A Gruta do Lou

Fala Sério

Lou na Play Boy

O Roger fez uma afirmação preocupante em nossos comentários: ‘Lou, nunca sei quando você está falando sério”.

Fiquei pensando nisso, nos intervalos da novela, do jogo do Corinthians, seriado, etc., óbvio. As primeiras coisas a virem à mente são as frases feitas na câmara do inferno reservada aos psicólogos, como: Será que eu me levo a sério? Meu pai era ausente e mamãe mais ainda. Estou vivo graças às empregadas, apesar dos pedágios. Ao me confrontar com minha mãe hipotética, na terapia, fiquei mudo. O Zenon perguntou: Não gostaria de dizer nada à sua mãe? Sim, uma pergunta: Quem é essa senhora? Ele desistiu. Não, isso não resolve o enigma Roger. Talvez a teologia, outra câmara lá do inferno B3.

Honrar pai e mãe é um mandamento e você está em pecado. Gente sempre às voltas com ironias e bom humor crônico está camuflando pecados enraizados. Vixe! Confio cada vez menos nessa gente. Seu filho nasceu assim devido a algum pecado não confessado, me disse o Pastor Eliezer. Custei a entender de quem ele estava falando, como ele era pastor, Deus achou melhor carimbar o meu filho. Mamamia! Filosofia? Pode ser.

O que é a morte? Boa pergunta. E a verdade? Humm…. A moral? É tenho muito a ler, estudar, conversar, blogar… Mas tem as responsabilidades, comida na mesa, contas a pagar e algumas coisinhas mais urgentes como salvar umas vidas. Não há tempo para Sócrates agora. Mas ainda tenho mais uns dez ou quinze anos, talvez vinte, para cuidar disso. Melhor dar uma resposta curta e grossa, sem perder a ternura jamais:

“Sempre estou falando sério”.

8 thoughts on “Fala Sério

  1. Pingback: Lou Mello
  2. Lou,
    engraçados e sempre bons seus Posts, quando você começa citando nosso Blog, então não há dúvida, só pode ser brincadeira! hehehe!
    Merece então uns dois ou três comentários Gonzo como diria o Volney, se é que eu entendi o qu ele quiz dizer, ou disse, com o último Post.
    1)Adoro passar essa frase pra frente, pois deve ser a que mais já ouvi em toda minha vida. Faço por mera vingança social. Pois a última frase do seu Post é o clamor da minh´alma.
    2)Já estava meditando (enquanto lavava as vasilhas da janta) em fazer um Post só para sacanear um pouco, algo como uma briga do casal do Brabo: nossa amizade bloguística virtual tem me divertido tanto que seria mais prudente chutarmos o balde, antes que isso acontecesse de forma não planejada, qualquer dia. Ia escrever algo beirando a linha do machucado, ofendido e irado. E ver as reações e me divertir.
    3)Desisti da idéia, óbvio, justamente por causa da dúvida infernal que já me custou quase que 90% dos meus bons relacionamentos e 200% dos maus: esse cara tá brincando ou falando sério?
    Mas uma coisa aprendi desde criancinha lendo os evangelhos que minha mamãe me dera: entre os alemães que usam as palavras para falarem o que pensam e os brasileiros que as usam para esconderem o que pensam, Jesus era de longe mais verde amarelo azul anil.
    Me dobro à reverência do seu Post e apartir de hoje nunca mais deixarei de te levar a sério, pois você sempre está falando sério, salvo engano.
    (desculpe-me mas o comentário não poderia ser menor)

    Putz! Essa diferença entre alemães e brasileiros é muito bem sacada. Parece coisa de mineiro sô! Enquanto lia seu breve comentário (pode usar a vontade, pior é não comentar) uma frase originalíssima não saia de minha mente: É brincando que se dizemos as verdades. Tudo isso é perfumaria para suavizar a sujeira da qual tratamos, como a situação da igreja, dos pastores e das ovelhas perdidas da casa de Israel, para as quais, nossos grandes líderes ricos e famosos não ligam a mínima. Gente sofrida e maltrapilha eles mandam para a Bacia, Gruta, etc., esses lugares onde se diz a verdade com muito bom humor e zero de grana. Abração

  3. Mas esse pastor que falou essa besteira, definitivamente não estava falando sério…

    Sobre a afirmação final, eu deixo uma frase (cujo autor não vou procurar agora porque já é tarde) que dizia: o direito de ser ouvido não implica obrigatoriamente no direito de ser levado a sério !

    Abraços sem seriedade

    Mesmo quando me esmero em falar sério, no final, tenho dúvidas se meu interlocutor entendeu assim. A maioria faz aquela cara de “Será que ele está falando sério?”.

  4. As vezes falamos, simplesmente falamos, e somos totalmente diferentes do que dizemos.
    Gostei.
    abracos

    Tenho dificuldade em me expressar. Geralmente, me surpreendo com aquilo que escrevo e falo, como se outro assumisse o comando nessas horas. Deve ser por isso que meus professores implicavam tanto comigo. 🙂

  5. Gostei da capa de seriedade da ultima Playboy do mês na Gruta.

    Não deu um ar de seriedade? Mas não mostrarei as fotos… 🙂

  6. Será a Playboy mais vendida de todos os tempos…

    Fico feliz por sempre estar falando sério, até porque eu sempre acreditei…

    Abraços

    Queria que você fosse meu pai e alguns dos meus professores.

  7. Pois eu sempre achei que você estivesse falando sério!

    Hoje fiquei um pouquinho na dúvida, hehehe

    Gostei do novo template! Parabéns!

    beijocas

    Neli
    PS: O Neto (primo do Zenon) é meu padrinho de casamento! Pessoa maravilhosa!
    Mas se te achar sambando, podeixar que ligo para ele, hehehe

    Não sabia que era seu padrinho de casamento, mas certamente que você o conhece. Mas se eu sambasse o caso era dele, sem dúvida.

    Você ainda verá a paz em Israel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *