A Gruta do Lou

Mais de dez mil acessos/dia à Gruta


Ae gente boa, A Gruta vem atendendo ao respeitável público endividado, maltrapilho, deprimido, enfim sofredor, no plano espiritual, claro, no link http://www.lhmbrasil.com.br/blog. Quem manja do babado consegue entender, só de olhar, que as pastas contendo os arquivos da Gruta encontravam-se, muito provavelmente, na pasta “blog” da hospedagem lhmbrasil.com.br.

Aconteceu um fato “sui generis”, gosto dessa expressões em latim, embora non capisco niente sono  dela.. Dia desses estava eu deixando o tempo passar, enquanto trocava bobagens no Facebook, coisa que gente como eu e os pastores mais ricos do Jardim Marajoara e adjacências praticamos regularmente, eles por viverem no luxo e eu no lixo, quando eis que surge o alvinegro imponente, a saber o amigo Davi Barbosa, respeitável trabalhador do Google Adsense e um dos meus amigos daquela infame Rede Social.

Havia eu, imprudentemente, revelado um dos segredos mais bem guardados de nossa Gruta, ou seja, que nossa média de visitas e acessos ao blog durante os dias uteis da semana era de 200 corajosos, mas que esse número caia para algo em torno de 100 nos dias dos fins de semana, mais conhecidos como weekend. Sem imaginar, despertei no Davi alguma coisa inexplicável e ele surgiu, quase brabo, informando que não podia ser. Claro que pensei algo do tipo: “Putz, acho essa frequência uma merreca, embora não possa desdenhar ou prescindir dela e lá vem o cara me desmentir”. Mas percebi meu engano rápido. Ele me informava que tinha uma frequência de 150 mil nos dias de semana e que nos fins de semana ela subia para algo acima de 200 mil. Acho que até fiz um comentário irônico a respeito, embora isso não seja muito comum.

Caraca, 150, 200 milllll. Nunca havia feito ideia de uma possibilidade dessas, nem naquelas orações de afirmação positiva que aprendi com o Yougee Cho e o Jorge Tadeu. Minha maior felicidade, ele que me desculpe, aconteceu no dia em que o Michael Jackason morreu e tive a brilhante ideia de homenageá-lo. Foi coisa sincera, mas trouxe mais de 1500 caras para ver. Para mim, números espantosos como esses eram coisa para a Ana Paula Valadão, Pavablog, Malafaia, Gondim, Yoani Sanches e toda essa gente excêntrica, às vezes bizarra, mas super cortejada, quando eles não esquecem de pagar a conta do servidor. Nunca para uma Gruta humilde, onde só gente desprezada costuma nascer, viver e morrer.

O Davi e eu trocamos 87 mensagens naquele dia, no Facebook. Do alto de sua competência, ele logo descobriu que a Gruta estava hospedada em uma pasta e isso era interpretado pelo Google como um subdomínio. De fato, a Gruta já possuía, há algum tempo, dois subdomínios direcionados para o que eu considerava nosso domínio (com /blog no final), a saber: http://www.agrutadolou.blog.br e http://www.agrutadolou.com.br . Então ele me sugeriu e eu concluí da necessidade da Gruta funcionar em um domínio, com suas pastas hospedadas na pasta raiz (ou principal). A escolha foi rápida, http://www.agrutadolou.com.br. Esse é o domínio atual da Gruta. Se você clicar nos outros, eles o levarão à Gruta, também, pois estão redirecionados, devidamente.

Segundo verificação do Davi, a categoria em que o nosso domínio está inserida indica que deveríamos estar recebendo cerca de dez mil visitas e/ou acessos dia. Veja bem, eu escrevi dez millllll.

Quem mexe com blog, WordPress e essas coisas, sabe o trabalho que dá fazer uma mudança dessas, sobretudo, quando você descobre que seu servidor não lhe dá nenhuma ajuda nesse processo e pior, coloca limitações inexplicáveis (como limitar a possibilidade de restauração de arquivos de backup ao tamanho de 2 mb; o backup da Gruta tem quase 50 mb). Acabei descobrindo como fazer isso e ficarei com os méritos, pois pretendo divulgar o método descoberto. Até tentei voltar para o servidor antigo (Kinghost) que não tem nenhuma limitação nesse sentido e ainda oferecem suporte para fazer a mudança toda, mas eles dobraram o preço para revendas e só ofereceram desconto para os três primeiros meses, mesmo tendo sido cliente por mais de dois anos.



Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.