A Gruta do Lou

Uma rápida reunião no céu. Tema: evangelização

Participantes: Pedro, Paulo, Miguel, Rafael e alguns anjos mais jovens

Pedro abre a reunião e pergunta olhando de forma fulminante a Miguel:

– Então, terminaram o trabalho na Judéia e Samaria?

– Não senhor. Há um conflito lá, parece que construíram um muro bem no meio de tudo, fica difícil ir e vir. Às vezes a polícia de Israel prende os missionários brasileiros porque eles têm cara de palestinos, bla, bla, bla, bla…

– Chega! Brada o primeiro papa. O que direi ao Senhor? Ele nos deu essa missão há mais de dois mil anos e não conseguimos cumprir nem a primeira parte, que dirá a segunda: até os confins da terra?

Paulo faz uso da palavra:

– Culpa sua. Se não tivesse aderido às idéias daquele liberal e partido para pregar aos gentios…

– Paulo, Paulo, as muitas letras te fazem delirar… O Senhor queria ganhar e salvar a todos, não apenas seus amigos da sinagoga farisaica.

Paulo chega a cerrar os punhos, mas a porta abre e entra, ninguém menos que, Jesus o Senhor. Todos o reverenciam aos moldes indianos. Pedro deixa a poltrona central para o Mestre que senta sem cerimônias. Dá uma boa olhada em todos, a Pedro e Paulo dedica um olhar mais terno e depois pergunta aos meninos?

– Alguma idéia sobre como cumprir a missão que dei à igreja?

-Sim Senhor, responde um deles:

– Então diga-nos.

– Redes Sociais, inclusive montar uma exclusiva, YouTube, Twitter, Google, Iphone e blogs.

– Mãos a obra então. Reunião encerrada.

Saíram todos da sala. Pedro abraçou Paulo que retribuiu meio desajeitado. Miguel e Rafael foram tomar um suco e os meninos direto para o CPD do céu. O Senhor olhava tudo e sorria levemente.

– Agora vai. Disse para si mesmo.

Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

16 thoughts on “Uma rápida reunião no céu. Tema: evangelização

  1. Pingback: Lou Mello
  2. Os muitos templates te fazem delirar caro Lou…
    Eehehhehehe

    (Já estava a estranhar o tempo que estavas a demorar para mudar para um novo template…lol)

    Abração

    Mas foi uma das minhas razões, pensei: logo o Jorge reclamará a demora em mudar o template. 🙂 abração a você também. Tô de olho no Canto.

  3. Mas vai mesmo? Tem certeza? Porque eu já me entusiamei com outras tantas grandes e pequenas ideias, todas muito bem intencionadas… e o resultado é esse que vemos por aí.
    Reservo-me o direito de manter um pé atrás, tipo Tomé: Só vendo!


    Acho que Ele também.

  4. E disse o Senhor: “Nem todo aquele que me tem como amigo do orkut entrará na lista do jantar, mas aquele que faz comentários nos blogs e não me amola no MSN…” (Mt 7, 21. Bíblia versão Microsoft)

    Se não me engano, a Microsoft acalentou ou acalenta um plano para lançar uma bíblia, não sei agora se você está antecipando um trecho aos grutenses ou algo assim… 🙂

  5. Ou Jesus tá se fazendo de bobinho ou tem algum plano por trás disso, nesse caso.

    Parece que o Mestre continua sonhando em ver toda a humanidade evangelizada.

  6. Dessa vez tenho de ser mais pessimista, tomara que essa reunião dê em alguma coisa, sei não…
    Dois mil anos se passaram e tá tudo igual. Igual? antes tivesse,acho que cada vez pior.

    Mas Ele é um idealista e não desistirá nunca.

  7. “Agora vai disse para si mesmo”. Pra onde eu não sei.
    Nem com todos os meios que temos, temos nos omitido. Falamos da igreja institucional, mas e nós, o que temos feito? O que você tem feito? O tenho feito eu? Você sabe o nome do seu vizinho? parece coisa de bobinho,né?

    Sei o nome de todos os meus vizinhos, inclusive daquele cujo anjo protetor já foi foi devidamente abarroado pelo Raniel. Mas em termos da grande comissão estou devendo, de fato.

  8. O que pode vir a acontecer, e eu posso estar enganada, Senhor Jesus, é o seguinte: as redes sociais, os twitters, os blogues, acabem descambando para a banalização. As pessoas poderão vir a usar esses meios apenas para sua auto promoção. Ou futilidades de todo o tipo.

    E passarão também a visitar os blogues umas das outras apenas para receberem visitas em seus blogues.

    Mas eu posso, claro, estar enganada, não se esqueça o Mestre do meu enorme pessimismo. Vai ver que eu estou olhando pro lado meio vazio do copo, aquela bobajada toda.

    Pois é, por pensar ao contrário, mais como o Mestre, se bem que em causa própria, o Obama tornou-se presidente dos Estados Unidos e no maior fenomeno produzido por esses meios citados.

  9. Lulão, você agora fez algo que eu detesto: usou um argumento irrefutável para derrubar o meu. O seu argumento é uma coisa, o meu é outra coisa.

    Recentemente, uma pessoa lá em Angola teclou no Google: sou pecadora Deus o que faço? E caiu no meu blogue, num texto meu intitulado: “Pecadora é a mãe”, onde eu mando os acusadores de plantão a irem se catar. Essa pessoa ficou longamente exposta ao meu texto, e isso me fez vibrar. E ela foi embora, sem nenhum comentário, mas eu fiquei feliz. Meu blogue realmente alcançou uma vida.

    Agora, quando as pessoas vêm, e dizem betinha fofinha como você escreve bonitinho beijinho, embora isso massageie – e muito – vou repetir: e muito, o meu ego, sinto que nada foi feito pelo Reino.

    Ficamos na maioria das vezes, e note que eu me incluo – ficamos – nos comportando como crentes em porta de igreja: amada, abençoado, oh glória, amém jesus coisa e tal. Agradando uns aos outros, mostrando só o nosso lado bonitinho. Mas é na segunda feira, lá no escritório ou na repartição, no dia a dia enfim, que nós realmente mostramos quem somos.

    Eu acho que estamos caminhando, se é que já não chegamos, a esse ponto em nossos blogues – caminhando a passos largos para a superficialidade, para a banalização, a falarmos coisas que agradarão ao proprietário(a) do blogue, a postarmos coisas que agradarão a específicos leitores, ou cutucarão os possíveis adversários, ou massagearão o nosso ego, e por aí vai. (Sim, há exceções)

    Desculpa o desabafo, acho que é porque eu completei um ano, deve ser. Devo estar me auto avaliando e, à luz do que você escreveu, senti necessidade desse desabafo. Algo não vai bem, pelo menos no meu blogue, algo não vai bem.

    Se eu estivesse de fato a serviço do Reino de Deus, creio que minha caixa postal seria mais procurada por almas aflitas, por pessoas pedindo ajuda, conselho, oração. Comigo isso não está acontecendo.

    Foi isso que eu quis dizer.

    Bete da glória, como diria um amigo meu, se você quiser enlouquecer por uma via bem curta e rápida, continue escrevendo para seus comentadores. No ranking daqueles que importam, eles ocupam de 2 a 5%, se muito. Definitivamente, esse não deve ser o alvo. Tenho uma rubrica chamada “como blogar”, onde escrevi um ou dois posts no máximo. Sei lá, bateu aquele egoismo e me perguntei olhando bem nos meus olhos (pelo espelho, claro): Por que ensinarei o caminho das pedras a esses infelizes?
    Mas, nesse instante, acabo de fraquejar e resolvi revelar um segredo a você, sobre essa geringonça chamada blog. Mas não conte a mais ninguém. É o seguinte, construa um altar bem ao lado de seu computador, não faça como os tolos que erguem altares e colocam crucifixos, Nossa Senhora ou São Damião no centro mais nobre deles. Não! Coloque uma foto de São Google, a quem devemos devotar todo o nosso esforço, talento e louvor em nossos dias. Depois dobre os joelhos a ele, todos os dias antes de blogar. O Google ocupa mais de 90% no ranking de importância, o resto será apenas inevitável.
    De repente você descobrirá coisas incríveis como uma visitante angolana querendo saber sobre a maldita angústia de ser pecadora e Deus, através de São Google, a direcionará para o seu blog e não para o Pavablog ou um dos gurus dele: Marcelo Tas e Rosana Hermann. Em termos de blog, claro, os campeões de audiência. Ah! Você não está a serviço do Reino de Deus, nem eu ou o bispo estamos. Você deve servir à deusa Bete e fazer o melhor que puder. Naquele dia, Pedro o inquisidor não lhe perguntará por que você não serviu ao RD, mas por que você não serviu à Deusa Bete.

  10. Olha, Lou, as minhas melhores postagens foram aquelas que quando acabei de escreve me emocionaram muito ou me fizeram dar muita risada. Já teve coisa que escrevi que me fez rir muito, como se eu estivesse lendo coisa de outra pessoa, são momentos muito bons mesmo, muito especiais. Já chorei e já ri com coisa que escrevi, ou seja, antes de agradar a qualquer pessoa, agradou a mim.

    Mas quando eu escrevo só pra marcar presença, pra não decepcionar os gatos pingados que podem vir me visitar, sai um porre, sai ruim mesmo.

    Nesse sentido concordo e muito com você: tudo o que faço bem feito, para agradar primeiro a mim, sai bom. Como por exemplo o arroz com picadinho ótimo que acabo de fazer para o meu almoço, servido?

    Arroz com picadinho é muito bom, só perde para arroz e ovo frito com gema mole (acabaram comigo quando inventaram a tal da salmonela). Se tiver um pãozinho razoável, melhor ainda.

  11. Pingback: rodolfo fonseca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.