A Gruta do Lou

Vencedor do Mundo

“No mundo tereis aflições, não temas, eu venci o mundo”.

Jesus, o Galileu, intrigou e intriga a humanidade há mais de vinte séculos. Suas afirmações são lineares e causam a sensação de possuírem o óleo da renovação eterno. A cada manhã as palavras do Rabi de Nazaré agigantam-se sobre nós como uma força avassaladora, capaz de estremecer o mundo das armas e do poder de Washington a Moscou, de Pequim a Londres, Wall Street, Paris, Roma, Frankfurt e Sidney. Até a Av. Paulista e Caracas sucumbem como ovelhas quando rosna o filho do homem.

Mas afinal, por que ele teria se preocupado em nos despreocupar? A resposta obvia é seu amor todo inclusivo, entretanto pode ser muito mais do que isso. Tenho orado a Deus, (até tu Lou?) e dessa vez resolvi me dirigir ao acomodado criador do universo com um pedido bem definido. Quero porque quero a morte dessa maldita “boca de sapo” (Sucuri das grandes) que vem engolindo minhas possibilidades e oportunidades, minhas finanças e bens, o futuro dos meus filhos, minha reputação e o respeito de toda a sociedade. A principio, soberbamente, imaginei ser um bloqueio pessoal, movido pelas forças inimigas no plano espiritual, devido à minha militância guerrilheira e resistente contra os predadores dos seguidores do Caminho, dentre os quais me situei por mandado divino. Essa ilusão se desfez e, creio, por bondade do senhor do universo ao me abrir os olhos e me levar a perceber o quanto estou arraigado a esse mundo. Assim sofro as dores de Cristo, suas aflições, em parte, claro, e me sinto desesperado quando me dou conta, embora desconfiadamente, que o mundo conspira contra mim como parte da verdadeira igreja de Cristo. De fato, conspira mesmo.

Estou revelando esse segredo aos leitores e engajados grutenses imaginando que essas aflições não são privilégios meus, mas muitos dos que aqui se refugiam estão sofrendo, também. Como eu, sentem enorme dificuldade para aceitar essa exclusão, aparentemente, perpétua que insiste em nos algemar e impossibilitar em todos os sentidos, enquanto vai alijando e roubando todas as nossas riquezas e oportunidades, sejam financeiras, sentimentais, morais, físicas, etc.

Para vocês e para mim, Jesus Cristo deixou um recadinho há mais de dois mil anos: Tudo que, conscientemente, podemos fazer é não nos deixar abater pelo medo. Assim como seu sacrifício vicário é linear, ou seja, renova-se a cada manhã, sua vitória sobre o mundo e sobre essa serpente devoradora da felicidade dos discípulos do Nazareno é eterna. A ceia, tão banalizada pelas igrejas, é um ato de anúncio trans-secular da volta de Cristo (fazei isso em memória de mim, até que venha) e, para surpresa geral, um remédio que nenhum dos laboratórios conhecidos conseguiu absorver a patente, pois ela é o soro contra o medo. Ao anunciar que ele voltará, vencemos nossos temores. Sua volta representa a derrota da “boca de sapo” e isso se dá em nós, seu corpo no presente.

Não temas, ele venceu o mundo e suas conspirações.

Quem pode crer nisso?

OPS: Queridos e amados grutenses, amigos e leitores, não fiquem chateados comigo por não estar comentando em seus blogs. A Telefonica faz parte do pool conspiratório anticristo e me elegeu como inimigo. Surrupiando a minha banda larga, eles julgam estar contribuindo para sua causa funesta. Mas encontrarei algum outro meio e retornarei com meus palpites inconvenientes. Me aguardem, por favor. Um beijão nas vossas bochechas siliconadas.

Capricornio PB

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

13 thoughts on “Vencedor do Mundo

  1. Lou, esse texto aí vale por mil postagens nos nossos blogues.

    Sim. Essa boca de sapo está minando todas nossas energias, parece aquele tal bicho da mitologia, que a gente corta uma cabeça nascem outras tantas.

    Que Ele venha! De que maneira não sei, não entendo, mas que venha, porque isso aqui não dá mais, a unha do dedinho está agarrada na borda do precipício, mas a gente não sabe até quando.

  2. Bete

    Um cara nada ortodoxo que gosto bastante e que morreu no ano em que nasci (daí a possibilidade de eu ser ele reencarnado 🙂 ) Emmet Fox gostava de dizer que nada é como vemos. Se caissem as escamas de nossos olhos a surpresa seria monumental. Sendo assim, há grande chance de você não estar à beira do precipicio segura por sua unhazinha. Pode?

  3. Eu creio!
    Palavras de refrigério Lou. Concordo com a Bete hehe valeu por mil, o que claro, não o isenta de postar mais milhares!

    Mesmo muitas vezes pessimistas, temos noção da soberania de Deus sobre nós, sobre tudo. Que nossa vida aqui seja desprovida de medo e bem provida de amor, até que ele venha!!!

  4. Bruna

    Já estava fazendo as contas de quantos dias poderia ficar sem postar 🙂 . Entretanto, se o medo for superado já será ótimo. Com amor, então…

  5. Muito abençoador o teu texto meu amigo Lou.
    O medo é sem dúvida o maior dos nossos inimigos.
    Saudades dos teus coments, sempre repletos da tua boa ironia e bom humor! 🙂
    Um abraço a familia.

  6. Vilma

    Obrigado, especialmente por sua gentiliza tradicional. Assim que me permitirem voltarei a importunar, fique tranquila. 🙂 Abraços a todos por aí.

  7. Lou, mensagem linda esta sua. Me lembro de ter lido, que o ex-presidente americano Roosevelt, disse certa: “A única coisa a temer é o próprio medo”. Em Hebreus 2:15, o medo faz da vida uma verdadeira escravidão. Acredito que é por isso, que muitas vezes nos evangelhos, Jesus diz várias vezes, a palavra “Não temas”. Graça e Paz sobre você.

  8. Juber

    Segundo o Nakamura, um japones que estudou teologia comigo, a expressão não temas, aparece 365 vezes na Bíblia, uma para cada dia. O Nakamura tinha cada uma… 🙂

Deixe uma resposta para vilma Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.