A Gruta do Lou

Se é para o bem de poucos, digam a eles que fico.


Então, após cinco dias ponderando sobre a possibilidade de sair das redes sociais, acabei decidindo permanecer por mais um ano. Isso diz respeito mais ao Facebook, pois quase não apareço nas outras. Apenas no caso do Twitter todas as minhas postagens no Facebook são postadas simultaneamente, graças a um mecanismo existente entre as duas redes. No começo achei isso legal, mas depois mostrou-se chateação. Comunistas de última hora aparecem de quando em quando para tirar satisfações comigo. Mas tudo bem, como diria o Caio Fábio, são bundões e posso com eles sem maiores sacrifícios.

Obviamente, não sou de extrema direita. Aliás, não sou quase nada em termos políticos. Analiso as coisas caso a caso, ás vezes elas ficam mais a direita, outras vezes mais a esquerda e noutras, no centro. Não gosto da turma da “Agenda”. Para mim, são gente má, oriunda do inferno, mesmo aqueles com militância em religiões (cristãos, judeus e outras). Tá louco estar na mesma sala com George Soros, Obama, Hillary, Nine, Rockefellers, FHC, Fords, etc.

Mas o negócio de sair do Feicibuki não tinha nada a ver com isso. No meu caso, trata-se da minha neura ser ao contrário da dos demais. Pelo menos é como penso. A maioria não tá nem aí para o tempo de vida. Carinha com sessenta, setenta, oitenta ou mais anos, quando ainda se lembra de por a roupa de baixo e fechar o zíper das calças fala e faz planos como se ainda tivesse mais de duzentos anos pela frente, se não for mais.

A maioria está cheia de badulaques em casa. Prateleiras e prateleiras de coisas inúteis e nem se mexem para colocar tudo isso pra fora. Fora as coisas guardadas no quartinho dos fundos, garagem, sótão e porão. São ratos do porão. Desculpe, viajei agora, mas é isso mesmo. Meu, você chegou aos sessenta, cara vá a igreja mais próxima é faça penitências, agradeça a Deus e a santaiada toda, você é um ser abençoado por Deus e bonita (o) por natureza, mas que beleza. Ih, escorreguei na maionese outra vez. Se não gostar de igreja, faça isso no seu quarto mesmo, e Deus que o vê em secreto de abençoará.

Agora, se a pessoa já está com setenta, pior, com oitentona, faça um favor, prepare seu funeral, se livre de tudo. Guarde umas duas ou três mudas de roupa, meia de lá pros pés, chapéu ou gorro na cabeça, porque véi fica pneumônico facilmente. Além disso, nunca tire o crachá do pescoço, caso se perca pelas ruas a polícia ou alguma alma boa lhe leve de volta para casa. Já deveria ter feito isso aos sessenta e falo isso para mim mesmo. Amanhã mesmo começarei a jogar essas velharias todas pela janela.

Uma outra dica, dada por um pastor norte americano, o pai dele quando se viu nessa etapa final, relativa aos cinco minutos finais do segundo tempo de jogo, tratou de fechar a boca e nunca mais falou. Como isso ele evitava demonstrar que não lembrava mais nada. Passava o dia na cadeira de balanço (outra boa dica, falo da cadeira de balanço), só saia para as refeições e as atividades de banheiro.

Então, no meu caso, sair das redes faria (e acabará fazendo) parte do despojo de final de vida. Não se preocupe. Com sorte, o amor de Deus, a graça de Jesus Cristo e a comunhão e consolações do Espírito Santo, ainda viverei uns vinte anos, ou você pensa que não sou tão brasileiro quanto você é. Apenas sou mais encucado, perfeccionista e um pouco (só um pouco) abilolado.

Agora, se o Divino, em um momento bom e entender ser possível sob todos os pontos de vista, por bem ainda me abençoar com uns e/ou alguns trabalhinhos bem remunerados, não serei orgulhoso e aceitarei, enquanto dona morte não vem. Agora trabalhinhos relacionados à obra de Deus não serão realizados a troco de pagamentos financeiros. De graça recebi, de graça darei. Mas que seja em áreas de meu conhecimento, ao menos.

Sendo assim, me proponho a mais um ano de Feicibuki. Quando chegarmos no final desse tempo com tudo em cima, então nos reuniremos em alguma de nossas padarias e avaliaremos para decidir se continuo ou paro. Certo?

Era isso, quem sabe na próxima escrevo algo melhor, como diria o Thomas nessa hora.

Beijos nas perucas e carecas.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.