João Machista

Por aquele tempo Herodes, o tetrarca, ouviu os relatos a respeito de Jesus e disse aos que o serviam: Este é João Batista; ele ressuscitou dos mortos! Por isso estão operando nele poderes miraculosos. Pois Herodes havia prendido e amarrado João, colocando-o na prisão por causa de Herodias, mulher de Filipe, seu irmão, porquanto João lhe dizia: – Não te é permitido viver com ela. Herodes queria matá-lo, mas tinha medo do povo, porque este o considerava profeta.”

Terminei o treinamento, em dois dias, de telemarketing para três jovens de uma igreja próxima. Eles não poderiam pagar um curso profissionalizante agora e me deram a oportunidade de treiná-los. Embora tenha sido, para mim, um trabalho não remunerado, já que eu estava disponível para essas benemerências, fiquei imensamente feliz em ajudá-los. Os três serão aproveitados imediatamente nos trabalhos sociais e eclesiásticos realizados pela igreja.

Talvez alguns dos meus amigos me critiquem, via Twitter, por ter contribuído dessa forma com gente dessa laia, esses incautos frequentadores desses ministérios neo pentecostais e crédulos com essas doutrinas apócrifas como a da prosperidade.

Embora não comungue nem de uma coisa nem da outra, não vi nada de mal em fazê-lo, pior, sou amigo do pastor, da família dele e da maioria das pessoas da igreja deles. Descobri que eles são gente como eu, com erros e até alguns acertos, imagine.

Daí, lembrei do João, sim o João Batista, primo de Jesus e filho de Isabel, tia do Mestre Galileu, nosso salvador. João não era um cara legal. Além de um monte de excentricidades, tais como comer gafanhotos, mel silvestre, não tomar banho e vestir-se como um maltrapilho errante, era preconceituoso, machista e reacionário.

Imagine você que ele recriminava o adultério, o divorcio e o incesto. Com certeza não era favorável aos movimentos gays. Você pode pensar em alguém mais retrógrado e não alinhado do que João? Fora eu claro. Sem falar no detalhe de que esse cara era um ressuscitado, coisa pouco comentada por aí. Só não informaram o autor do milagre, a menos que o primo dele tenha feito das dele antes da hora.

Bom, Jesus não era nenhum exemplo de cristão pós moderno, também. Só aceitava divórcio em caso de mulher adultera. Poucos foram mais machistas do que ele, sem falar que ele concordava com o primo, só não tinha a mesma coragem de andar por aí sujo e errante. Dizem que o feminismo começou nos tempos do Mestre.

Agora, Herodes era um cara legal. Provavelmente era membro de algum desses partidos da situação que chegou ao governo como defensor dos trabalhadores e das minorias. Uma vez lá, locupletou-se e virou adepto do sistema ditatorial de Cesar, mensalões, dossiês, apoio a senadores corruptos, etc. Se não me engano, foi dele a ideia da primeira Bolsa Família da história.

Herodias era líder de algum grupo feminista, defendeu o casamento gay no congresso e a filha a secretária executiva desse segmento, além de lésbica. Como você sabe, os três mandaram cortar a cabeça de João, aquele degenerado. Nem Twittter ele tinha.

Provavelmente poucos notaram, afinal ele era um pobre diabo desempregado e burro o bastante para escrever no próprio blog um monte de palavras subversivas capazes de levar o companheiro Herodes a desejar sua morte. Se bem que os blogs e twitters da época eram escritos na areia e na primeira maré alta, apagavam-se. Jesus também mantinha o dele.

Mas voltando ao João, ele me lembra que preciso melhorar muito, ser mais twitteiro, mais a favor da Globo e ficar contra o Bispo. Gente como João não vale a pena. O cara era o maior chave de cadeia e o primo dele, mais ainda. Todos nós sabemos como e onde eles acabaram.

Precisamos ser mais modernos, adeptos do divórcio, do homossexualismo e da pena de morte. Preciso praticar mais a arte de enaltecer a Jesus escondendo suas incoerências incomodas, tais como, aquela mania de dizer que seu ministério era voltado aos doentes, pobres, endividados, viúvas ou que seu reino não era desse mundo e todas aquelas bobagens utópicas que você conhece tão bem quanto eu.

No próximo concilio canônico, que deve estar próximo de acontecer, certamente retirarão essa heresia relacionada a João Batista ou mudarão o nome dele para João Machista.

Author: Lou Mello

13 thoughts on “João Machista

  1. Pingback: Lou Mello
  2. Meu pai, pouco mais sutil do que vc, escreveu tb sobre o divórcio, postagem que fiz hj no blogue dele.
    A maior prova que João era machista é ele não ter casado. No que foi imitado pelo primo…

    Li o texto do seu pai. Concordo está mesmo mais sutil. 🙂 Entretanto, exalta o casamento. Agora, cá entre nós, eles não poderiam ter casado ou se casassem, estragariam toda a pregação em favor do celibato da igreja católica, apostólica e romana. O que me deixa muito desconfiado.

  3. Lou

    Desse jeito você acaba sozinho, primeiro briga com os ortodoxos, agora com os libertinos (e não tente me convencer de que isso é uma defesa…risos)

    Do jeito que você anda daqui a pouco acaba eleito vereador em Votorantim.

    Rubinho

    A série escrita pelo Rubão está ótima. Apesar dele ser muito calvinista demais para o Lou.

    Adiron

    Gosto de pensar que meus filhos têm razão quando dizem que não sou confiável. Não tenho posições muito definidas, o mais próximo seria pensar em mim como um anarquista dos piores, desses capazes de ver defeito em tudo e rigorosos consigo mesmos para aceitar virtudes, muito menos nos outros. 🙂 O meu problema com o calvinismo não é só o fato dele dar certo, coisa que me enerva, mas eu não ter mais tempo para estudá-lo e chegar a um entendimento, mínimo que seja, para poder aplicá-lo. A idéia da vereança não é de todo ruim, ao preço dos salários atuais até que daria para encarar.

  4. LH, não gosto de por silicones e botox em Maria Madalena, nem de trazer o Monte das Oliveiras para os jardins das casas de bispos contemporâneos. Cada coisa tem seu tempo nesse mundo, como dizia o doido do autor do Eclesiastes.

    Bom, nesse caso você terá duas opções para viver seu cristianismo. A primeira será fazer a famosa ponte, trazendo os princípios do tempo bíblico e aplicando-os aos nossos dias, com botox, silicone, etc. A segunda opção será viver literalmente, como se vivia nos tempos bíblicos, sem celular, computador, Ipod, Iphone, etc., coisa que o Tolstoi tentou e não foi feliz. Não sei se ajudei.

  5. Pode misturar os dois? Tem uma terceira via? Será que eu aguento mesmo esse negócio de cristianismo?

    Misturar é o que todos nós fazemos, se não me engano. Não creio que o cristianismo seja suportável, a menos que você o faça mais ou menos.

  6. Lou

    Na sua próxima visita à São Paulo eu te empresto minhas Institutas. Prefere em português, inglês ou latim?

    Terei que optar entre em inglês ou em latim, pois tenho em português e, pasme, já a li. Mas é aquela, com português de Camões.

  7. Comedor de ganhafotos com mel, não gostava de tomar banho, maltrapilho…era o protótipo “riponga”…tinha que estragar tudo sendo machista e preconceituoso???
    Deu no que deu, perdeu a cabeça…

    É, não se faz mais machões como antigamente. 🙂

  8. Raquel

    Acho que você matou a charada. O post do Lou é uma homenagem aos 40 anos de Woodstock

    Creio ter o dever e o direito de homenagear Woodstock Festival, mas não fui capaz desse ato de nobreza. Queria mesmo era avacalhar a velha e boa hipocrisia reinante no pedaço evangélico, que mesmo sendo esmurrada pela turma do “ayon tos kosmos” faz de conta que não tá nem aí.

  9. Lou,

    Ótimo texto. O “ironimetrônomo” de meu navegador web acusou 100%. 😀
    Nada como um belo post para estapear a “grande mídia” e seus lacaios, que adoram surrar os cristãos.

    Graças a Deus um comentário positivo, depois de ter meu querido ego esbofeteado pela turma aí, quando tudo que desejava era um mero afago em meu simpático sabotador interno. Obrigado e esteja conosco eternamente.

  10. Pingback: prjulio
  11. Tive que ler esse texto pro meu pai Lou! hasuhausa Mto bom! Apesar que eu não sou uma pós moderna completa, afinal, não tenho Twitter!

    Melhor se cadastrar rápido. Nunca se sabe. Espero que seu pai saiba perdoar

  12. Luiz Henrique, estou pensando fundar a Primeira Igreja Machista Independente de Sorocaba, e pensei em você.

    Claro, a opção correta, já que não temos um João. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *