A Gruta do Lou

Risco de morte inesperado


Ainda em fase de descobrir o bairro, trato de aproveitar cada oportunidade para desbravar ruas e avenidas desconhecidas para mim. A lista diária das compras serve a esse propósito como uma luva. Dia desses, a lista solicitava coisas da padaria e de uma quitanda. Passei pelo portão e virei para baixo, dessa vez, sem violão em baixo do braço e com a mãos no bolso, segurando firme a carteira.

Na padaria, inocentemente perguntei para a moça do caixa onde havia uma quitanda por perto. Uma menina, embora peso pesado. A resposta dela foi espantosa: “O que é uma quitanda?” Aquilo me desmontou e custei a me recompor, então observei: “Quitanda é um tipo de loja onde são vendidos legumes, verduras e frutas. Provavelmente você chama esses lugares de Horti Fruti.” Ela subiu o tom e, com raiva nos olhos, gritou: “Trabalho em uma padaria e não tenho obrigação de saber o que é uma quitanda e muito menos dar informações”. Peguei meu troco mudo e saí, com o rabo entre as pernas.

Chegamos ao tempo anunciado pelos Tibetanos e outros asiáticos sabichões, quando saber uma palavra a mais pode custar-lhe a vida.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.