A Gruta do Lou

Fé e tentação

fé-e-tentacao

Fé e tentação aparece com frequência nos evangelhos. Jesus as mencionou muitas vezes e fez dessas duas palavras as chaves para verdades maiores e imprescindíveis.

Escuto desde criança um ditado, dito de várias formas  e resolvi incorpora-lo à minha nova versão da Bíblia em duas de suas variantes. Diz assim: “Vinho, quanto mais velho melhor” ou “Panela velha é que faz comida boa”. 

Evidentemente, não é possível entender o significado completo desses ditados, enquanto não acumulamos experiência para tanto. Aos poucos, cada informação vai aumentando seu escopo, em nossa memória (local onde está guardado o aprendizado).  Esse fenômeno funciona para as questões espirituais, igualmente. Quando éramos crianças entendíamos e pensávamos como crianças e, agora adultos, entendemos e pensamos como adultos, ou pelo menos, deveríamos.

Jesus da Galileia foi levado ao deserto para ser tentado. Essa afirmação inclui grandes segredos para a vida espiritual cristã. Certamente, muitos fatos e acontecimentos da vida do Mestre, aqui na Terra, não estão relatados nos textos conhecidos. Todo o cuidado foi tomado, no sentido de preservar as partes mais importantes e relevantes.

A tentação de Cristo ocupa lugar de destaque em toda a narrativa conhecida. No Sermão da Montanha, Jesus voltaria a mencionar a tentação e, mais uma vez, em um momento solene, ou seja, ao ensinar a oração. Segundo Ele, solicitar a Deus para não nos deixar cair em tentação, deve ser um ato veemente e diário. 

Nos tempos de seminário, em uma aula de Novo Testamento, sob direção do Dr. Shedd, um de meus colegas perguntou ao professor se havia algum pecado irremediável. Sua resposta, se bem me lembro, foi: Não, mas cair em tentação é terrível, pois só será possível sair do limbo com a ajuda explicita de Deus. 

Mas essa não é a única razão pela qual o Nazareno tenha dado tanta importância ao tema, talvez fosse a última delas. Uma outra questão primordial aparece antes: a fé. Não cair em tentação é, antes de mais nada, o mais retumbante ato de fé. Significa abrir mão de algo impensável. Negar-se a aceitar quantias em dinheiro capazes de mudar ou suprir o resto de nossas vidas. Não usurpar o corpo de uma pessoa amada sob o risco de perdê-la para sempre. Rejeitar uma situação em que teríamos poder e autoridade para manipular a vida de outras pessoas, em proveito próprio. Negar-se a fazer parte de alguma atividade espiritual de natureza satânica que poderia nos dar enormes vantagens, no plano terrestre; e vai por aí. 

Fé estaria, então, muito mais ligada às nossas perdas relacionadas com as tentações evitadas e vencidas do que com os prêmios resultantes de alguma corrente de oração. Pessoalmente, caí em tentação inúmeras vezes. De outro lado, consegui vencer tentações terríveis com a fé e só com ela. Se aceitasse participar ou acomodar-me a certas propostas, minha situação de vida poderia ser muito diferente, hoje.

Essa atitude me livrou das consequências imediatas implícitas, a pior delas seria obter vantagens pessoais em detrimento dos outros. Ao vencer a tentação pela fé, posso não ter auferido benefícios para mim, mas ganhei bênçãos incalculáveis para as pessoas que deixei de prejudicar.  Levo uma vida mais difícil e apertada, sobretudo, pelas tentações vencidas. Entretanto, em termos do Reino de Deus, isso não é nada. 

Foi a fé vencedora de Jesus Cristo dizendo não ao demônio que salvou a humanidade do pecado e da morte eterna. Isso custou todo aquele sofrimento no Calvário e a sua crucificação. Mas Ele tinha certeza da vitória através de um ato inusitado de Deus, a ressurreição, no caso, abrindo o caminho para a vida eterna a todos. Em outras palavras, vencer a tentação pela fé não lhe trouxe benefício pessoal algum. Antes, salvou toda a raça humana. 

Não somos cristos menores. Somos o resultado e os herdeiros da fé de nosso Senhor. Ele disse que seriamos recompensados por nossa fé, ainda no tempo presente. Não tenho porque duvidar dessas palavras, ainda que minha fé não dependa disso. 

Peço a Deus, hoje e sempre, que não nos deixe cair em tentação e andemos pela fé, como os justos devem andar. Se cairmos, que nos estenda sua mão salvadora e nos livre da prisão resultante, o quanto antes, mesmo que isso represente perder as “conquistas” relacionadas, não importa o que, ou quem, seja.

Enfim, são palavras de quem já viveu e experimentou bastante, tanto das escrituras quanto da vida.

Capricornio PB

3 thoughts on “Fé e tentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *