A Gruta do Lou

Sei não. Estou com uma presunção daquelas…

Reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados destinada a votar o parecer da reforma da Previdência.
Brasília – Ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Felix Fischer, relator do pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para evitar prisão após segunda instância (José Cruz/Agência Brasil)

Sei não! Estou com uma presunção daquelas… De repente me caiu uma espécie de raio na mente. Isso acontece de vez em quando, há 68 anos.

Seguinte, por que ontem, ao mesmo tempo, além de ser no mesmo dia, na Câmara federal os deputados estavam em uma CCJ tratando de aprovar o relatório referente a mudança da lei que regula e regulará a previdência brasileira. Do outro lado, também em Brasília,  no Superior Tribunal de Justiça, com a quinta turma, mesmo dia e horários, estiveram reunidos para julgar petição em favor do réu Lula, presidiário a mais de um ano, com uma pena a pagar no total de mais de doze anos.

Em certo momento, olhei pelo meu equipamento, com o qual acesso a Internet, flashs tanto de um quanto do outro. No STJ, o juiz relator (um senhor aparentando ser muito mais velho do que eu, extremamente gordo, com barba por fazer, etc.) lia com dificuldade seu relatório com páginas e páginas. Enquanto isso, lá na Câmara, os contrários à aprovação do tal relatório (Petistas e simpatizantes dos petistas) fazia de tudo para atrasar o andamento.

Foi nesse momento o aparecimento do raio na minha cuca, contendo o seguinte recado: Será que esses caras estão, por alguma razão, ligados aos acontecimentos lá no STJ? No fim, os juízes mantiveram todas as acusações devido as provas, mas mesmo assim, diminuíram a pena do meliante (agora eles chamam meliantes de pacientes). Quem entende isso?

Nesse caso, o que poderia ter acontecido? Na segunda feira, alguém mandou um fake News para as mídias sociais constando um troca-troca de Lula fora da cadeia em favor da aprovação da tal mudança na lei da previdência. Enfim, é só um fake News.

Obviamente, estou presumindo algo ou cheirando o famoso “cheiro ruim” pairando no ar, o famoso “onde há fumaça há fogo”.

Sabe, ao longo de minha vida, enfrentei as situações mais antagônicas possíveis. Na Missão, fui despedido pela acusação de ser adepto da esquerda. Na prefeitura fui exonerado sob a acusação de ser de direita. Nem eu sei direito o que sou. Não tenho nenhum apreço por ninguém que mata, rouba, engano, etc., seu semelhante. Aqui no blog, já me declarei anarquista, mas só deu confusão. Pessoal entende a anarquia como bagunça. Melhor ficar quieto. Sou o que sou.

Não votei nas últimas eleições por estar fora do meu local de votação, então justifiquei. Mas teria votado no Bolsonaro, com muito pé atrás. Sabe, todos os políticos são contra o povo. Ah! Você vai dizer que nem todos são assim. Olha se tiver algum político a favor o povo, não conheço, nem nunca conheci, em meus parcos sessenta e poucos mais anos.

Lembro sempre de um amigo e cliente participante da FIESP, segundo ele, quase todos os caras da FIESP tinham o hábito de sempre ir para o lado contrário indicado pelo governo, em qualquer situação.  Atualmente, isso não acontece mais, pois eles amancebaram também. O presidente atual vive tentando se eleger presidente ou governador, ou seja, é inimigo do povo, na minha modesta opinião.

Se minha presunção estiver correta, mais uma vez amargaremos tudo aquilo que detestamos. Alimentos, combustíveis, luz, água, etc., sempre subindo e salários caindo via inflação e correções sempre aquém da inflação. Fora roubos, corrupção e cara-de-pau.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.