A Gruta do Lou

Vivendo entre os inimigos

Entre Inmigos

Não é natural para o cristão poder viver entre cristãos. Jesus Cristo viveu em meio a seus adversários. Por fim, todos os discípulos o abandonaram. Na cruz encontrou-se em solidão total , cercado de malfeitores e zombadores. Para isso viera: para trazer a paz de Deus aos inimigos. Assim também o lugar do crente é a reclusão da vida monacal, mas em meio aos inimigos. É ali que tem sua missão, sua tarefa: O Reino tem que ser estabelecido em meio aos inimigos. Quem não quiser sujeitar-se a isso, esse não pode ter parte no Reino de Cristo, mas quer viver cercado de amigos, viver num mar de rosas, na companhia de gente piedosa, jamais de maus. Ó blasfemadores e traidores de Cristo! Se Cristo procedera como vós, quem seria salvo? (Lutero)

Dietrich Bonhoeffer em Vida em Comunhão Ed. Sinodal

6 thoughts on “Vivendo entre os inimigos

  1. Pingback: Lou Mello
  2. E viver entre crentes é fácil?

    Jesus também disse que era mais fácil ser-se aceite entre estranhos do que em casa…

    Bom post, sim. E vale a pena meditar nisso.

    God bless you,
    T.

    Bonhoeffer está se referindo a algo drástico: viver entre inimigos. Essa foi a opção de Jesus, para ele e para seus discípulos. Conviver sempre é um processo complicado. Ele sabia do que estava falando. Deus te abençoe também.

  3. Que grande citação Lou! E que actualíssima ela é nestas e outras bandas.
    É urgente saírmos dos nossos santos mosteiros (e Grutas bonitas!)
    🙂

    Abração.

    Mas a Gruta é o lugar do inimigo. Lembra Davi e seu exército? Quem dirigia a Igreja naquele tempo era o Pr. Saul. Depois Davi viu a mulher de Úrias daquele jeito e ficou gira, mas fora da Gruta. 🙂

  4. É Lou, o negócio é mais sério que pensamos…estou sempre tentando práticar
    tais conselhos, o problema é que no final sempre sobra alguns constrangimentos
    que são superados é claro.
    Post inspirador e desafiador meu caro!

    Quem sabe esse não seja o modelo de Igreja Emergente ideal, não é?

  5. oi, Lou. Um tempão sem comentar aqui, né! Mas acompanho, atento.
    Creio que a maior dificuldade vem de olharmos os inimigos como… inimigos! Se, ao contrário, os enxergarmos como “gente como a gente” – que são – o convívio tonra-se menos pesado e a “troca”de experiências e idéias, mais rica e agradável.
    É por essa razão que eu resisto a que digam que meu blog é cristão. Não é! É, sim, um blog de um cristão. Só isso.
    Ab

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *