A Gruta do Lou

Significado e Razão

Andei perguntando a alguns caras mais experientes que eu na arte da pena, tais como Pessoa, Borges, Dostoievski, Brabo e Adiron, sobre o significado e a razão de escrever.

Claro que não falei com eles pessoalmente antes de ser questionado nesse quesito, embora um ou dois estejam mais à mão, procurei a resposta em seus escritos e me surpreendi, de certa forma, ao contrário do papai aqui, eles estão pouco se lixando para a crítica literária, profissional ou não. Escrevem porque amam escrever, brincam com as palavras com prazer e, só não poder fazê-lo, os entristece.

Taí, temos algo em comum. Não é tão importante o volume de leitores ou visitantes às minhas mal traçadas sentenças. Minha compulsão é por escrever. Jesus em pessoa me disse para escrever e, através da pena, colocar as brasas ardentes em meu interior à disposição do mundo, via internet ou outros, caso contrário, elas me matariam. Esses caras citados fizeram e fazem o mesmo, essa é a nossa missão e salvação.

Mesmo diante da tirania das tais Telefonica, Microsoft, Itaú, CPFL, Emaximovel, Governos, etc… iremos em frente. Em nossos dias, os demônios não existem mais. Eles usaram seu poder camaleônico e se transformaram em empresas, psicólogos, médicos, políticos e advogados. Portanto não devemos nos assustar quando, imprudentemente, flagramos um chifre ou um tridente sob a capa de seus logotipos cuidadosamente construídos para disfarçar suas verdadeiras identidades. Nós somos o alvo, eles têm a missão de destruir os verdadeiros escritores. Uma das armas favoritas deles é nos isolar sem leitores, comentários e, muito menos, editoras. Essas também estão a serviço de Satanás, embora eu não creia nele.

De minha parte, garanto morrer lutando. Escreverei até o último segundo, aqui, em São Paulo, no hospital, em alguma ONG ridícula ou na prisão. Farei como o tresloucado Paulo, ainda que atem minha perna à perna de algum romano nogento nojento, ou bola de ferro maciço, escreverei.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

12 thoughts on “Significado e Razão

  1. 2 cositas:
    Nojento é com “J”, mas geralmente é com “g”.
    O romano mencionado deve ser um palmeirense, capice?

    Ô Loco! Não havia pensado nisso. Acho melhor rever essa parte. Acorrentado a um palmeirense, não tem acordo. Quanto a troca do j por um intruso g, além da incompetência do autor, só ao voltar para a correção da palavra, notei que ela estava sublinhada em vermelho, ou seja, estou ficando cego.

  2. … e voltamos a assuntos já tratados. Arre!… Está bem… advogados são demônios, mas, admitamos, alguns escrevem bem. E escrever é vazamento. Tens vazado bem também. Prossegue.

    Seu caso, né? Mas essa idéia de advogados diabos não é minha, você sabe. É do filme “O advogado do diábo”, excelente, por sinal. Além de você, temos amigos advogados muito queridos por aqui, como o Wander e o Alysson. Amamos as pessoas, servir ao diabo é o destino de quase todos, conscientemente ou não. Isso sem falar nos amigos psicólogos, médicos e eu, o pior de todos, teólogo, professor e consultor desempregado. Mas isso é só provocação para ganhar um agrado. Funcionou com você. Certo? 🙂

  3. dizem os poetas que “as palavras são idéias, e uma gota de tinta, como orvalho, que cai na mente, faz pensar milhões de pessoas.” imagine o que está escrito e estocado, durante esse tempo, nas prateleiras da gruta!!
    abraço.

    Tentamos cumprir nossa missão de escrever, humildemente. Esse elogio é honra extra, imerecida mas gostosa de receber. Abraço.

  4. Já li em algum lugar que o escrever é nossa pura vingança por termos lido tanto.

    Uma idéia e tanto. Certo então é que me vingarei muito ainda.

  5. Como a leitura, o escrever é como comprar um calçado, possuí um modelo e
    um exato numero para cada indíviduo.
    Enfim, quem experimenta o conforto é quem escreve!
    “A minha idéia, depois de tantas cabriolas, é escrever, escrever e escrever!
    O resto não interessa.”

    Digo mais, se parar piora muito, chega a esmagar de dentro para fora, horrível.

  6. Ainda terei idéias brilhantes, palavras fascinantes, e histórias encantadoras para
    colocar em um blog como o seu!!!! um dia!

    (Leu? rss) De verdade Lou, é assunto sério o papo dos caras… Meu pai faz encadernações dos artigos deles… não li todos, longe disso, mas são coisas que fazem completo sentido.
    Bom fim de semana!!!

    Acho que encontrei o site. Me pareceu um pessoal fundamentalista empenhado em patrulhar e manter suas crenças extremistas (falsas) intactas, ou protegidas das “ameaças”, tais como o livro Código Da Vinci e o seu autor Dan Brown. Havia um grupo desses por aqui, um tal de Instituto de Pesquisas Cristãs ou algo assim, pior é que um dos membros mais ativos lá foi meu aluno nos tempos de Escola Superior de Teológia. Que vergonha! Ah! Outro ex-aluno é o segundo homem na Igreja Renascer, o tal de Bispo Gera, no tempo em que ele era só o Geraldo. Claro que o Estevan Hernandes não considera ninguém como segundo. Para ele, só existe o primeiro. 🙂 Acho que fiz bem em deixar a cátedra. Certo?

  7. Ô Lou, você conseguiu colher alguns elogios né? Kibom!

    Qualquer dia eu vou fazer uma série de postagens lá na minha humilde padaria, imitando o jeito de escrever de todos vocês, vai ser divertido, além de um exercício intelectual que estou precisando, para ver se “desconstruo” um pouco o meu que é muito almanaquês. O mais difícil de imitar será o Fábio.

    Tá bom, tá bom: você também pronto elogiei.

    Não sei porque você não elogia logo e pronto. Se você soubesse como meu ego fica feliz, não hesitaria tanto. 🙂 Todos nós somos imitadores, não se iluda.

  8. Escrever pra mim é como disse o Roger: uma vingança ! … mas não essa vingança maravilhosa e literária que ele expressa, a minha é vingança mesmo, me vingo do que me fizeram e do que não fizeram , do que senti e do que gostaria de ter sentido e mando recado , expresso paixão e ódio e muitas vezes apenas expresso meus hormônios, afinal, tenho que fazer alguma coisa com eles.
    Mas ler-te é delicioso !!… afinal, além de ótimos escritos , vc consegue “sacanear” (no bom sentido – se é que existe) os sentimentos e acontecimentos que nos circundam.

    Desculpe-me a ausência, mas não conseguia acessar seus comentários (e mais alguns outros blogs tb)… parece que voltou ao normal.

    Abraços

    Gostei muito do seu desabafo na primeira parte do comentário. Parece mais um post. Quanto a segunda, agradeço honrado. Quando der algum problema de acesso, me avise pf. Abraço.

  9. Lou, compartilho contigo o mesmíssimo sentimento pelo ato de escrever.
    Tanto, tanto é meu gostar, que vou atropelando regras e pontos e leis e tudo o mais necessário para que exista um texto bonito, íntegro em todas as formas e conteúdo, não, me basta apenas informar qualquer coisa que eu pense ou sinta na hora que os dedinhos vão lá segurando o lápis.
    Você escreve lindamente.

    Gosto do jeito que você escreve. Em minha modesta opinião, você deveria abusar em escrever segundo seu método. Valeu muito!

  10. Meu caso?… Ora! Só se a referência for a advogados-diabos (nova terminologia a um velho conceito). Vazamentos, reconhecidamente, fazem sentido apenas ao vazador e, destarte, adicionar o adjetivo ao verbo é arriscadamente subjetivo. Eventualmente, os transbordamentos se encontram em uma convulsão que comunga dos mesmos desassossegos grutenses. Ocasião próspera em que só resta agradecer.
    Obrigada e prossiga.

    Tá certo. Mas permita-me continuar considerando-a muito talentosa na Arte da Pena.

  11. qual realmente é o significado da razão………..

    Nesse caso, sem dúvida, estou tratando da desculpa, do motivo, embora isso se relacione ao aspecto consciente, também. Razão é o nosso ser consciente, se não me engano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.