A Gruta do Lou

Dores de um coração valente

Hoje será, para mim, um dia dedicado ao Projeto Coração Valente. No final da tarde, participarei de uma reunião com a médica cardiologista que está orientado e supervisionando a parte clínica e o diretor da ACAP, entidade que está abrigando o projeto. Nesta semana, eles estiveram reunidos com o diretor do Conjunto Hospitalar de Sorocaba. Infelizmente, não pude participar dessa reunião e, praticamente, nossos planos de usar algumas salas dentro do Conjunto, para dar andamento às nossas atividades, foram por água abaixo. Além disso, ontem, descobri que meu acerto com a ACAP não está claro e desse jeito não há a menor chance de seguirmos em frente, juntos. Claro que nada disso significa interromper ou desistir, muito menos. Quem já montou ou participou de projetos desse tipo sabe que as coisas não são fáceis mesmo.

Sonho com esse Projeto há muitos anos. Desde os primeiros dias de vida do Thomas, ele começou a ser concebido. A cada ida ao hospital ou aos ambulatórios, em contato com dezenas de crianças e seus familiares ele veio sendo formatado. Os profissionais de saúde fazem a parte deles e fora isso, há um mundo de providências e necessidades a serem supridas. Faltam recursos, informação, apoio e respeito para com as pessoas envolvidas.

Essas cardiopatias são letais se não forem tratadas a tempo e com os procedimentos médicos adequados. Em nosso caso doméstico, a situação está se repetindo e isso é comum na vida dos cardiopatas congênitos, mas não aceitável.

Nós temos consciência da importância em manter os exames e tratamentos em dia. Infelizmente, a maioria dos envolvidos não tem. Eles precisam ser apoiados e ajudados em suas caminhadas. Cumprir a agenda de consultas, exames, tratamento odontológico e medicamentos não é fácil. Aí, os familiares viram crianças, também.

Como consultor com longa atuação junto a ONGs (Organizações Não Governamentais) tive a oportunidade de desenvolver e me apropriar de uma série de princípios. Como o próprio nome já diz, essas organizações são de natureza privada e seus propósitos são voltados para o atendimento público. No Brasil, essas organizações, em sua imensa maioria, deixaram de ser não governamentais e adotaram o princípio nefasto de fazer parcerias com o governo, em suas três esferas e todo mundo sabe o quanto isso tem trazido dissabores para toda a sociedade. Portanto, eu gostaria de tocar nosso projeto de forma independente, apoiado única e exclusivamente por pessoas físicas sensibilizadas com a nossa causa.

Sei que temos muito trabalho pela frente. ACAP, Conjunto Hospitalar de Sorocaba e CMDCA são apenas algumas opções que se apresentaram e, se não pudermos seguir com elas, buscaremos outras mais apropriadas aos nossos objetivos, sem dúvida.

Mais do que nunca, espero contar com o apoio e carinho de todos vocês. No caso de nosso filho, o processo está parado por falta de recursos. Nossa família e alguns amigos estão em campanha de oração para despertar o Grande Gerente Geral do Universo para nossa causa. Precisamos que ele libere algumas migalhas de sua mesa para nós.

Conto com todos os leitores desse blog para vencer as lutas. Divulgue entre seus amigos. Faça parte da Comunidade do Projeto no Orkut. Participe.

Um grande beijo a todos.

Technorati Profile

3 thoughts on “Dores de um coração valente

  1. Sim, Lou. Seu relato é sensibilizador e há questões incompreensíveis para nós. O que fazer? Ter fé, ir adiante, continuar lutando naquilo que estiver ao ao nosso alcance? Sim, estas são as nossas armas.
    Lembro-me de Davi e suas pedrinhas. Uma só foi suficiente.
    Segunda-feira, conte comigo lá. Paz.

  2. Lou, a luta é mesmo enorme. Há alguma outra forma que podemos fazer além de orar?
    Vou copiar seu texto e colocar lá na Saia. Nao vou esperar por sua aprovacao, pois sei que posso.

    Abracos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *