A Gruta do Lou

Virtudes Exuberantes

 

virtude cópia

 

“Fé, esperança e amor são virtudes exuberantes e alegres. Elas possuem certa aura de audácia.

Gozador como poucos, Chesterton dizia que o problema não é cansar do sofrimento, mas cansar da alegria. Felizmente a alegria tem feito parte de minha vida. Claro que, em muitos momentos das dores, fica mais difícil encontrá-la. Inesperadamente ela retorna, às vezes no riso incontido de uma criança que repara nos meus olhos vesgos ou em minhas orelhas subindo e descendo, por exemplo, ou na resposta rápida e irônica dada a algum precipitado ou ainda, no sarcasmo incontrolável face ao imbecil ateu, quiçá ao meu próprio tentando aproveitar-se das minhas dúvidas. O melhor da alegria nesse nosso mundo cristão, a meu ver, é ler a bíblia a partir de uma visão bem humorada e, assim, desfazer os argumentos céticos, evidenciando-os com observações ridículas e expondo as falácias ortodoxas ou neoliberais, entre gargalhadas, sem enfraquecer a força da estrutura formada pela verdade de Jesus Cristo e seu teimoso Pai Celeste.

Sem perceber, esse senhor juntou a alegria ao amor, à esperança e à fé e reconheceu nela, de forma absolutamente prática, outra virtude importante. Assim confirmou as palavras de Paulo, aquele apóstolo que até disse uma ou outra coisa que se aproveite. Talvez devamos descobrir as outras virtudes citadas pelo ex-perseguidor de cristãos, como a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão e o domínio próprio, usando-as em nosso dia-a-dia. No final, poderíamos lembrar, com perplexidade, da poesia sobre o amor que esse fariseu convicto escreveu, mesmo tendo duvidado do perdão incondicional do Filho do Homem e apesar dele ter omitido, estranhamente, a alegria dentre as maiores virtudes, nesse texto, ao contrário de Chesterton em sua praxis.

O Amor

“AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.

Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;

Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;

Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

I Coríntios 13: 1 a 13

Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

6 thoughts on “Virtudes Exuberantes

  1. Fernando Sabino escreveu um livro chamado “Com a graça de Deus”, onde ele tenta fazer uma abordagem humorística dos evangelhos. O título é melhor que o livro todo, e a meu ver ele não conseguiu muito o seu intento, porém, é interessante de se ler. Lou, mudando de assunto, o tamanho da fonte está muito pequeno pra minha miopia. No mais, texto ótimo. Não gosto de paulo, o apóstolo. O melhor texto que ele escreveu foi esse mesmo aí que você postou. Tenho pra mim que ele copiou de Renato Russo.

  2. Bete

    Tenho péssimas recordações do F. Sabino, sem nunca tê-lo conhecido. Eu sofro de alguma doença não catalogada e acabo vendo um lado cômico em tudo, inclusive naquelas situações onde rir é absolutamente proibido, como enterros, etc… Na verdade, sempre li a Bíblia perseguido por essa disfunção cômica que me persegue. Não falo disso com meus amigos pentecas porque eles logo diriam que é o capeta e isso poderia acabar mal.
    Quanto a fonte pequena, isso deverá ser solucionado assim que eu conseguir hospedar todo o meu material em um servidor decente. No momento, a Gruta está funcionando em uma situação provisória, mas acredito que isso estará resolvido logo, inclusive, podendo voltar a usar um template legível, sem perder as outras vantagens. Eu pretendia colocar a música do Renato Russo, mas não consegui subir o sistema Gcast para tanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.