O que a Igreja Cristã (responsável) pensa sobre sexo

Esse texto nasceu como um comentário no perfil Facebook da amiga Cristina Willians, onde ela contesta o fato do governo ser obrigado a pagar pela opção sex free sem qualquer responsabilidade, redundando em – bem você já sabe o que acontece com quem opta por essa prática e resolvi copiá-lo aqui por sua qualidade em termos informação  de utilidade pública. Para ver na integra, clique no nome da Cristina, acima.

O fundador da igreja (falo da comunidade e não das instituições) cristã, ou seja, Jesus Cristo, determinou que seus adeptos participantes fossem como sal e luz.

Em relação ao sal, ele se referiu ao sal utilizado como preservador da carne. Naquele tempo não havia refrigeradores e muito menos, luz elétrica, e o sal cumpria esse papel. Ainda hoje, é possível encontrar carne salgada no mercado que não estará nas geladeiras.

Esse é o papel da Igreja (da comunidade) preservar a humanidade.

Se alguém vai à Igreja cristã protestante ouvirá que o sexo deve ser praticado dentro do casamento, com responsabilidade e os devidos cuidados.

A igreja católica (a instituição) não aprova o uso dos contraceptivos, o aborto e o divórcio, por enquanto.

Dessa forma a igreja cristã cumpre seu papel de preservar a humanidade, mas não tem o papel de policiar e julgar, muito menos. Se alguém se diz cristão e não observa essas e outras diretrizes, está mentindo.

As pessoas são livres para fazer com seus corpos o que desejarem, é verdade. Mas a igreja adverte, todas as coisas nos são lícitas, mas nem todas nos convém.

A Cristina está coberta de razão, toda essa liberdade sexual custa caro ao país e nós (enquanto nação formada de pessoas) não estamos em condições de esbanjar, antes de mais nada.

Iria ainda mais longe, incentivar o sexo free sabendo da consequência inevitável (aumento da natalidade), além do custo, trás enormes problemas para a sociedade como um todo (pobreza, miséria, orfandade, criminalidade, etc.) , não só para os filhos dessa libertinagem, mas para todos nós, como é sabido por todos.

Qualquer dúvida quanto a esse ponto, me procure que posso lhes apresentar as Casas Taiguara (e muitas outras), das quais, agora sou um colaborador voluntário.

Ah, um detalhe importante, laico é o governo. O país não é laico, posto que é formado dos seus cidadãos (gente, pessoas) sendo que sua esmagadora maioria é religiosa. Beijo nas carecas e perucas.

Author: Lou Mello

Olha só, pessoal assíduo na Gruta (carinhosamente grutenses) já está careca de saber quais são as minhas graduações e tentativas de pós, etc. Pessoalmente, dou pouco valor a tudo isso. A ajuda é sempre muito relativa. Estudei a Bíblia e ainda o faço, dei aulas em várias escolas teológicas, até o pessoal encerrar minha carreira, nessa área. Acho que não me achavam adequado, sei lá. Legal mesmo, foi viajar por aí a pampa, com destaque à missão para a Albânia, em 1979 e países da África em 1981. Depois disso rodei muito pelos EUA e Europa, mas nada demais nisso. Tenho espírito missionário, acho, mas nos EUA estava mais interessado em fazer um pé de meia. Não deu certo. Mas aprendi muito por lá, onde há muito a aprender.
Atualmente, acalento o Projeto Corações Valentes e tento manter dois ou três clientes, aos quais presto consultoria na área de Desenvolvimento (Comunicação e Captação de Recursos), algo que aprendi com os norte-americanos, campeões nessa área, , sobretudo, com Dr. Dale W. Kietzman, meu mentor em marketing para organizações não lucrativas. Entretanto, e aos poucos, acho que estou de coisa com a mudança comportamental, de tanto buscá-la para mim mesmo. Culpado disso foi o Dr. Zenon Lotufo Jr, que investiu em minha pessoa, muito além do normal. Talvez 2017 me abra algumas portas nessa área,
A Gruta surgiu como a forma ideal para a prática de algo que sempre gostei muito de fazer, ou seja, escrever e me livrar dessa coisa interior que pressiona meu peito e pode me matar. Tenho alguns projetos de livros em andamento, quem sabe ainda edito um ou alguns deles, antes de fazer a travessia.
Gosto de escrever, música, literatura em geral, educação, astronomia (minha segunda paixão secreta, Ih falei), educação física e, de vez em quando, dou um ou outro pitaco nessas áreas também. Sou o principal leitor de tudo que escrevo. Ter leitores sempre foi algo inimaginável, enfim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *