A Gruta do Lou

Do blog das bananas


Foto clonada no Querido Leitor

Meu plano para hoje era um post sobre a interpretação. Resolvi adiar, face à reação que o post anterior causou.

Primeiro foi minha surpresa em ter conseguido despertar alguns tigres adormecidos. Mas o melhor (ou pior) foi constatar que um vídeo meio bizarro, de um Matusalém evangélico feito o Ruben Alves, conseguisse esse efeito muito mais eficazmente do que eu com toda a ginástica que faço para buscá-lo. Entendo que ele tenha escrito um pouco mais que eu e o meu livro de oito páginas, ainda não editado. Sei de sua militância nos tempos da Teologia da Libertação ao lado do "criador" (sic) da fábula da águia criada em galinheiro, o gênio (afinal todos tem um) Leonardo Boff. Mas não precisava ser tão evidente assim. Magoei. 🙁

Por outro lado, fiquei feliz. Vocês não imaginam a minha alegria ao abrir o Blog e encontrar as manifestações, além dos amigos fiéis de convivência diária, estavam lá alguns dos amigos que só aparecem de vez em quando, apesar de toda a minha provocação.

Estou prestes a diminuir minha intensidade cibernética. Certo pessoal anda desconfiado que estou sofrendo de algum transtorno obsessivo compulsivo devido à intensidade com que tenho abordado o microcomputador diariamente. Não tanto pelas dez ou doze horas diárias plugado (Deus está em fase mais adiantada da doença, pois cada hora nossa é como mil das dele) mas porque isso dá à família a sensação de desistência face a minha necessidade de encontrar alguma forma de sustento para ela em nossas necessidades mais tolas (aluguel, comida, luz, água, telefone, tv a cabo, carro e muito caviar com vinho francês ou italiano), como para os meus planos em relação a alcançar a tão sonhada felicidade.

Na verdade, confesso não ser mais capaz de viver sem ele (o microcomputador), exceto nas questões relacionadas às necessidades físicas (comer, na-na-na, beber, higiene, etc). Desligando a geringonça o que será? Meu celular tocará? O fixo, nem sempre está tocando e quando está, parece que só os credores e os familiares não tão desejados sabem o número. Alguém virá até minha casa, me pegar pela mãozinha e conduzir-me a qualquer cargo de gerência bem remunerado disponível? E os E-mails, que vivem chegando em profusão, convidando para isso e aquilo de graça, quem os responderá? Agora que consegui uma média legal de frequencia no Blog, vou parar e deixar cair? Mas, fazer o que? Como diria o tolo apóstolo Paulo, quem casa deixa de fazer as vontades próprias. Isso nem chega a me incomodar, pois gosto de agradar as pessoas de quem gosto. Pior é o clima de expectativa de doença e morte em torno da coisa.

Quase que parti para a atitude radical em deixar a web-vida de ontem para hoje. Encontrar todos vocês aqui sinalizou-me com a luz amarela e percebi a necessidade de encontrar um jeito de não desagradar nem aos gregos e nem aos baianos. Estou com idéia de conseguir um desses celulares capazes de nos manter plugados. O futuro será esse mesmo, como previu o Umberto Eco , então por que não antecipar o inevitável. Pelo menos a turma não ficará mais com essa impressão de que estou compulsivo pela coisa, embora possa manter a compulsão em segredo, assim.

Melhor parar por aqui. Estou proibido de compartilhar nossas necessidades pessoais sob a ameaça de penas duríssimas. Agora, o Ruben Alves que me desculpe, mas não o convidarei mais para falar bobagens na Gruta. Infelizmente, preciso escolher melhor meus amigos. Daqui para frente só gente do bem. Estou pensando em subir um vídeo do Yancey (se achar algum legendado). Daí mato dois coelhos, satisfaço meus amigos e mantenho a Norma Brega longe daqui (dúvido que ela não venha dar uma sapeadinha 🙂 ), ou outros menos polêmicos e sábios, como o Diogo Mainard, o Lula, o Hugo Chavez, etc…

Powered by ScribeFire .

Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

5 thoughts on “Do blog das bananas

  1. Bete

    “além dos amigos fiéis de convivência diária, estavam lá alguns dos amigos que só aparecem de vez em quando, apesar de toda a minha provocação.”

    Essa foi minha frase exata. Não me parece algum tipo de preterimento ou preferência. Mesmo porque minha intenção foi dar a cada um o valor devido.

  2. Alex

    Boa! Eu tinha visto esse vídeo, pois ele mora perto do vídeo do Manning que nós andamos explorando, pouco tempo atrás. Quando mencionei o Yancey, estava pensando nesse vídeo exatamente, mas não me dei ao trabalho de procurá-lo, acho que estava blefando. Então você acaba de me salvar. Valeu!

    Ops: Tire fotos com os caras sim, isso pode vir a ser sua marca registrada. Talvez você tenha até a sorte de me encontrar em uma livraria legal dessas e tirar uma comigo. Só precisará me prometer não a postar perto daquela com o Gondim. Pode até colocar perto do Boff. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.