A Gruta do Lou

Meu monastério, urgente!

Paulo Brabo (Bacia das Almas) e Ricardo Oliveira (Diversitá)
Paulo Brabo (Bacia das Almas) e Ricardo Oliveira (Diversitá


Sei muito bem que Jesus de Nazaré disse: “As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.”

Não sei se as pessoas entenderam bem o que ele desejava comunicar com esse chororo. Todos nós sabemos que ele andou se hospedando na casa de Pedro. Não se sabe por quanto tempo isso se deu, se era um aluguel ou coisa assim. Provavelmente, e segundo andaram dizendo lá em Nazaré, o Mestre das Bem Aventuranças não andava muito feliz com sua moradia. Como não podia pagar um aluguel, e se pudesse não o faria, afinal era judeu, dormia em um quartinho nos fundos da casa do Papa Pedro I, aquele destinado às segregadas empregadas, em meio a balaios, ferramentas e materiais utilizados na pesca. Imaginem o cheiro. Inclusive porque, Pedro era judeu, também, sem falar na sogra.

Tenho a sensação dessa frase ser um apelo desesperado por um lugar para morar digno de sua reputação monástica. Nesse caso, um monastério seria ideal. Algo parecido com a moradia do Paulo Brabo nas cercanias de Curitiba, salvo engano. Creio que todos sabem quanto o Brabo é imitador de Cristo.

Agora pasmem: eu não sou Cristo! Nem sei se quero segui-lo ou, muito menos imitá-lo. Pelo menos, não segundo o entendimento de quem imagina Jesus como um andarilho, cuja opção era dormir com os ursos em uma gruta qualquer. A menos que ele esteja logado no Twitter, onde estão os todos os caras a serem seguidos. Mas se entendi direito o significado dessa frase, então quero seguir o Mestre e encontrar um bom lugar onde reclinar a minha cabeça e de toda a minha família, inclusive dos nossos companheiros irracionais (segundo dizem).

Não sei se seria o caso de um monastério. Não somos muito dados à clausura, celas, auto flagelação e essas extravagâncias e exageros monásticos. Nossas opções lembram mais uma família mezzo italiana meio portuguesa (sem bacalhau) com influências lituanas e árabes. Nosso cristianismo costuma circular em meio a algumas garrafas de cervejas (ocasionais), vinho (quando a grana permite) e vodka. Sem dependência, acho. Pelo sim, pelo não, resolvi fazer penitência cuidando dos dependentes, antes que alguém me questione a respeito. Geralmente discutimos a Bíblia enquanto manjamos uma bela macarronada ou uma bela pizza.

Em suma, estou dizendo tudo isso para constrangê-los a me ajudar a encontrar uma boa casa em São Paulo, além de baratinha, muito confortável (no mínimo três quartos e com lavabo), sem fiador e com opção de compra. Prometo pagar os aluguéis, sempre que puder. Se você não tiver um imóvel assim disponível, tente incluir nossa necessidade em suas orações antes de dormir. Se você não costuma fazê-las, abra uma exceção hoje. Agradecemos, antecipadamente. Sabe, de repente, Deus poderá estar de bom humor, resolver seguir as orientações do C. S. Lewis e, abrindo uma global exceção, mandar ver um big milagre a nosso favor.

Lembro ainda que o caso é seríssimo e contém todas as consequências ruins possíveis e imagináveis. No geral, estamos mentindo a todos com lorotas do tipo: o ar de São Paulo é muito melhor para a saúde, Deus me enviou a São Paulo para pregar aos baianos, meu colesterol permanece no nível quando visito shoppings paulistanos diariamente, Sorocaba não passa de uma cidadezinha provinciana, etc.

Abra seu coração e estenda sua mão, as duas meu. Se até as raposas têm seus covis e as aves do céu seus ninhos, porque um cara legal como eu, quase um Jesus, não posso ter, ao menos, um sobradinho ou um AP na minha cidade predileta? Nem precisa me falar dos milhares de incrédulos maltrapilhos vagando pelas ruas da cidade. Espero não precisar prestar-me a isso para comover o Barba branca.

020714_2356_VivendocomA2.jpg

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

5 thoughts on “Meu monastério, urgente!

  1. Lou, o monastério do Brabo fica na região remota das Indias Ocidentais,
    deve ser um paraíso de sossego.Nós que gostamos do lado caótico das
    Indias Ocidentais, vamos ter que pensar num outro modelo…

  2. Glod bless you!Como diz uma amiga sua que não me lembro o nome.
    Certamente “o Barba Branca” estará olhando porisso.Como creio que Deus faz um pouquinho mais de milagres que o Lewis,logo vocês terão felizes notícias.Estaremos orando por vocês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.