A Gruta do Lou

´Fé tamanho grão de mostarda”


Então os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Por que não pudemos nós expulsá-lo?
E Jesus lhes disse: Por causa de vossa incredulidade; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.
Mateus 17:19,20

“Quando cheguei diante do corpo inerte de meu filho, naquela UTI que mais parecia um estábulo, fiquei sem chão. Não consegui entender onde falhara.

Durante quase 25 anos amei aquele menino que se tornou adolescente, depois jovem e finalmente um homem. Portanto, amava ele como amava Deus e a mim mesmo, portanto não foi falta de amor.

O amor é excelente. Nesse caso, tínhamos amor ágape irrestrito. Mas ele não foi suficiente para deter a morte. Durante alguns dias, chorava a todo instante. Sentia a pior dor (perder um filho) e, também, a sensação de abandono da parte de Deus.

Tempos depois, sofrendo como um louco, me ocorreu esse texto bíblico. Me dei conta, então, que tinha todo o amor por meu filho, mas minha fé era miserável. Se tivesse fé naquela noite, e não só amor, poderia ter evitado a morte dele ou até tê-lo ressuscitado, para vergonha dos médicos, enfermeiros e da ciência médica.

De certa forma, essa tese me consolou um pouco. Pude compartilhar essa conclusão com alguns e me confortei mais um pouco. Mas isso não era tudo.

Jesus ensinou seus discípulos, se tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda dirão a esse monte: Passe daqui para lá e ele passará, e nada lhes será impossível.

Sabe, somos limitados, não apenas por sermos matéria vivendo em um mundo onde tudo é concreto. Por isso, nos condicionamos à vida com um corpo andando por aí, graças à lei da gravidade. Quando esse corpo é ferido ou sofre alguma enfermidade, até fazemos orações por ele, mas tratamos o problema no hospital com a medicina.

Entretanto, se a medicina, limitada como é, não der conta do problema, estará tudo acabado para nós. Esse era eu naquela noite, frustrado ao descobrir que o meu amor não podia ajudar meu filho.

Depois descobri não ter fé suficiente e agora, perplexo com essa conversa de Jesus sobre fé tamanho grão de mostarda capaz de mudar um monte daqui pra lá.

Deus, era só isso que o Senhor tinha para me dizer?

Então, com amor ágape, Deus me lembrou que ele não é um homem. Ele criou o ser humano, homens e mulheres e colou-nos nesse planeta. Homem, mulher, corpo, alma, vida e lei da gravidade, o ser humano. Depois de uma pequena confusão inicial, acrescentou-se a morte por falta de ética desse ser criado.

Mas se tiver fé do tamanho de um grão de mostarda, mude esse monte daqui para lá e nada lhes será impossível. O que será isso?

Meu filho e todos os outros que já morreram, deixaram aqui seus corpos enterrados ou cremados, mas e a vida? Estava presa ao corpo? Enfim isso é tudo que somos capazes de ver.

Mas e Deus Criador do céu, da Terra e dos seres humanos, ele só pode ver o que nós vemos, ou Ele vê muito além disso? Sabemos que Deus sofre a morte de cada um de seus filhos, mas isso não lhe traz desespero. Qual será a razão disso?

Então me ocorreu algo: “só a fé poderia me levar além da morte”. A fé pode nos levar a ver o que Deus vê, ou ao menos, crer que Ele está vendo as vidas que já passaram por aqui, inclusive meu filho.

A tristeza de Deus, nesses casos, se dá por nossa tristeza gerada pela nossa fé menos do que um grão de mostarda, além da morte em si. Jamais será por causa de algum fim definitivo.

Cuidei de meu filho, male male, até sua partida. Agora ele está sobre o cuidado divino. Não tenho dúvidas que a situação de meu filho melhorou cem por cento. Onde eles estão, não sei como as coisas funcionam, mas depois da passagem pela morte, não há como morrer mais, muito menos ter um corpo que adoece ou se arrebenta.

Fora a possibilidade de uma ressurreição total, de todos que já passaram pela morte.

Esse é o milagre do tamanho grão de mostarda. Mandei meu monte para lá e ele foi, não meu filho que já estava lá, mas a minha visão sobre tudo isso.

Parei de ver só até a morte, já posso ver a vida que continua em outro lugar, mas agora sobre outro tipo de hospitalidade divina.

Imagine então se pela fé todos puderem transpor a morte e enviar seus olhares para além dessa barreira.

Então, mande esse monte daqui para lá, agora. Mas não esqueça de cultivar sua fé, pelo menos do tamanho de um grão de mostarda.

Busque ver, não o que você consegue ver agora, mas o que Deus pode ver, que vai muito além do que vemos sem fé.


Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.