A Gruta do Lou

Flor de Obsessão

Só tenho uma coisa a dizer sobre a Dona Norma Braga.

E o faço aqui, em minha casa.

Se ela estivesse disposta a fumar o cachimbo da paz, viria aqui para fazer sua proposta e não o faria em outro lugar, mencionando junto a minha ofensa, ( que nem ofensa era, mas acabou sendo), ocultando todas as agressões que ela e seus amigos deitaram contra mim lá no blog dela. Veja aqui. Mas se estiver interessado mesmo, leia todos os comentários que vieram desde a minha primeira participação.

Para mim isso é manipulação maquiavélica.

Agora ela está conclamando todos os leitores do Blog de meu amigo e ele, inclusive, para virem ver o post onde ela se identifica como personagem (que presunção). A mesma estratégia de antes: “Olha como o Lou é mau enquanto sou tão boazinha. Imagina falar aquilo de mim.”

Continua manipulando maquiavelicamente. E nada de desculpas ou arrependimentos.

Mencionei o fato da brincadeirinha com meu nome lá no blog amigo, também, (feito por um teólogo, com mestrado e mais graduações), quando todos já sabiam do caso. Melhor se não tivesse feito.

Como disse Martin Luther King (e ele aprendeu com Gandhi). Posso amar essas pessoas, mas, não conseguirei gostar delas enquanto nossos “ideais e caráter” permanecerem tão distantes.

Sinto por amigos queridos que estejam empreendendo grande e verdadeiro esforço para estancar essa ferida. Alias, espero pelo êxito de sua empreitada.

Como deu para perceber, estou longe do amor ágape de Deus. Sei que terei que aprender a amar meus inimigos. Mas, no momento, essa é a minha verdade. Também, não é nada tão grande. Tenho preocupações bem maiores que essa, no momento.

Só espero que não iniciem outra “Operação Bandeirantes” para nos caçar.

Se puder Deus, tenha piedade de nós, sim.

Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

7 thoughts on “Flor de Obsessão

  1. A Norma não é boazinha. Você não é bonzinho. Eu – e isso me surpreende todas as vezes que penso nisso – não sou bonzinho. Perco fácil a paciência, até com você.

    Longe do amor ágape todos estamos, amigão, mas nem todos dispendem o esforço que você dispende para ficar sozinho. Não imagino o que seja passar pelas angústias que você está experimentando, mas diferentes medidas de angústia todo mundo tem, até mesmo eu, até mesmo os nossos oponentes.

    Não vim aqui porque a Norma me constrangeu, não faz meu jeito ser manipulado tão fácil. Vim porque você me constrangeu.

    Em que o pecado da Norma é maior do que o nosso, mano? Em ter certeza de estar certa? Em sentir-se acuada e partir para ataques pessoais? Em ser maquiávelica? Em não entender uma ironia? Em sentir-se perseguida sem motivo? Em recusar-se a pedir desculpas e mostrar arrependimento? Em choramingar ao invés de optar pela maturidade? Em mostrar-se mais combativa do que disposta a ouvir? Em ter os amigos errados?

    Cara, seu amigo aqui pode ser acusado disso tudo e com exuberância. Não estou aqui para defender a Norma, que mal conheço, mas para defender você de si mesmo. Não vou deixar – absolutamente não vou deixar – que você sangre dessa ferida até morrer. Não vou deixar que você alcance a solidão completa que almeja mesmo sem saber.

    Dê algum indício de estar me ouvindo.

  2. Estou ouvindo.
    O que você está falando faz todo o sentido do mundo. Como diria meu amigo Zenon, costumo me sacanear. De fato, não quero ficar só e tudo isso contribui contra.
    Sou culpado de todos os pecados que acuso nela. É verdade. Vou me controlar. Obrigado.

  3. Lou: na verdade este tipo de discussões sempre existiram e existirão até ao fim dos tempos.
    Precisamos de aprender com Paulo. ele foi um grande exemplo para todos nós. Nunca permitiu ser vitima de ciscunstâncias em que o atacavam, antes, deu sempre a volta por cima. Para ele, mais do que tudo, importava que Cristo fosse conhecido e pregado. E uma pergunta eu faço: em que é que o reino de Deus e o seu avanço é beneficiado com tudo isto?
    Temos de dar cada vez mais espaço ao ser espritiual que somos… aí faremos a diferença!
    Um abraço amigo!

  4. Vilma

    Fiz o Reino de Deus andar um pouquinho para trás com tudo isso. Você usou a expressão correta: Não permitir ser vítima das circunstâncias, ou enredar-se nessas questões.
    Mas, já passou. Não sei se você viu adiante o encerramento do caso, no post Festa.
    Agradeço suas palavras e apreço. Fique em paz. Abraço para você, também.

  5. Li sim Lou!
    É verdade que precisamos de discutir e trocar ideias… somos diferentes. O problema que eu vejo é que perdemos demasiado tempo a apontar as falhas de uns e deoutors, conceitos e teologias… quando deixamos o mais importante de lado. E não preciso de dizer o que é!
    Deus te abençoe Lou!

  6. Esse Paulo com suas idéias mirabolantes. Onde é que se conta uma coisa dessas. Acho que ele está lendo Jesus demais.

  7. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.