A Gruta do Lou

Enquanto você dormia, eu carregava pastas e pastas nas costas

E não é que o maledeto do provedor suspendeu a hospedagem por causa de meros dois dias de atraso no pagamento da trimestralidade? O excomungado desligava o computador e me deixava sem E-mails, todos os dias por volta das 19 horas. Reclamei duas ou três vezes, mas depois desisti, pensando que pelo preço que estava pagando não dava para reclamar muito. Esperei noventa dias pelo concerto que nunca veio. Mas eles me fritaram por causa de três dias. Será que um tráfego de mais de trezentos acessos por dia não vale nada para esses caras? Até para ser burro tem límite. Né?

Não sei que horas esse sofrimento todo acabará. Depois de trazer tudo que está no sotão e no porão, ainda precisarei completar na unha os últimos posts e comentários, pois meu back-up era do dia 02 de maio. De lá para cá, será na base de juntar os cacos, pois os infelizes nem me deram tempo de fazer um último backzinho. Mas tive o prazer de cumprir o mandamento bíblico e mandá-los para o inferno. Quem sabe, salvo a alma desses infelizes. Certo?

Estranho, meus textos devem ser uma bela m… mesmo, sorry! Estou p… da vida. Não bastasse a dureza e ainda me acontece essa, sem falar em outras bombas prestes a detonar por aí. O fato é que assisto de camarote a preferência que é dada aos medalhões. Pô! Será que a diferença é tão grande assim. Outro dia o cara replicou um post meu, só que o texto era uma poesia do Fernando Pessoa, ou seja, não foi meu texto o replicado. Bem no finzinho tinha lá, em letras minúsculas, uma referênciazinha à Gruta. Espero que não tenha feito diferença no espaço do blog do rapaz. Se ele soubesse como essas coisas me emputessem, ops! Sorry de novo. Gente não faça, é melhor, do que essa canhalhice. De patife basta eu.

Deixe-me postar logo que o pessoal está estranhando tudo isso. Depois mandamos mais alguma maldade, por aí.

Descupem eu ter nascido. Beijos a todos.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

10 thoughts on “Enquanto você dormia, eu carregava pastas e pastas nas costas

  1. Lou, de endereco novo, legal.

    Só para avisar: O selinho do Coracao Valente tornou a sumir;(

    Seus textos sao ótimos, meu problema é falta de tempo mesmo.

    Amei ver sua foto nas maos de tantas mulheres gritando por vc. Aliás vc se candidatou a alguma coisa na Terra chamada Santa?

    Quem foi que disse que na igreja nao pode rir? Mas é verdade, creio que muitos crentes pensam que na igreja devem vestir uma máscara.

    Nao me venha com esse negócio de chuva porque eu já vivi a minha parte nesses últimos 2 anos, tudo o que eu quero é que o sol continue esquentando essa parte esquecida desse planeta.
    Se isso significa chuva no Brasil, entao que o brasileiro aprenda a conviver com isso e nao me leve a mal, mas nao estou sendo egoista nao, hehehehehe!!!

    Bem…acho que coloquei minha leitura em dia por aqui.

    Grande abraco e feliz dias das Maes ai prá Dedé viu.
    Estaremos indo amanha para os meus sogros.

  2. “Desculpem ter nascido”???

    Ó Lou!

    Que bom que você nasceu!

    Você é uma pessoa linda!

    Das pessoas mais lindas que eu conheço.

    Se não nascesse fazia cá muita falta!

    Faça favor de nunca mais dizer isso! Ok?

    Tenha um lindo dia e aceite o meu abraço

    viviana

  3. Arrá, foi por isso que você sumiu do meu netvibes assim sem aviso prévio. Tive de me rebaixar a visitar o seu blog sem proteção e o que encontro? Um barbudo reclamão cercado de um monte de mulheres garantindo que ele é uma pessoa linda. O Q!!! Caraca, o mundo está mesmo virado.

    Mais sorte na próxima reencadernação.

  4. Foi por isso que acordei com dor nas costas, o meu lado espiritual independente das religiões toma as dores dos meus amigos. Pois saiba que eu dormia o sono das justas. Desculpa mas não consigo deixar de rir ao pensar em você carregando pastas e pastas do sótao e do porão, principalmente porque tenho certeza de que em sua casa não tem um nem outro. Mas achei a cena engraçada, gostaria muito de saber desenhar, dá uma charge bem legal. Imagino assim você todo arfando, e folhinhas e folhinhas caindo pelas escadas. Pra ficar mais legal você podia tropeçar no tapete, derrubar as pastas algo assim. É pra você ver, Lou, mesmo nos furacões ninguém te leva a sério. E ó, eu só estou teclando aqui pra levantar teu astral, tem um quilo de coisas pra eu resolver aqui em minha mesa de trabalho. Ah, também não achei legal o cara lá replicar a poesia de pessoa, mas será que não foi uma brincadeira? Agora vou embora, fala pro moderador aí que eu sou boa gente.

  5. Não resisti a passar aqui mais uma vez pra ver como você está se virando, claro que isso é sadismo de minha parte, óbvio. É, falta as prateleirinhas né, vai dar um trabalhão colocar tudo em cima delas, não ofereço ajuda não, sofro da coluna. Lou, encare como um desafio.Eu não me lembro o nome do filme, sou péssima, mas a cena se passava numa biblioteca, tinha uma bibliotecária atrapalhada, ela derrubava uma estante, e numa formidável reação em cadeia, uma caia em cima da outra, bárbaro. É…tipo assim né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.