A Gruta do Lou

Elos do destino

Passage to Índia

Em Passagem para a Índia, filme de David Lean, Alec Ghiness interpreta o personagem Prof. Godbole que explica a vida pela crença Hindu da predestinação. Cada pessoa, cada acontecimento e cada lugar seriam elos da corrente que encaminha a vida ou os elos do destino de cada um.

Se encararmos a filosofia do Prof. Godbole, tudo em nossa volta estaria conspirando em direção ao compulsório destino traçado previamente a nosso respeito. Segundo ele, quando tentamos escapar de nossa sina, tudo que conseguimos é mudar para outro caminho cujo papel será o mesmo: Levar-nos ao nosso fado.

Calvino acreditava que os eleitos estão predestinados à salvação e tudo, neste universo, conspirará para esse fim, na vida dos tais. Não sei quanto a você, mas eu sou um dos eleitos aos quais ele se refere. Sempre estou do lado certo, acredite.

Por causa de Calvino e suas crenças heréticas, minhas circunstâncias me trouxeram até aqui. Sentado diante desse monitor ridículo e escrevendo esse texto xarope sobre algo em que não quero acreditar, mas parece estar acontecendo.

Diverte-me ver as pessoas na Gruta me dizendo: saia da Gruta e vá à luta. Parece aquela bobagem dita pelo Mestre sobre um cego guiando outro. Só há uma saída da Gruta: pelas mãos do Nazareno. Estamos aqui como Pedro quando não conseguiu manter-se na crista da onda e afundou. Não havia nada a fazer naquele momento.

Ah! Como gostaria de ter saído de casa, hoje às sete horas da manhã, em direção ao meu escritório para ganhar mais uma bolada de dinheiro, pagar as contas em dia e ter um orgasmo ao olhar para o relatório do meu patrimônio. Nada mais distante de minha realidade.

Talvez eu devesse sair em busca de algo a fazer, implorando uma vaguinha em qualquer espelunca. Desculpe. Não tenho tanta humildade. Estava de olho na reforma ministerial do presidente. De repente, por alguma razão fortuita, ele (ou a Dilma) estivesse lendo a Gruta e percebesse o potencial do papai aqui para ocupar um daqueles postos tão cobiçados por tantos. Eles não sabem o que estão perdendo.

Sendo assim, melhor acreditar no Prof. Godbole e no Calvino e desejar ardentemente que eles estivessem certos. Estar na Gruta, com os bolsos vazios é o meu destino e o seu, talvez.
Sorria, nem que seja um sorriso amarelo.

Capricornio PB

 

10 thoughts on “Elos do destino

  1. É, põe amarelo nisso! Desculpe, mas em dezembro o Isaque sabia, pelas mordidas na lingua e na boca ao falar e pelos tropeços nos próprios pés, que a coisa não ia bem, pois trabalhava muito. Ontem, constrangido falo, após jantar foi ao banheiro antes de ir para Macaé, trabalhar novamente. Saiu com o nariz e o rosto sangrando, quando deu com a cara no chão ao cair do vaso, consequência do coração explodido dentro do peito. Os familiares estão conosco, mas ele não mais. Destino.

  2. Pingback: Vergonha na cara
  3. Pingback: Lou Mello
  4. Será?Não creio que você gostaria de estar com os bolsos cheios de dinheiro.Bolsos cheios de dinheiro,significam muitos outros bolsos vazios.Sei que seu coração não é assim.
    Que Calvino,que nada.O Nazareno disse,fiqueis na Gruta.”não ajunteis tesouros na terra,onde a traça e a ferrugem consomem,ajunteis tesouros nos céus.” E o sorriso então se torna verde,cor da esperança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *