A Gruta do Lou

Quando Deus não falou comigo, ou teria falado?

Como muita gente desconfia que eu não sou eu, resolvi revelar a verdade. Eis minha verdadeira identidade.

Vivi anos sob o impacto de uma grande revelação. Por alguma razão desconhecida, transformei o texto de um salmo em uma mensagem de Deus para a minha vida e fiz disso o meu ideal.

Com o passar dos anos (mais de trinta), a promessa de prosperidade, uma esposa feliz pelos cantos da casa, filhos como os frutos da oliveira e vida longa com a promessa de ver os filhos dos meus filhos foi ficando inatingível e, inevitavelmente, comecei a imaginar que Deus não falara comigo, como imaginara.

A ficha caiu em definitivo quando, outro dia, percebi que minha cardiologista estava com medo de que eu tivesse alguma intercorrência capaz de me matar, a qualquer momento. Pensei, das duas uma, ou ela é uma anta ou a anta sou eu em ter acreditado naquela besteira de vida longa, via salmo. Uma vez, ao fazer exame médico para dar aulas de Educação Física ( já tinha mais de quarenta, então ) o médico disse que eu tinha coração de menino. Sorri levantando a sobrancelha direita, com aquele ar de superioridade de quem já sabia.

Agora ando matutando sobre o que mais daquele salmo não irá ocorrer e a possibilidade de que a resposta seja igual a zero está me matando, o que só serviria para confirmar que Deus nunca falou comigo através daquele salmo. Ah! Miserável homem que sou (essa eu clonei do convencido do Paulo). Esse salmo era meu último alento, a réstia que mantinha alguma esperança em meu coração.

Como esperava o cumprimento da profecia salmódica, não tinha plano algum. Vivia cheio de fé, na certeza da chegada das coisas que estava esperando. Afinal se tiveres fé como um grão de mostarda dirás ao monte passa acolá e ele irá. Gente de fé não faz planos, apenas espera as coisas cairem do céu.

Mas essa esperança desvaneceu-se por completo. Estou aqui debruçado sobre a prancheta tentando elaborar algum plano. Sou obrigado a admitir que o Zenon tinha razão: o negócio é comigo mesmo. Deus não vai me tirar dessa enrascada. Talvez me dê algum galardão (o que quer que isso seja) na outra vida (o que quer que isso seja) se eu encontrar alguma saída, nessa altura do campeonato.

Estou escrevendo isso na esperança de que os leitores mais novos não incidam nos mesmos erros que eu. Saltem fora enquanto é tempo. Esse barco das teologias vigentes afundará em menos de uma hora, como avisou o construtor do Titanic ao capitão, naquele dia trágico.

Ah! Meu professor de blog teve a bondade de me falar a verdade e me alertar que as fotos das loiras genéricas eram constrangedoras. Pensei que estava abafando com elas. Imagine. Peço desculpas a todos por mais esse lapso e por ter nascido, claro.

Powered by ScribeFire.

5 thoughts on “Quando Deus não falou comigo, ou teria falado?

  1. Teres nascido é indesculpável, mas o que está feito, feito está.
    Agora dizer que as loiras constrangiam…
    Tá pra nascer o dia em que dirão besteira maior.
    Discordo quando dizes que gente de fé não faz planos. E provo. Eu não os faço. E minha fé não dá nem pra cheiro de mostarda. Eu sonho, ah, isso eu faço. De cada mil, um se realiza. E eu me sinto feliz.
    Simplório que sou.

  2. … olá querido Lou, sabe de uma coisa? eu sei muito bem o que sentes. E como sei.
    Fica firme, que é a unica coisa que conseguimos nessa hora, e já é muito.
    beijos no seu coração.
    ( tb acabei de chegar do cardiologista…rsrsrss)

  3. Alice
    Agradeço suas palavras. Só não quero deixar alguma impressão errada, foi só uma impressão minha, pela forma como a médica se expressou. Na verdade, estou com a pressão um pouco elevada, mas sob medicação, dieta e passando bem. Imaginei que alguém com vida longa só viesse a ouvir essas bobagens médicas, depois dos noventa anos e não agora, ainda na flor da idade. Com você tudo bem, certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *