A Gruta do Lou

Grandes Líderes

Já mencionei aqui a coincidência de dois grandes líderes cristãos de nossa geração perderem um filho em abril desse ano, o Rick Warren e eu. Imagino o seguinte, você deve estar pensando o quanto Rick é mais importante se comparado a mim. Entre outras coisas, discursou na primeira posse do Presidente Barack Obama, fora a conta bancária dele, uma elefantíase em relação à minha e o fato nada desprezível dele ter nascido na América certa.

Em 27 de julho, o Rick começou uma série de pregações cujo tema era o Luto. A saber, ele tratou dos seguinte tópicos: o choque, a tristeza, a luta, a entrega, a santificação, e, por fim, o serviço. No último dia, seu título foi “Não desperdice suas dores”. E
suas conclusões foram:

1) “a nossa mensagem mais profunda da vida, muitas vezes aprofunda a nossa dor”.

2) Deus muitas vezes usa a dor para cumprir seus propósitos em nossas vidas.

3) Eu posso suportar a dor, se eu vejo um propósito nisso

Terminou dizendo: “Mas, infelizmente, a maioria das pessoas desperdiça o seu sofrimento, não tira proveito de seus problemas e nunca aprende com suas perdas” – completou o pastor em sua pregação.

Do fim para o começo, para terminar a comparação entre os dois grandes líderes citados, nunca discursei na posse de nenhum presidente. No máximo, paraninfei turmas de seminários, digamos, mais humildes, quando dava aulas de teologia nesses lugares. Ninguém me entrevistou, embora seja eu um grande líder cristão. Depois, não fui capaz de articular muita coisa, nesse período. Minha produção de posts caiu catastroficamente e, para piorar, perdi vários escritos após o ocorrido, sobretudo aqueles onde eu execrava o cirurgião, sob quem, meu filho pereceu.

Entretanto, vale dizer, caso tivesse uma igreja igual a do Rick para me ouvir, e nem precisava tanto, uma igrejinha com uns mil gatos pingados seria suficiente, e não sofresse tamanha dor pela perda do meu filho, me possibilitando a proeza de discursar em cima do episódio, minhas palavras seriam outras. Coisas de grandes líderes.

Acho muito estranho esse negócio de Deus matador. É isso mesmo, o pessoal diz: Deus levou meu filho. Levou pra onde senhora? Se Deus levasse meu filho eu estaria festejando até agora. O problema é, o velhinho Criador não costuma praticar assassinatos. Nem Ele e nem o filho dele, outro filho perdido por um grande líder, no caso, o maior de todos. Não sei, igualmente, se Deus usa a nossa dor para nos ensinar qualquer coisa. No máximo, imagino, temos a capacidade de aprender com nossas burradas. Faz parte do exercício de nossa inteligência emocional ou racional, simplesmente. Eu aprendi a nunca mais confiar em cirurgiões. Pior se for o tal, desses cujo ego não cabe mais na cabeça. Seres humanos não costumam trafegar bem com seus egos inflados e/ou muita grana rolando para dentro de seus tesouros escondidos, onde o Collor pode confiscar a qualquer instante ou a traça e a ferrugem possam lograr êxitos. Garanto a vocês, Deus não me ajudou em nada para chegar a essa brilhante conclusão.

Se Deus pretendia cumprir algum propósito na minha vida ou com ela, ele faria aquelas suas costumeiras aparições bizarras, como na vez da sarça ardente ou naquela na porta da gruta onde Elias estava escondido, em minha opinião. Grandes líderes cristãos gostam de esconder-se em grutas por aí, certo? Uma coisa é certa, ele jamais mataria meu filho para ensinar-me alguma coisa. Jesus quase desenhou essa verdade para os caras de seu tempo entenderem que seu Pai Celeste não comete esse tipo de insanidade.

Meu, não há qualquer propósito na imensa dor presente em meu peito. Ela não estaria aqui agora se eu tivesse um mínimo de tutano. Coisa de grandes líderes. Continuo crendo em um Deus cujo desejo sempre é a favor da vida, capaz de dar, sim, seu filho para acabar com a dor de toda a humanidade. Refiro-me a essa vida presente, sim, toda imersa em dores causadas por nossas loucuras insanas e ignorantes. Alguns chamavam isso de pecado, mas saiu da moda.

Para liquidar a fatura, em grande parte a igreja está nessa situação caótica, onde se fala de tudo, menos do Deus original e suas insignificantes espiritualidades, por causa desses grandes lideres crentes em deuses que deuses não eram, eram deuses de pedra, de pau e de morte. Por isso estão se afundando, todos, a caminho do precipício, onde haverá choro e ranger de dentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *