidade. O pastor rico fez questão de pagar minha despesa pessoalmente e ganhou minha admiração eterna. Cantarolei o hino “Por que ele vive“, (que não me sai da cabeça desde que li o post no blog da Bete) durante todo o trajeto de volta a Sorocaba.

Sim, nós somos os sapos e nossa missão é desvendar a arrogância e prepotência das cigarras e dos vaga-lumes. Por isso somos feios, cantamos mal e não temos luz própria. Mas somos criaturas de Deus, também. O divino é um grande brincalhão. Ele deve adorar quando algum sapo rouba a cena, como fez Antony Quinn no lendário Segredo de Santa Vitória.

Eu não posso e nunca pude atirar a primeira pedra. Sou pecador. A boniteza, o talento inato e a boa sorte da ocasião não salvam as cigarras e os vaga-lumes. É preciso mais do que luz que acende em seu corpinho, pela qual você não fez nada. Enquanto viver, trabalharás duro, não serás um imoral e admitirás: sim eu pequei e morro de inveja desses malditos bichinhos efeminados piscando suas luzinhas ou pequei por menosprezar quem não consegue fazer seu corpo horrendo brilhar. Riqueza e pobreza são só dois enigmas a serem resolvidos, enquanto vivermos. Não servem para mais nada.

O caminho para o céu é dado por Deus a todos os pecadores, pobres ou ricos, sapos ou vaga-lumes.

112313_1559_AsDivinasGe2.jpg