A Gruta do Lou

Seria mais um grutense perdido por aí?

fernando-pessoa

O rapaz me enviou um E-mail com esse texto pedindo para eu postá-lo aqui na Gruta. Como sempre acontece, nessas ocasiões, corei mas fui logo tomado daquele sentimento horroroso, a compaixão e tratei de ler o texto. Além da inegável beleza e profundidade, dei-me conta tratar-se, sem sobra de dúvidas de um maltrapilho grutense desassossegado como nós. Claro que cá comigo, sempre guardo uma reserva para possíveis talentos e não quero cometer a idiotice de desprezar algum deles e ficar com mais essa dívida perante o Pai.

Eis o texto:


E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,

Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,

Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida…

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma covardia!
Não, são todos o Ideal, se os ouço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?
Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos – mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

 

 

Fernando Pessoa

102913_1540_Maisumadmir3.jpg

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

6 thoughts on “Seria mais um grutense perdido por aí?

  1. Ô Lou, isso aí é uma ficha de cadastro para inscrição na gruta, cê já mandou uma carteirinha pra essa pessoa?
    Mudando de assunto, o que e que nós estamos fazendo atrás de um micro, é feriado pô!

  2. Bete

    Essa “pessoa” é sócio remido na Gruta.

    Não fiquei atrás de um micro, fiquei bem na frente dele. 🙂 Mas daqui meu mundo se amplia em distâncias inimagináveis. Mas dou minhas escapadas, sempre que ele se distrai.

  3. Ele foi um génio!

    Mas como deve ter sido difícil para ele, gerir e lidar com aquele espírito inquieto e em constante sobressalto!?

    Daí o livro do Desassossego…

    Tenha um bom fim de semana

    Viviana

    Um abrsaço
    Viviana

  4. Viviana

    Sim é verdade. Não consigo imaginar como isso era possível. Pegar emprestado e não pagar é imperdoável, mesmo. Fora essa insatisfação contra os “semideuses”, que absurdo meu Deus!

  5. Esse é o melhor ode contra toda vaidade que já li.
    A vaidade realmente azeda a vida. Queria ser com Pessoa despojado por completo dela. Mas como?

    Abrçs

    Roger
    PS: não ficar atrás, mas à frente do PC! Simplesmente ótimo! rsrsrs

  6. Roger

    Ser você mesmo ajuda a evitar a vaidade, mas concordo totalmente com você, é uma das grandes batalhas de vida e, talvez, a última delas.
    Apesar de que, não sendo nem um pouco vaidoso, fica difícil opinar. Sou humildemente simples, como você sabe. Ora bolas! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.