A Gruta do Lou

Talentos deseperdiçados

A AGIN (Agência Grutense de Informações Nulas) decidiu vasar à imprensa onde anda nosso presidente, não da AGIN, da Gruta. Estão todos perplexos, como sempre. A pergunta que não quer calar é: Pode um talento como esse, excelente consultor, melhor teólogo, maravilhoso pessimista, perdedor nato e campeão nacional em tiro fora do alvo estar sendo relegado a tal humilhação?

concomp

As fotos foram captadas essa manhã, em um certo escritório em São Paulo. Portanto, não esperem comentários em seus blogs, o cara está mais ocupado que o diretor do Banco Central dos Estados Unidos.

15 thoughts on “Talentos deseperdiçados

  1. Pingback: Lou Mello
  2. Lou, quatro coisas

    Essa impressora aí tem um lugar que queima o dedo, eu já queimei feio.

    Eu estou a desperdiçar o meu talento em uma situação muito pior, prefiro nem dizer aqui.

    Gostei das fotos, quem as fez?

    Já lhe pedi várias vezes que quando viesse a São Paulo (não é Sampa que se fala aqui não, é São Paulo mesmo), viesse se decepcionar comigo, e você nunca veio.

  3. Estamos orando pelo teu computador tbm Lou.
    hehehe

    “Ah, mas que essas mãozinhas delicadas não são do presidente da Gruta, não são mesmo!!! (2)”

  4. Pelo jeito, cabe, nesse caso, um comentário único a todos os comentários.
    Não propositalmente, levei-os ao engano. Tudo que eu queria era obter algum sentimento baixo, tipo pena ou solidariedade dos meus amigos, enquanto eu estivesse exercendo esse ofício digno de consertador de computadores pessoais e, como todo trabalho digno, mal remunerado. Mas, como diz o John Travolta em seu ótimo filme “A Senha”, “as pessoas acreditam no que vêem”.
    O fato é, não são minhas as mãos nas fotos e muito menos as fotos, devidamente surrupiadas em algum canto da internet, via Google. Também não disse que estaria consertando micros, a conclusão foi meio óbvia, mas um produto de interpretação tipo pastoral, ou seja, equivocada, literal. Poderia estar dirigindo um clip de propaganda ou uma grande campanha em algum grande banco de financiamento de projetos. Mas, eu mereço. Afinal sou o autor dessa minha imagem pouco positiva, mas verdadeira, de um mero e honrado mecânico de micros, sem desejar sê-lo. Passar roupa também é digno. Adoro ver a Dedé pilotando o ferro e de graça. Se eu fosse ela, nunca teria casado comigo.
    Pedir-lhes perdão, com humildade e agradecer cada comentário, que muito me honrou, é o mínimo a fazer aqui.

    Beijão em todas as vossas bochechas

    Lou

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *