A Gruta do Lou

A Celebração da Disciplina autêntica

celebracao_da_disciplina_

Cerca de um ano atrás, a Editora Vida promoveu um encontro destinado a exaltar o livro A Celebração da Disciplina e seu autor Richard J. Foster, um Quaker respeitadíssimo por seus escritos e vida cristã impecável. A mesa foi formada por três oradores de peso, entre eles, o peso pesado Ed Rene Kivitz. O eficiente repórter Alex Fajardo registrou tudo. Inexplicavelmente, e para desespero da Editora Vida, embora tenham feito ousadas asseverações, nenhum deles falou sobre o livro e muito menos sobre o Foster, ninguém confessou não ter lido o livro em epigrafe ou qualquer outro do mesmo autor, muito menos.

Ao contrário deles, o próprio Foster, nesse mesmo livro, recomenda a leitura de alguns livros básicos, a quem está envolvido e interessado no discipulado cristão, sendo humilde o suficiente para não incluir nenhum de seus escritos, que recomendo enfaticamente. Eis a lista nas palavras do próprio Foster:

“Alem de Estudar a Bíblia, não se esqueça de estudar alguns dos clássicos experienciais da literatura cristã. Comece com as Confissões de Agostinho. A seguir volte-se para a Imitação de Cristo de Thomas de Kempis. Não negligencie The Pratice of the Presence of God (Prática da Presença de Deus), do irmão Lawrence. Para maior prazer, leia The Little Flowers of St. Francis (As florezinhas de S. Francisco), pelo irmão Ugolino. Talvez a seguir, você desejasse algo um pouco mais pesado, como os Pensamentos de Blaise Pascal. Desfrute de Table Talks (Conversas à Mesa) de Martinho Lutero, antes de entrar na Instituição da Religião Cristã de João Calvino (As Institutas). Considere a leitura do pioneiro na escrita de diário religioso, The Journal of George Fox (Diário de George Fox), ou talvez o mais conhecido Diário de João Wesley. Leia com atenção A Serious Call To a Devout And Holy Life (Apelo a uma Vida Devota e Santa), de William Law (as palavras dessa obra trazem um tom contemporâneo). De autores do século vinte, leia A Testamento of Devotion (Testamento de Devoção), por Thomas Kelly, The Cost of Discipleship (O Custo do Discipulado), por Dietrich Bonhoeffer e A Essência do Cristianismo Autêntico, de C. S. Lewis.”

Em a Celebração de Disciplina, a disciplina do estudo
págs 91 e 92, Editora Vida

Provavelmente, se estivesse lá, faria um resumo biográfico e bem humorado do Richard J. Foster e depois entregaria uma cópia dessa lista aos participantes. Sobre minhas idéias e bobagens escritas ou faladas manteria silêncio obsequioso estrito. Por outro lado, uma participação minha em um evento dessa natureza é uma hipótese impossível, por motivos óbvios.

Claro que essas indicações parecem ser coisa do outro século. Hoje estamos mais afeitos a Manning, Yancey, Nouwen, Ellul, Young, etc. Nada mal, mas temo que o Senhor diria, a essa altura, leia esses sem omitir aqueles outros indicados por Foster. De qualquer maneira, se você tiver dificuldades para executar essa lista, recomendo a leitura pura e simples de A Celebração da Disciplina de Richard Foster, ED. Vida.

6 thoughts on “A Celebração da Disciplina autêntica

  1. Pingback: Lou Mello
  2. Sem dúvida essa lista de clássicos é bem tentadora. Mas minha bola da vez é mesmo “a celebração”. Tá bom. Desafiante!

    A intenção era essa mesmo: tentar, minha e da editora, eu porque quero ver todo mundo lendo muito e a editora quer todo mundo lendo muito os livros editados por ela. 🙂

  3. Ok, um bom começo, já li 4 da lista que vou guardar como referência para próximas visitas às livrarias.

    Quanto aos debates sobre livros que os debatedores não leram…well, digamos que o mundo está cheio de Doutores em Apud

    Uma idéia para guardar a lista é ter “A Celebração da Disciplina na biblioteca”. Aliás, o guia de estudos do livro tem uma lista mais ampla e muito boa.

  4. Lou, obrigado pela citação de eficiente … (acho que apenas vc e minhã mãe acham isso hehehe)

    Sobre as indicações, fico com a 2º lista, tirando o Ellul que já morreu, já li os outros, aliás a diferença da 1º lista para a da 2º seria que a 2º só tem gente morta …. ainda tenho essa mania de ler apenas os vivos hehehe (acho que é por isso que da 1º lista só não li o Ellul heheh) Acho que é uma patalogia minha que nem Sigmund Freud explica .. aliás acho que ele não explica porque já morreu também rss….

    Big abraço

    Ainda bem, posso contar com você por mais algum tempo, lendo minhas bobagens. 🙂 Agora, sua mãe é uma senhora sábia.

  5. Dos livros antigos li dois: o “Diário de John Wesley”, “Confissões de Agostinho” mas faz tanto tempo que preciso dar, não uma passadela, preciso fazer uma re-leitura. Dos mais novos li, “O Evangelho Maltrapilho”, “Decepcionado com deus”, “Anarchy and Cristianity” com muita dificuldade devido ao meu inlgês esquecido no tempo e Young, se for Carl Gustav Jung, li várias coisas. Agora, CONFESSO, não ter lido o livro “Celebração da Disciplina” que desconfio estar precisando urgentemente….rsssssss

    Exato, sobre Celebração da Disciplina como prioridade de leitura. O Young citado é o de “A Cabana”, um dos mais lidos, ultimamente. Mas isso não invalida a leitura do Jung, especialmente “O Homem À Descoberta da Sua Alma”, mas essa indicação é minha e não do Foster.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *