Natal, sob o signo de Capricórnio

 

Ingrid Bergman
Ingrid Bergman
 Ingrid Bergman 

Estamos perto do natal, mais uma vez, e a Gruta faz aniversário junto com Jesus, por mera coincidência, claro. Embora, não devamos equecer que no Reino de Deus não existem coincidências. Antes que você venha com a piadinha sem graça, sim a Gruta é capricorniana, aliás, Jesus também foi e, pior, eu sou capricorniano, igualmente. Pode?

Não! Cristãos protestantes não devem crer em horóscopo, isso é coisa de hereges, como foram Galileu, Copérnico e todos os astrônomos dissidentes e imprudentes da história. Entretanto, como me tornei tão insuspeitamente não cristão militante de seita alguma, não tenho nenhum problema em aceitar que nasci sob esse signo tão auspicioso, o mesmo de Jesus, da Gruta, do Elvis Presley (esse no mesmo dia do mês de janeiro que eu), do Humphrey Bogart (que foi tão fiel que nasceu e morreu sob Capricórnio), Jacques Ellul, Tolkien, Roberto Rivellino, Viola e tantos outros capricornianos menos importantes… ou mais. Infelizmente a Ingrid Bergman não era (era virgem, em termos zodíacos, obvio, que pena), mas foi a escolhida de Hitchcock para protagonizar o filme (Sob o signo de capricórnio), cujo melhor foi a interpretação da belíssima Ingrid e o título, sem dúvida. Bom, foi um filme do Hitchcock e isso pesa.

No meio dessas listas encontraremos algumas pestes, também. Em nosso caso houve gente como Luiz Carlos Prestes, Mao Tse Tung e eu. Fazer o que. Isso demonstra, claramente, que todos nós temos alguma dose de livre arbítrio, apesar do nosso Deus manipulador e quase nada democrático. Aliás, tudo que começa com o sufixo “demo” só pode ser da turma da rua de baixo.

Tudo bobagem, toda vez que você comemora alguma data, inclusive o seu próprio aniversário, você o faz sob os auspícios do zodíaco. Nada mais astrológico do que isso. As datas se repetem e se desenvolvem devido ao movimento dos planetas no universo. Também não acredito nas tais previsões astrológicas, mas pelo perfil de cada signo sempre é possível traçar muitas coincidências que acabam precipitando decisões e acontecimentos futuros. Se não me engano, lógico.

Até a bíblia traz um monte de citações astrológicas. Astros e estrelas tem presença definitiva entre versículos e livros bíblicos. Só não vê quem não quer ou é teimoso o suficiente para não aceitar o inevitável. Como dizia certo professor do Objetivo: “Quando o estupro é inevitável”… bom, melhor deixar para lá.

Andei lendo uma pá de gente boa dizendo, digo, escrevendo que época de Natal é tempo de reflexão. Discordo. Para mim, esse é o único tempo que prefiro não refletir, pelo menos não de forma sistemática. Prefiro encarar como o tempo de não refletir e, apenas, relaxar. Tudo que envolve Jesus, deveria ser assim, tempo de deixar nossos pesados fardos e sair por aí, aliviado. Natal é um tempo de refrigério, de esperança e fé. Mas é oportuno lembrar que capricornianos são definidos como individuos de grande reflexão, segundo os astrólogos mais entendidos. Se for por mim, eles estão certos. Tenho raiva, às vezes, de refletir tanto.

Até eu estou esperançoso agora e cheio de fé, que o Natal me trará de presente um outro futuro, muito diferente do passado, até aqui. Quero voltar para minha terra, onde um dia cantaram os sabiás e os pardais. Que foi chamada “A Terra da Garoa” e tinha até campanha “Cidade Limpa”. Minha esperança diz que minhas respostas de oração estão quase todas lá. Então vamos a elas. Sem falar que deixar Sorocaba será de grande alívio. Embora seja uma grande cidade, não fomos muito felizes nela. Tivemos perdas enormes aqui e, algumas, irreparáveis. Uma pena, claro.

Mas a vida sempre recomeça no Natal e no dia de nosso aniversário e isso para todos os signos do zodiaco. Mais felizes aqueles que podem ter as duas coisas no mesmo tempo, acho. Se non è vero è bene trovato.

121413_0141_Amoref2.jpg

1 thought on “Natal, sob o signo de Capricórnio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *