A Gruta do Lou

Mendigando seguidores infiéis

Bom… bom, pessoal anda distante, talvez, ou será impressão minha?

– Pô, mas você não deixa comentário no meu, então, só de marra, não comento no seu.

Quem sabe eu tenha alguma razão boa para não comentar, nos quase cem blogs relacionados no meu Bloglines… Posso estar sem tempo ou com algum tipo de comprometimento pra lá de justificável, cansado de escrever ou alguma outra razão qualquer, menos falta de consideração com você. Sou um bode velho cheio critérios. O que mais adquiri ao longo da jornada foram critérios, diferente de certas estrelas cujo caminhar lhes encheu de propósitos. Sendo assim, penso muito antes de incluir um blog entre os meus escolhidos. Quero ler, comentar e fazer parte, mas não quero compromisso, porque não posso assumi-los.

Sabe, sou um cara muito esquisito. É sim. Tenho mania de ser fiel aos meus amigos, embora meus amigos tenham me traído simultaneamente e de forma contumaz, sem falar nas mulheres, lindas e maravilhosas traidoras. Foi assim que a Dedé me conquistou, sendo fiel, na vitória ou na derrota, na fartura ou na miséria até que a morte nos separe. A pior das atitudes não é abandonar a Gruta para ficar em evidência no Algoblog, Twitter ou qualquer outro estereótipo da vez, dói mais a indiferença e o menosprezo. Aliás, quero distância dessa gente estereotipada.

Nossa proposta, muito menos ambiciosa, é oferecer um prato de sopa feita com restos do CEASA aos nossos endividados, maltrapilhos e sofredores leitores. Gente rejeitada e menosprezada pelas pessoas, sistemas ou pelo nível estético, onde se situa a maioria dos nossos colegas blogueiros, não os meus amigos, óbvio.

– E aí meu, foi lá no Campus Party Br?

– Claro, e eu ia faltar nessa?

Haja paciência. Agora entendo Jesus e sua compulsão por pescadores, prostitutas e essa gente vira-lata.

– Sigam-me e os farei pescadores de homens.

Se o Mestre fosse garimpar discípulos entre os membros do nível estético estaria frito. Os caras viriam com aquele papo dúbio: espera eu enterrar minha família, preciso cuidar da minha casa, agora não dá e sei lá o que mais. Mas ele foi paradoxal o suficiente para garimpar entre aquela gente excluída e esquecida. Parece ter dado certo, embora fosse algo sem propósitos.

Mas não nego, sinto dores por meus amigos traidores. Deve ser aquele amor masoquista, ao qual o Fromm se referiu no livro dele (A Arte de Amar).

Chega, fecharei para balanço, até a meia noite.

18 thoughts on “Mendigando seguidores infiéis

  1. Lou!!! Tenho estado todos os dias por aqui.
    Não tenho Blog,não sou uma pessoa culta,mal fui alfabetizada.
    Minha formação acadêmica se resume a Escola Isolada do Empoçado-
    Bituruna PR ( l956 a l959 ) uma escola rural.É claro que frequento
    há 6 décadas, a chamada Escola da Vida,que me acrescentou algumas
    coisas e me tirou outras…
    Aprendi,por minha conta,a ligar um computador em agosto do ano pas-
    sado.Com ajuda de um dicionário de informática,vou aprendendo os
    termos usuais e tento me inserir nesse novo mundo.

    Mas, sou só uma, talvez isso não faça diferença alguma…

    Agradeço muito sua presença e tenho incluído você em minhas orações. Como disse, não são os fieis grutenses, mas, ao longo de três anos, muitos deixaram de comentar, embora visitem. Aliás, a frequência está sempre aumentando, inexplicavelmente. Estou com saudades de uma pá de gente que já circulou aqui com grande participação. Coisa de um senhor com medo e cheio de angústias pela vida.

  2. Lou, eu o visito de vez em quando, não tão de vez em quando… e só comento quando tenho algo a acrescentar, uai… bjs

    Claro, uai, a carapuça não é sua, acredite. Obrigado pela presença.

  3. Lou,
    sai dessa.
    Já me conheces o suficiente para saber que esses textos nem me comovem, nem convencem.
    Mas ok, é um desabafo. Se te sentes bem, deitando tudo para fora, em frente.
    God bless you,
    T.

    É verdade, inclusive cheguei a pensar: hoje vai ter bronca da Tinoca. Mas pelo menos ganhei um comentário, mesmo que seja uma boa bronca. 🙂 God bless you too.

  4. Lou,vou dizer algumas coisas pra você. Em primeiro lugar,estou grutando há pouco tempo mas tenho me divertido muito aqui, além de haver aprendido muitas coisas. Não me incomodo em estar visitando blogs da moda. Continue seu trabalho, pra mim tem valido a pena, sem puxação. O único site que visito e que é famoso, você sabe bem qual é. Mas não o faço com o desejo de estar por dentro da onda, faço porque vejo conteúdo. (minha opinião). Para mim a Gruta tem grande valor, tenho até sido insistente e fiel. Sou uma pessoa simples. Como disse nossa amiga, não tenho blog, não sou culta, mas tenho marcado minha presença aqui. Continue firme amigo, vá em frente, precisamos docê! Abraço.

    Obrigado pelas palavras. Seguramente, a bronca não era para você. Na verdade, aprendi nesses anos sobre a necessidade de estimular o pessoal a comentar, especialmente um grande grupo (a maioria) que não sente liberdade para fazê-lo e às vezes o estímulo precisa ser bem emocional mesmo, quase uma chantagem. Sem falar nos sumidos, os mais visados, dessa vez, que não é o seu caso, nem de longe. Fique me paz.

  5. Que bárbaro, a Jacira criou o verbo grutar, momento histórico Lou.

    A sopa de cebola do CEASA é muito boa.

    Lou, pelos meus conhecimentos de antiga grutense, essa é a época em que você anuncia que vai fechar a gruta não é mesmo? para conferir o grau de popularidade? Cuidado heim?

    Fique tranquila, em termos de chantagem emocional, perco longe para Jesus, pois fico só na ameaça de fechar a Gruta, enquanto ele foi e morreu mesmo, para nossa miséria.

  6. Pessoal, vamos dar nomes aos bois, digo infiéis: Paulo Brabo, Volney, Rubinho, Vilma, Jorge, Alê, Lú, Wander, Viviana, Anderson, Camila, Neli e uma pá de gente com quem mantenho uma relação de absoluta infidelidade e muita traição.

    Vocês são o remanescente fiel e essa carapuça não lhes cabe.

    Abraço Brabesco a todos.

  7. Agora essa não percebi…!
    Faço parte dos infiéis ou do remanescente fiel?

    Com certeza você faz parte do remanescente fiel, completamente infiel, dos quais sou o primeiro. 🙂

  8. Lou, meu querido!

    Acho que estás sendo injusto comigo… 🙁

    Eu por acaso estive aqui ontem à noite, à ler-te

    Só não deixei comentários…

    beijos sentidos

  9. Vilme, Neli e todos os queridos infiéis da Gruta

    Vocês são parte do acervo dos infiéis grutenses que fielmente espreitam aqui a cada novo dia. Grutenses nunca se arvoram a reivindicar a coroa porque sabemos o que somos. Mendigamos o pão nosso de cada dia certos de nosso infidelidade e conscientes de nossa existência maltrapilha, como bem coloca o Manning. Pessoalmente os citei, pois vocês formam os alicerces desse blog e sobre vossos ombros deposito minha confiança de verdadeiros irmãos em cristo e companheiros na nossa caminhada rumo ao Golgota.
    Mesmo quando não deixam suas palavras amorosas e sábias, sei que estão por aqui e, embora lhes sinta a falta, posso sentir o aroma de pecadores carentes do perdão de nosso Cristo.
    Em verdade, choca-me a ausência continua de outros mais de duzentos, às vezes trezentos que nunca se apresentam, jamais se revelam e me deixam com a sensação de estar falhando feio em minha função de abraçar os endividados, estressados, deprimidos, maltrapilhos, etc.
    Claro que ao abrir minha caixa de comentários, meus olhos brilham quando vejo um comentário de qualquer um de vocês, sempre uma honra não merecida. Vocês são meus adoráveis amigos infieis aos quais correspondo com a minha mais fiel infidelidade, afinal sou tão pecador quanto cada um de vocês.
    Beijos em profusão

  10. Ah, bom! Agora estou mais “felizinha”!

    E você, com 2 comentários meus em um só dia, hehehe

    Como já dizia não sei quem: “quem não chora não mama!”,hehehe

    Boa semana, Lou 🙂

    Tá vendo o meu ponto? A frase deve ser de algum bebê malandro, feito eu. 🙂

  11. ô Lou,entendo que esse pessoal que você citou e disse serem os mais “visados” por serem companheiros de longa jornada e “conscientes de sua existência maltrapilha,que formam os alicerces desse blog,onde tais ombros deposito minha confiança de verdadeiros irmãos em Cristo e companheiros na nossa caminhada rumo ao Gólgota”,sejam sem dúvida no seu coração seus mais queridos e antigos parceiros por razões que só Deus e você saibam, porém que talvez e de agora em diante vai ter que enxergar também em novas pessoas,mesmo sem os predicados dos mesmos, até quem sabe mais maltrapilhos ainda, o mesmo caminho no Caminho do Reino…

    Bobagens, deixe-me dar uma lição grátis de um blogueiro mais antigo: Nunca cite ninguém se não puder citar todos. Citações geram discórdia, discórdias geram discussões e discussões, rompimentos. Era só para colocar mais peso nas costas dos mais experientes, nada mais. Na verdade vocês e eles são os que não precisavam levar o pito. O texto visava os sombras e alguns malandros. Nenhum de vocês. Mas, agora a Inês morreu.

  12. Oi Jacira ! Eu também me senti assim…tipo “estagiária” que não tem
    certeza se vai ser efetivada, pois o contingente efetivo é de grande
    gabarito, mesmo andando meio desmotivado…

    Para com isso, estou ficando roxo de vergonha… 🙂

  13. Lou: Sem dúvida que o povo de Deus é mesmo maltrapilho.
    eu mesma me vejo como a principal.
    E tu Lou, és do mais louco que conheço!
    😀
    Um abraço meu infiel amigo.

    Você não conhece ninguém mais louco que eu? Xiiiii… preciso me cuidar. 🙁

  14. Lou…
    o que dizer?
    não tenho comentado como comentava, mas você observador como é, já notou que não tenho postado como postava também, logo é fácil notar que as coisas andam complicadas…
    a Gruta continua tendo para mim a importancia de sempre.
    e faço a mesma pergunta da Vilma!!
    🙂
    🙂

    A resposta é a mesma da Vilma, ué. Se não tem mais tempo para postar, largue tudo o que está fazendo e venha postar. 🙂

  15. Tá vendo Lou resmungão, tinha mais de sete mil fiéis que não se dobraram a Baal.

    Mas esses são todos pontas firmes. Tudo café com leite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *