A Gruta do Lou

Os endividados

040709-1320-osendividad1

Deus demonstra ter um carinho especial por um segmento do povo: os endividados. Nosso Deus é meio panaca mesmo. Onde já se viu dedicar à gente dessa laia tanta consideração, a ponto de trazê-los citados na bíblia ao lado de Davi, dos apóstolos e do grande mestre Galileu. Pois é, ele tem essa mania, isso sem falar em tantos outros párias, segundo o conceito humano, claro, como os estressados, os deprimidos, os aprisionados, as prostitutas, etc.

Davi, um dos personagens mais humanos da bíblia, na ponta da ascendência de Jesus, foi uma pré figuração do salvador. Quando se viu deserdado e perseguido por Saul, refugiou-se em uma Gruta e levou com ele quem, os endividados, entre outros vagabundos. Fez deles seu exército, eram cerca de quatrocentos homens e todos com suas famílias, gente abandonada igualmente. Com esse exército Davi partiu para a vitória e cravou um das mais importantes acontecimentos em pró da raça humana na história da nossa civilização. Poder-se-ia dizer que estamos aqui, como nossa vidinha cibernética nada desprezível, graças ao sangue de um bando de endividados peçonhentos.

Olhando para o nosso próprio umbigo, coisa contra a qual há forte preconceito, o que vemos? Nos tempos de seminário ou faculdade de teologia batista, se preferir, quando subíamos a escada do térreo para o primeiro andar, encontrávamos um quadro onde havia, com grande frequência, a lista dos alunos devedores da escola e da biblioteca. Aquilo me importunava, sobremaneira, pior ainda quando meu nome aparecia ali. Para desgraça da escola, fui um quase terrorista guerrilheiro, com passagem pelo DOPS inclusa, criado pelas ruas da periferia, quase sempre em companhia de gente horrível como os favelados de duas favelas próximas de casa, onde aprendi tudo que não presta, segundo o universo das castas superiores, como a dos pastores e professores de seminários. Então comecei a praticar um pequeno ato de subversão (essa é uma confissão relacionada a pecado cometido há mais de trinta anos): cada vez que a lista era afixada ali, eu passava e a levava comigo para o banheiro, depois de picá-la em pedacinhos, dava-lhe a descarga devida.

Deus iniciou ali um processo redentor. Assim como nos dias do antigo testamento, ele continuou com aquela mania de incomodar-se com essa gente menor e resolveu fazer desse inexpressivo escritor de blog um ministro aos endividados. Não apenas isso, mas um defensor ferrenho dessa causa inglória. Em certo ponto de minha existência, me dei conta de que mais de trinta por cento da humanidade estava comprometida sob a rubrica “os endividados”. No Brasil, perto de dez milhões de pessoas (três vezes a população da Albânia e o mesmo número dos nascidos em Portugal, nessa geração) estão portando esse rótulo indecente que tanto desagrada ao criador de todos nós. Assim, boa parte da humanidade de nossos dias é formada de endividados funcionais e nominais.

Esse seria um exército para Davi nenhum botar defeito. Mais de dois bilhões de soldados militantes. Nem os Estados Unidos com toda a sua conhecida força bélica poderia vencer-nos. Sem Davi, nós não sabemos o tamanho de nossa força. Vale lembrar que, para Deus, os endividados fazem parte do grupo de vítimas do sistema. Em nossos dias, eles são produzidos aos milhares por todos os sistemas políticos existentes no planeta, mas antes disso eles já eram conhecidos e como.

Quixotesco como sempre, sonhei agregar essa gente em uma gruta qualquer. Minha função seria apenas a de um endividado agregador e, juntos, esperar a vinda de nosso líder Davi, possivelmente Jesus, agora de calça jeans, camiseta e tênis. Então caminharmos ao lado dele para a grande vitória final.

Capricornio PB

6 thoughts on “Os endividados

  1. Aí Lou…esperou 30 anos para falar sobre os atos
    subversivos…agora eles já expiraram…tá limpo…

    Graças à Telefonica e seu magnífico Speedy de 1 MB, mais uma vez, demorei para responder aos aflitos. Como se diz lá na minha terra: “antes tarde do que nunca” 🙂

  2. Papai do Céu sabe disso. Jesus ama os endividados. Tenho que lhe dizer que você foi escolhido, aliás você disse isso! Sua função não é apenas a de um agregador de individados. Parabéns pelo ministério que ele iniciou com você, fazendo-o um ministro dos individados, para redenção dos mesmos, dos subversivos, estressados, oprimidos, aprisionados, Grutenses esquecidos. Viva nóis!

    Tolamente, supunha ser essa a tarefa dos sacerdotes e pastores.

  3. Interessante seu texto, definitivamente Deus tem um carinho enorme pelos excluídos, marginalizados, afinal Ele vê o interior e não o exterior do homem, Ele sabe como extrair o melhor de cada um de nós. Mas daí a chamá-lo de panaca (tolo, fácil de ser enganado). Alguém que conhece nossa essência jamais seria enganado por nós. Eu atribuiria toda essa benevolência a um único e determinante fator, o imenso amor do Criador pela obra de suas mãos.

    Fiquei feliz e agradecido com sua visita e comentário. Você tem toda razão. Deus nunca é nada do que dizemos ou pensamos dele. Deus é Deus. O Blog está repleto de afirmações humanas sobre o Criador. Infelizmente, Ele mesmo nunca deu o ar de sua Graça, se bem que, nossa teologia comporta crenças que incluem a onipresença como um dos atributos dele. Afinal, somos uns panacas. Deus te abençoe e lhe encha de paz, hoje e sempre. Volte mais vezes, se der.

  4. Pingback: Lou Mello
  5. Caros leitores da Gruta

    Alguém tentou adicionar um comentário contendo uma proposta completa de um sistema de doações conhecido como “Pirâmide”. Antes de mais nada, tal sistema é considerado ilegal e quem o pratica está sujeito às penas da lei, no caso a prática de pirâmide é Crime Contra a Economia Popular. Ver Art. 2º, IX, da Lei nº 1.521 de 26 de dezembro de 1951.

    Em nosso caso, a ofensa é ainda maior, pois nossa proposta aqui é infinitamente mais ambiciosa, pois queremos mudar de dimensão, saindo desta onde imperam os esquemas, não apenas os medíocres como essa tal Pirâmide, mas todos os outros golpes criados pelo capitalismo, o neo liberalismo, o comunismo, socialismo, e o raio que o parta, para outra onde essas manifestações não nos atinjam. Ou então, vermos a oração de Jesus ser atendida, aquela em que ele intercede por nós junto ao Pai dele, pedindo para que não nos tire do mundo, mas no livre do mal e esse é o mal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *