A Gruta do Lou

O que a Igreja diz?

igreja dorminhoca

“As pessoas ficarão impressionadas conosco’, o Grande Inquisidor diz a Jesus, ‘e pensarão em nós como deuses, porque nós, que nos dispusemos a lidera-las, estamos prontos a suportar a liberalidade, essa liberdade da qual elas fogem com horror; e porque estamos prontos a exercer domínio sobre elas – de modo que no final ser livre parecerá para elas coisa terrível. Mas nós diremos que estamos te obedecendo e governando apenas em teu nome. Igualmente nós as estamos traindo, pois não deixaremos que tenhas mais qualquer coisa a ver conosco’. De fato, ‘Por que vieste nos atrapalhar?’ O Grande Inquisidor quer pegar esse Jesus que veio novamente, trazendo liberdade novamente, e queimá-lo como herege em nome da Igreja”.

A questão torna-se não “O que Jesus diz”, mas “o que a Igreja diz”?

Trecho clonado do livro O Evangelho Maltrapilho de Brennan Manning, que por sua vez copiou a citação do Grande Inquisidor de Hans Kung em Freedom today. O Grande Inquisidor está em nossa lista de livros, se desejarem ler na integra.

Poderíamos amenizar a questão dizendo algo como: “você está correndo o risco de estar seguindo a religião de sua igreja e não a de Jesus Cristo”, entretanto, não seria verdade. Dificilmente você está seguindo o que diz Jesus.

Excetuando os problemas de tradução e versão das bíblias disponíveis, suficientes para criar enormes problemas no entendimento da galera, estou certo que a igreja criou sua própria palavra. Jesus passou três anos e pouco no planeta e sua ênfase escancarada foi a liberdade, do pecado, das instituições e dos nossos semelhantes. Enquanto isso, a igreja só fez, e ainda faz, escravizar as pessoas, de várias formas, sobretudo, através de sua teologia nada isenta. Seus representantes máximos têm o desplante de usar palavras, tais como: ortodoxia, fundamentalismo, literatismo, etc., com o fim de assegurar exatamente o que descumprem, ou seja: a fidelidade ao autor e consumador da coisa toda.

Eu li, e certamente você também, Jesus dizendo coisas como: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”; e em outro trecho: “e conhecereis a verdade e a verdade os libertará”. Mas essa nunca foi a ênfase da igreja. A igreja trata de escravizar as pessoas para tê-las a seus pés, a seu serviço e para sustentar seus caprichos. Seus mandatários exigirão longas orações nos mais inóspitos montes de sua cidade, os submeterão a longuíssimas pregações da mais elevada falta de bom senso e lhes servirá intolerâncias preconceituosas de todos os modelos, em uma bandeja de prata de lei.

A igreja elaborou e entrega outra agenda. Nela há uns cem números de tarefas e obras salvadoras. Começa sempre com os pobres, passa pelas criancinhas abandonadas e moradoras de rua, vai pelos aidéticos, a nova e surpreendente preocupação da moda eclesiástica com a educação, as adolescentes grávidas, todos os tipos de doentes físicos, como se ela fosse um hospital ou clínica de terapêuticas psicológicas, os mesmos bêbados e drogados de sempre e nunca, mas nunca mesmo, se ocupa do pecador e da liberdade apregoada por Cristo. Liberdade esta que caberia, a todos os anteriores, como luvas de médico.

Nada ali se comparara à verdade, pois ela, e só ela, nos libertará. Definitivamente ela não se encontra na igreja.

lousign

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 thoughts on “O que a Igreja diz?

  1. Lou, vc já percebeu que lá nA Trilha tem o “Grande Inquisidor” do Dostoievski pra baixar? Achei o negócio tão batuta quando li os Karamazov que digitei o capítulo inteiro e montei um PDFzinho.

    Abraço.

    1. Tuco

      Obrigado por me informar sobre seu trabalho relacionado ao Grande Inquisidor. Plagiando o Brabo, diria que você não deveria se animar muito com isso.
      Aproveito para confessar um pecado, já que você tem essa sua tendência toda sacerdotal. Há muito tempo, tanto que nem me lembro quando, disponibilizei na Gruta, em uma aba muito perigosa denominada Sugestão de Leituras/downloads, o seu arquivo pdf. Como atenuante, invoco o fato de tê-lo feito sem restrições, com aquela linda capa que você fez com seus créditos e tudo incluso.
      De qualquer forma, é muito importante lembrar essa tendência (para não dizer “pura maldade”) da igreja em tentar catequisar o povo pela cartilha dela e não pelo evangelho do senhor Jesus, de fato. Ontem mesmo, fiz um breve comentário em uma postagem no Facebook (https://www.facebook.com/ariovaldo.ramos/posts/338644342882646?notif_t=share_reply)
      onde há um vídeo do Ariovaldo Ramos e o bla, bla, bla de sempre, confundindo discípulos e igreja como se fossem a mesma coisa. A igreja a que ele sempre se refere, sem dúvida, é esse arremedo institucional em que “igreja” transformou-se em nossos dias ( e já no séc. XVI era igual, como o Dostoievski enfatiza) , um lugar chamado igreja cristã com uma outra palavra, totalmente contrária à Palavra de Deus em Jesus Cristo. Salvo engano, lógico. Mas entendo, ele o faz porque precisa defender o leitinho das filhas dele. Enquanto eu não o faço, mas privo os meus de quase tudo, não só de leite.
      Desculpe ae pelo mal jeito, deveria ter lhe avisado, mas isso não ficaria bem para um rebelde inveterado feito eu.

      Abração

      Lou

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.