A Gruta do Lou

Travessia maluca

Cruzei o meridiano de Greenwich para o hemisfério oriental. O desempenho do meu polêmico mastro continuava impecável, e o Paratii seguia dócil e seguro. Durante a madrugada, porém, um incidente destruiu todas as perspectivas de tranqüilidade futuras. Passei o dia inteiro coçando a cabeça, tentando entender o que tinha acontecido,por que não me esborrachei.

Antes de me deitar para o intervalo de sono próximo da meia noite, o último do dia, quando já fazia um certo escuro, passei o controle do barco do piloto elétrico para o leme de vento. Queria dar uma folga ao sistema elétrico e às baterias. Pior sono de todos, o do curto período de pouca luz quando se sente sono de verdade, sono noturno. Por alguma razão que desconheço, não acordei no tempo certo. Talvez estivesse mais cansado do que o normal, talvez o despertador não tenha tocado. Ou é possível que eu tenha simplesmente me esquecido de acioná-lo… Nunca vou saber. Quando abri os olhos – surpresa – era dia claro. Minha nossa! O relógio! O rumo! A proa! Os gelos! Quase três da manhã… Saltei da cama direto para o leme interno, assustado. Dormi como um anjo por dois ou três períodos seguidos, talvez duas horas, sem acordar. A proa! Graças a Deus, a proa estava livre de gelos. Mas ao olhar para trás, abrindo a gaiúta de entrada, congelei; exatamente à popa, sobre a linha imaginária que o Paratii ia traçando, havia um iceberg com uns quatrocentos metros de largura, bem em cima do meu rastro, como se dormindo eu tivesse passado por cima dele. Ou pelo meio… Como se eu tivesse, com barco e tudo, saído de dentro do gelo”.

Amyr Klink em Mar Sem Fim

Alguém me chamou de invejoso, esses dias. Confesso, tenho um monte de invejas. Mas não sou um invejoso do mal, desses que gostaria de ficar com as coisas e as glórias dos outros. Apenas sinto o desejo de conquistar tanto quanto alguém, às vezes. Jamais viveria as experiências narradas acima. Acho-as lindas, elas me causam grande prazer quando as leio ou escuto o Amyr descrevendo-as em seus livros, vídeos, palestras e entrevistas, mas nunca as viveria. Sou covarde demais para tanto.

Entretanto, tenho navegado o meu mar sem fim ao longo de minha vida, driblando meus icebergs e, em um número incalculável de vezes, livrado de outros enormes inimigos terríveis, como se fossem enormes blocos de gelo, sem saber como ou por que. Talvez arriscasse dizer que se não sou um grande navegador dos sete mares, mas sou algo parecido nos caminhos dessa vida bandida. Em outras palavras, tenho meu próprio mar sem fim e, talvez, se o Amyr ouvisse meus relatos dissesse, igualmente, não teria coragem de viver a vida desse cara.

Pouco mais a frente dessa passagem, ele diz: “Mas certamente Deus deve ter preocupações maiores do que a de salvar barcos cegos ou navegadores que dormem demais em latitudes tão isoladas“. Eu acrescentaria: ou salvar navegadores dessa vida em seus cursos cegos e cheios de problemas desse mundo em que vivemos.

Mas por razões que não somos capazes de compreender, Deus cuida desses homens dos mares revoltos a seu modo. Nem sempre, livrar-nos do perigo é a única saída. Alguns os atravessam ou são tragados por eles, e nunca saberemos qual o senso de justiça divino, enquanto não o encontrarmos face a face para obter as devidas explicações ou desculpas divinas esfarrapadas. Confiar é bem isso.

Alguém disse, esses dias: Bill Gates, os Beatles, e muitos outros casos de sucesso, foram resultado de um mínimo de dez mil horas de treinos, ensaios e estudos aliados à oportunidade. Sem dúvida esse componente é indispensável, mas não único. Há casos em que só a oportunidade, ou só o empenho, foram suficientes posto que tivessem uma ajudazinha do alto.

OPS:

O encontro para uma conversa sobre Desenvolvimento (Relações Públicas e Captação de Recursos) Será na sede da ADVB – R. Treze de Maio, 1413 – Bela Vista – São Paulo – SP Dia 09 de dezembro a partir das 13:30 hs Fica perto da estação Brigadeiro do Metrô.
Presenças confirmadas:

Fábio Adiron, Andrezza Cadete Barletta, Volney Faustini, Majory Imai, Ozimar Pereira, Ana Camila Bertozzo Silva, Ludo, Bete P. da Silva, alguns outros já confirmados, eu e você. Não deixe de confirmar, por E-mail.

O Nelson Costa, amigo e tocador do excelente Blog Igreja Emergente já declarou seu apoio direto dos Estados Unidos, onde reside. Alguns estarão on line conosco durante nossa conversa. É, está virando um papo internacional. Você ficará fora  dessa?

Você morrerá de inveja depois, se não participar. Vai meu, manda o E-mail já.

6 thoughts on “Travessia maluca

  1. Entendo seu desejo de conquistar tanto quanto alguém, às vezes. Mas quem sou eu? Nem sua simples visita eu mereço, nem um comentariozinho sequer no blog… Paciencia…àss vezes prá mim, você é o iceberg. Se não desvio me estrepo.

    Pior é que não quero nada. Sou o típico low profile (sem piadas pf), com enorme agilidade para não entrar em confusões. Mas adoro cutucar gente pretensiosa, como uns e outros.

    Quanto aos comentários, durante um certo tempo consegui comentar nos blogs de minha lista, com certa regularidade. Mas a lista aumentou sobremaneira e minhas limitadas condições se estreitaram. Não consigo mais comentar como e onde gostaria. Se servir como desculpa, leio todas as postagens da minha lista de amigos, inclusive as suas, desde que você recuperou seu acesso, tanto quanto fazia antes. A quantidade de posts e blogs não comentados por mim, hoje em dia é assustadora, para minha miséria.

  2. Caro Lou,

    Compreendo-o meu bom amigo.

    Uma coisa que não consigo entender, que me faz pensar e me deixa um pouco perturbada, é o facto de haver crentes a quem nada falta, a quem tudo corre bem… ( O meu caso por exemplo) e haver outros, tão ou mais fiéis – aparentemente, claro – a quem tudo falta, e a quem tanta coisa corre mal.

    Talvez um dia o Senhor, na glória me explique isso…

    Um bom dia

    um abraço
    Viviana.

    Ele explicará, tim tim por tim tim, para você. Nesse dia, a palavra justiça fará todo o sentido, para você.

  3. Quem passa pelos Icebergs da vida sem os sentir, é sinal que nunca teve consciência deles…

    A pergunta é:

    Quererás tu ter consciência?

    Está escrito algures na bíblia que Jeová-Deus perdoa o tempo da ignorância, mas também diz que o podo “morre” por falta de conhecimento.

    Num mundo cada vez mais virtual, é cada vez mais fácil passar pelos icebergs da vida de uma forma “mágica”, basta ligar o jogo XPTO e esquecer tudo o resto…

    Quererás tu ter consciência?

    God bless you,
    T.

    Responderia sim, se respondesse sem interesse. Mas a resposta do coração seria: Muitas vezes, preferiria não ter consciência.

  4. …e tem gente que me chama de iceberg….ou pareço fria demais ou realmente represento perigo.

    Lou, eu queria demais estar com vcs no evento… talvez se eu morasse mais pertinho e tivesse uma graninha..(hhhmmmm) … mas me diga: como posso acompanhá-los pela internet ??

    boa sorte e abraços para todos em casa !

    Provavelmente você poderá acompanhar em transmissão direta, via USTREAM e participar via Skype ou MSN. Os detalhes (links e endereços) serão informados na Gruta e em vários outros blogs. Fique tranquila, você saberá. Obrigado por participar.

  5. Qualquer dia eu vou escrever sobre o impacto que essa frase aí do Klink teve em mim: Deus deve ter preocupações maiores etc…

    Demais…jogou por terra séculos de conceitos errados, distorcidos.

    O cara se lançou numa empreitada fantástica, confiando absolutamente no seu equipamento de ponta, ao invés de ficar determinando vitórias em cima de equipamentos ruins.

    Mas mesmo assim a gente sabe que Deus livra a cara dos imbecis feito eu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *