Igreja Batista da Lagoinha esvaziou durante mensagem do Promotor Público Federal Dallagnol

Igreja evangélica esvaziou durante pregação de Dallagnol — e pastor chamou fieis de “tolos”.

Hermes C. Fernandes

Que pastor midiático esperaria que seu rebanho virasse as costas e deixasse o templo no momento em que seu púlpito fosse entregue a um procurador responsável pela Lava Jato?

Pois isso ocorreu em agosto passado na igreja da Lagoinha, em Belo Horizonte, no “culto fé” dirigido pelo pastor e cantor André Valadão.

Enquanto Dallagnol falava, apresentando um powerpoint, as pessoas começaram a sair do templo, esvaziando o local.

Na semana seguinte, Valadão fez críticas ácidas aos frequentadores. O vídeo viralizou apenas esta semana, misteriosamente.

Segue abaixo o desabafo do Pr. André Valadão

Fonte DCM   

 

Author: Lou Mello

Olha só, pessoal assíduo na Gruta (carinhosamente grutenses) já está careca de saber quais são as minhas graduações e tentativas de pós, etc.

Pessoalmente, dou pouco valor a tudo isso. Escolas e Universidades praticam o monopólio dos diplomas e a ajuda é sempre muito relativa. Estudei a Bíblia e ainda o faço, dei aulas em várias escolas teológicas, até o pessoal encerrar minha carreira, nessa área. Acho que não me achavam adequado, sei lá.

Valorizo muito mais os meus mentores, tais como Dr. Russel P. Shedd, Dr. Zenon Lotufo Jr. e Dr. Dale W. Kietzman.

Meu espírito é missionário. Plagiando o Amir Klink, “Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para desejar estar bem sob o próprio teto.
Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”. Eu viajei e ainda pretendo viajar.

Atualmente, continuo acalentando o Projeto Corações Valentes, embora ele não tenha vingado ainda. Talvez sinta falta do Thomas, tanto quanto eu sinto.

Além de lecionar (Ef. Física e Teologia), ensinei organizações não lucrativas a fazer amigos para ter sustento e, também, tentei ajudar as pessoas a crescerem através da mudança comportamental. Sonho em treinar professores em prática de ensino, quem sabe…

A Gruta surgiu como a forma ideal para a prática de algo que sempre gostei muito de fazer, ou seja, escrever e me livrar dessa coisa interior que pressiona meu peito com potencial para me matar. Tenho alguns projetos de livros em andamento, quem sabe ainda edito um ou alguns deles, antes de fazer a travessia.

Gosto música, literatura em geral, educação, astronomia (minha segunda paixão secreta, Ih falei).

Sou o principal leitor de tudo que escrevo. Ter leitores sempre foi algo inimaginável para mim, e ainda me surpreendo com as pessoas lendo meus escritos, comentando, enfim.

1 thought on “Igreja Batista da Lagoinha esvaziou durante mensagem do Promotor Público Federal Dallagnol

  1. Não faria o que fez o André Valadão. Ele é novo ainda e aprenderá a lidar melhor com situações como essa, talvez. Tantos políticos e pastores corruptos já ocuparam os púlpitos das igrejas e poucos viraram as costas para eles.

    Ao contrário, o Dr. Dallagnol é promotor público federal, com pós graduação em Harvard, encarregado das investigações da Lava Jato e imagino que sendo cristão, mais seu compromisso com a manutenção da Lei e da ordem, trabalha para desmontar a rede de corrupção que está assolando nosso país.

    Ficou sem nexo a atitude do povo nessa noite exótica. Se tivesse que adivinhar a razão dessa atitude, apostaria todas as minhas fichas na alienação. Afinal, que tipo de cristão frequenta a Igreja Batista da Lagoinha?

    Seria um grande elogio determinar que essa gente tenha alguma posição política e, muito menos, alguma ideia sobre o trabalho do Dr. Dallagnol, o juiz Dr. Sérgio Moro e suas equipes.

    Não creio nem que essa gente pudesse ter alguma atitude de protesto. Provavelmente, algum liderzinho deixou o palco para ir ao banheiro e eles entenderam como sendo sinal para todo mundo picar a mula, mesmo porque estavam ali perdendo o Big Brother que rola no mesmo horário.

    Agora, que foi punk, ah, foi. Adoraria estar presente, mas não vou pois tenho medo que alguém me faça um self e poste no Feici. Já pensou?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *