A Gruta do Lou

Manhã de Carnaval na Gruta

Odete LaraOdete Lara

É manhã de carnaval na Gruta. Medo, tenho muito medo. O Carnaval está chegando em um momento crítico para mim e para minha família. Não mencionarei os porquês para não alertar as forças inimigas para minhas vulnerabilidades. Mas lembrei dessa música, tão conhecida, e pensei como gostaria de cantá-la, como a Odete Lara fez certa vez a pedido do monge vietnamita Thich Nhât Hanh, ou seja, com o coração cheio de alegria e agradecimento.

Nesses dias estou mais do que engrutado. Tenho medo que Saul descubra meu esconderijo e venha me matar, finalmente. Opa! Esse escapou. Semeei vários campos mas não vi, até agora, nenhuma plantinha germinar, se quer. Alguma coisa está dando errado nesse processo. Talvez aquele cara que estragava as plantações de Jesus plantando joio junto com o trigo esteja fazendo o mesmo com as minhas, aquele maldito.

O carnaval não trará das cordas do meu violão nenhum novo amor para mim. Eu já recebi essa cota na vida e ela veio em dobro. Gostaria que meu instrumento musical trouxesse paz e, nesse momento, ela atende pelo nome de saúde e vida plena para nosso filho. Seria completo se essa viola pudesse criar meios para eu continuar tocando nosso projetinho de viver nesse mundo confuso.

Quem sabe Deus não é mesmo como um instrumento musical. Mas aí, todo mundo teria que ter o talento e não apenas alguns, como quis a santa injustiça divina. Ao invés das novenas e das incansáveis e ridículas correntes, bastaria dedilhar nossa harpa, como fazia Davi ou o violão do nosso amigo abaixo, e pimba, nossos amores viriam nos contemplar.

Se eu tinha algum talento musical, nem que fosse uns dois por cento, já o passei ao Pedro (meu filho) como herança de grego e Deus sabe como me arrependo disso. Imaginem que ele vive sonhando em ser músico, enquanto o carnaval vai passando ano a ano. Não consigo fazê-lo entender que o mundo é dos advogados, dos médicos e dos engenheiros, principalmente dos que se fizeram políticos ou pastores.

Ó, não achei a música ainda e não tenho como rodá-la aqui no blog, por enquanto. Meu novo servidor parece ser adepto da propaganda enganosa, como tantos. Também, prometer tudo aquilo pelo preço que cobra, só podia ser palha. Fique com a letra, pelo menos e tenha um feliz carnaval. Tente não pular muito, isso fará um mal danado, principalmente aos que serão insanos o suficiente para se meter em algum retiro espiritual. Nesses dias os anjos não terão tempo para retiros, pois estarão muito ocupados nos desfiles e salões dirigidos por rei Momo. Sábio seria acompanhá-los e quem sabe distribuir as “quatro leis” aos foliões. Isso seria uma ajuda e tanto aos seres alados! 🙂

Uma opção boa será vir aqui, todas as manhãs de carnaval. Estarei presente tocando meu violão do meu jeito, em cada dia, salvo algum imprevisto. Quem sabe você não encontra alguma de suas respostas nas notas que deixarei escapar?

Toma lá:

Manhã, tão bonita manhã
Na vida, uma nova canção
Cantando só teus olhos
Teu riso, tuas mãos
Pois há de haver um dia
Em que virás
Das cordas do meu violão
Que só teu amor procurou
Vem uma voz
Falar dos beijos perdidos
Nos lábios teus

Canta o meu coração
Alegria voltou
Tão feliz a manhã
Deste amor

 

 

Capricornio PB

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

4 thoughts on “Manhã de Carnaval na Gruta

  1. Gostei da música, mas acredito que nos dias de carnaval,ou em qualquer dos dias, em vez de retiro espiritual,ou ficar enfiado em qualquer lugar,devamos estar no meio das gentes fazendo diferença no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.