A Gruta do Lou

Sofrimento: é o megafone de Deus

C. S. Lewis cunhou essa conclusão em seu primeiro livro voltado ao tema cujo título em português é “O problema do sofrimento”. Lewis deve ter ouvido milhares de perguntas: Por que Deus permite às pessoas sofrendo das mais variadas e complexas situações de sofrimentos, desde o mais leve até os piores inimagináveis.

Por que Deus permite a morte de criancinhas e ou de pessoas boas, queridas de seus familiares, mansas e humildes diante dele? As reclamações são justas, na maioria das vezes. Mesmo assim, quase todos os dias, vemos pessoas envolvidas em sofrimento. Basta assistir os jornais vespertinos na TV e internet.

Em O problema do sofrimento, Lewis chega à conclusão: “Se em tal base, ou em outras melhores, seguimos o curso através do qual a humanidade tem sido orientada e nos tornamos cristãos, encontraremos então o “problema do sofrimento”. Creio ser permitido concluir no sofrimento como o fio condutor em vários momentos de nossas vidas, no varejo e no atacado. A própria vida acaba, para muitos, sendo uma história de sofrimento.

A Bíblia relata grande quantidade de momentos de intenso sofrimento. Mas isso é só uma estrada a ser ultrapassada e quando saímos do outro lado, descobrimos termos alcançado, pessoal e/ou coletivamente, enormes vitórias. Lembrem de Moisés e o povo judeu à beira do mar: se ficar Faraó pega, se fugir o mar pegará! O povo foi para o deserto e perceberam sua posição ali, sem água, comida, moradia, trabalho, etc. Dor, frio, calor, fome, sede, segurança, enfim, sofrimento. Davi foi parar em uma Gruta como a nossa, ele e mais quatrocentos homens, fieis seguidores e suas família. Estavam presos ali e na mesma situação dos irmãos no deserto. Ainda há muitas outras linhas sobre sofrimento, no AT.

No Novo Testamento, Jesus exorta o povo: No mundo terão aflições (sofrimento), mas não temam, eu venci o mundo. O apóstolo Paulo também exortou o povo por causa do sofrimento. Jesus enfrentava a morte e nunca perdeu para ela. Mas o que conduzia as pessoas para a morte? Sofrimento. Injustiças, calúnias, maldades da parte de invasores e vai por aí.

Depois do primeiro livro, Lewis escreveu outro “A Anatomia de uma dor”, no mesmo tema, mas dessa vez, após um grande sofrimento vivido por ele mesmo. Nesse ele rasgou mais o verbo. Queria uma atitude diferente de Deus para com seu problema não resolvido. Se novo o problema não é de Deus, mas nosso. Ele quer nos salvar mas o Amor, pelo qual nos têm, ele deseja nos libertar através de nós mesmos.

Depois que nosso filho Thomas nasceu, recebi a indicação para estudar o sofrimento, através de um leve sofrimento. Já lera o Destinados ao sofrimento do Irmão André; então li os dois livros citados acima do Lewis; depois  Cristo e o Sofrimento Humano de E. Stanley Jones; Por que sofremos do Paul Young Cho; Deus Por que Sofremos de Philip Yancey. Há muitos mais. Se encontrar, assista o filme Terra das Sombras, excelente. 

Nesse tempo estávamos em uma fase de vacas magras, um certo sofrimento e depois passou. Mais à frente tivemos outras fases mais duras, principalmente quando o Thomas precisou passar por cirurgias complicadíssimas e também passaram. O Big One chegou afinal e foi tremendo, morando em Sorocaba, perdemos nosso filho na terceira cirurgia e o resto só serviu para piorar aquilo tudo.

Então nossa vida mudou de novo, voltamos para São Paulo, alugamos casa e a vida continuou. Às vezes sofremos outras vezes menos e vamos indo. Sou obrigado a reconhecer quanto o sofrimento tem feito seu trabalho em nossas vidas. Conhecemos melhor a Deus, podemos ajudar ao próximo com maior desenvoltura e o melhor, sabemos qual é a intenção do criador para nós, ou seja chegar ao Reino de Deus, como Jesus prometeu a todos nós, você inclusive. Continuamos por aqui, agora mesmo sinto estarmos entrando em outra dessas nuvens, vamos ver como será…

A conclusão é óbvia, segundo Lewis. O sofrimento é um megafone de Deus capaz de nos levar a vencer a morte e ganhar a vida, inclusive a vida eterna, mas precisamos aprender a passar pelo sofrimento antes, com otimismo e muito respeito com nosso criador. Não é possível desviar do sofrimento, rejeitá-lo ou evita-lo. O único meio é vencê-lo com Jesus em nossas vidas.

Então vamos deixar o Sr. C. S. Lewis escrever o final desse texto:

“Mas se o sofrimento é bom não deveria ele ser procurado em vez de evitado? Respondo, ele não é bom de si mesmo. O que é positivo para o sofredor em qualquer experiência penosa é a sua submissão à vontade de Deus e, para os espectadores, a compaixão desesperada e os atos de bondade a qual nos leva”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *