A Gruta do Lou

Vitalblog

kanashiro

Uma vez, lá pelos idos de 1988, fui instalar um vídeo cassete na casa de um japonês cujo nome era Kanashiro.

Tempos de vacas magras, (aliás as minhas passam mais tempo magras que as dos outros), esse serviço era um biquinho que ajudava. Recém chegado dos EUA, com essas máquinas começando a aparecer por aqui, sabia coisas a mais do que a maioria e fazia com que rendessem alguma coisa. A casa era simples. Minha sensação era de que havia mais gente do que casa. Em todos os cômodos haviam camas beliches, inclusive na sala.

Kanashiro era baixinho e falava sem parar. Percebi que era um japonês bem esperto e rápido de raciocínio. Me radiografou logo: É você é sabido né? Conhece Vitalgrafo? -Desculpe, não entendi. -Vitalgrafo. Método de Kanashiro pra coroca ideia toda numa página só. -Como é? -Brasirero fara muito. Escreve muito. Difícil de entende. Precisa usa Vitalgrafo.

Pensei com meus botões: Caraca, que raios será esse Vitalgrafo? Será algum tipo novo de arroz. Japoneses adoram arroz. Não, deve ser alguma coisa escrita para a vida. Provavelmente algum mantra budista. E Budista usa mantras? Xi… não faço a menor ideia do que seja.

Terminei a instalação. Kanashiro, com papel e caneta na mão, pediu: escreve seu endereço aqui. Kanashiro vai quinta-feira, 17 horas, na sua casa pra ensina Vitalgrafo pra você. Olhei para ele e percebi que não tinha saída. Fosse o que fosse o Vitalgrafo ele ia me ensinar e lá em casa.

Chegou a quinta feira e Kanashiro apareceu as 17 horas, pontualmente. Nas mãos uma papelada. Foi logo dizendo: Vídeo cassete ta uma bereza. Você muito bom, muito bom e sabido. Falou me dando tapas nas costas. Sentamos e ele esparramou seus papeis sobre a mesa. Estávamos no escritório (um dos quartos do apartamento que virou escritório, enquanto a Carolina era pequena).

Kanashiro já havia olhado em volta e gravado o que vira nas prateleiras cheias de livros. Sua primeira frase foi surpreendente: Você tem bibra, muitas bibras. Já conhece histora de Gideão. Sabe porque Deus oriento Gideão pra escore os grerreros merores? Aqueres que bebe água com as mãos? Preferi responder que não. -Porque aqueres guereros eram capaz de pensar. – Significa nova era, nova diarética.

E me mostrou a primeira frase da apostila: Dialética: Parte da filosofia que trata do raciocínio, das suas leis dos seus modos de expressão.

Depois apontou outra frase: Vitalgrafo (nova dialética) é desenvolvido com base na consideração da: 1) Alta Tecnologia dos Meios de Comunicação e 2) muitas experiências da história da humanidade. 3) Na eliminação do desperdício de tempo. 4) Possibilitando o máximo aproveitamento dos fatores construtivos.

Mais abaixo, apontou e pediu para eu ler em voz alta: Princípio Básico do Vitalgrafo: expressar o pensamento em um folha. É permissível acrescentar algumas folhas para detalhes complementares.

Cada frase em português era seguida de sua correspondente em japonês.

-Securo XXI é tempo da nova diarética. Agora Deus vai separa os pocos guerrero capaz de pensar. Depois que pensa, expressa o pensamento em uma folha só. Agora Kanashiro ta com um fome danada.

Nessa altura, eu também estava com uma fome danada. – Dedé! Gritei. Pede pizza, Kanashiro e eu estamos com fome! A Pizza chegou e percebi que o Kanashiro havia falado a verdade sobre estar com fome. Pizza boa, né? Exclamava e mandava mais. Quando acabou de comer e como comeu, levantou, juntou a papelada e me entregou tudo. -Agora Kanashiro vai embora. Você sabido estuda Vitalgrafo e ensina otros que pensa.

Não tive tempo de convencê-lo a fazer outra coisa. Ele saiu feito um azougue. Entrou no elevador e fez um tchauzinho. Nunca mais vi o Kanashiro.

Três coisas ficaram martelando anos na minha mente.

1) Deus revela na Bíblia o início de uma era onde predominam os homens capazes de pensar.
2) Essa era determina uma nova forma de expressão.
3) O Vitalgrafo que eu agora chamo humildemente de Vitalblog.

cropped-Capricornio-PB.jpg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *