A Gruta do Lou

Discurso Vazio


“Já faz muitos anos que as palavras dos sacerdotes e pastores se esvaziaram para mim, muito embora eu continue fascinado pela beleza dos símbolos cristãos, desde que sejam contemplados em silêncio”.

Ruben Alves

Tempos atrás, visitei o site do Ruben Alves e li essa afirmação. Incomodou-me. Senti alguém expressando um sentimento meu, da minha maior intimidade. Não sei como ele ficou sabendo. Mas, ele disse a minha verdade ao falar da dele.

Muitas vezes, basta uma primeira frase e meu interesse se vai. Esforço-me. Tento manter a concentração, mas vou embora sem sair do lugar.

Quero ajudar a tocar as trombetas, mas temo ser inconsistente, irrelevante e chato.

Há tanta coisa a ser dita. Coisas importantes. Necessárias. Não quero machucar ninguém. Quero deter um discurso capaz de incomodar os acomodados e consolar os entristecidos. Quero servir meus irmãos.

Então fica essa sensação do discurso vazio que tanto entristece, tanto dos que ouço como dos que faço.

# posted by Lou @ 11:26 AM

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

6 thoughts on “Discurso Vazio

  1. “Quero deter um discurso capaz de incomodar os acomodados e consolar os entristecidos”.

    A palavra que você está procurando é, naturalmente, Jesus.

    Também me fascina que Jesus seja admirado e louvado por uma multidão respeitável de pensadores agnósticos/ateus – gente como H. G. Wells, Robert Ingersoll e William Reich – gente que admirou o Mestre quase incondicionalmente mas que não quis ter nada a ver com o cristianismo institucional e passou a vida a denunciá-lo. Não há coração que não se deixe tocar pela singularidade de Jesus – o problema é que existe o cristianismo institucional pesando contra o testemunho dele.

    Quanto a não querer machucar ninguém, a escolha pode não ser sua. É melhor enxergar a ferida na luz do que contentar-se em tropeçar no escuro.
    # posted by Paulo Brabo : 1/18/2006 4:49 PM

  2. É verdade. Você tem toda a razão. Não sei exatamente porque ele desistiu. O outro lado, pode ser a intransigência ou a intolerância. O Boff disse: “Sou um soldado. Se não me querem em uma trincheira, vou lutar em outra e continuarei sendo um soldado lutando pelo que acredito”. Esse tema vai longe.
    # posted by Luiz Henrique Mello : 1/19/2006 10:14 AM

  3. Lou
    Respeito o Ex-Rev. Rubem Alves. Porém, não posso aceitar que (a despeito de toda a feiura que a igreja possa ter, e todo o fedor que exale), até por não ser sempre (raras vezes ?!?) o bom perfume de Cristo, é a igreja que Deus amou. É essa Noiva de Cristo que Ele resgatou e vem buscar.

    Antes de mais nada quem fala pra alguem tem que falar em amor.

    Antes de falar pra alguem, tem que falar pra si.

    Reconheço que deva existir muitas razões por essa decepção enraizada do RA. Reconheço que temos parcela de culpa. Reconheço que sua escrita é muitas vezes pertinentes.

    Mas autoridade se conquista debaixo do fogo intenso da luta no front. “Doela a quem doe-la”!
    # posted by Volney Faustini : 1/19/2006 12:38 AM

  4. Gosto muito do Ruben poeta, escritor,pensador,cozinheiro e psicanalist
    a.Quanto ao discurso vazio dos pastores e sacerdotes,disso ninguém duvida.No tocante à comtemplação,parece que ele ficou por aí.”O discurso capaz de incomodar os acomodados e consolar os entristecidos”,tá pra lá de correto,como disse o Brabo,é Jesus.Só que a mim me parece que isso ficou no tempo passado de sua vida.(do Ruben)
    Concordo com o Volney e com o Boff,a luta deve continuar como e onde for,por amor daquilo em que acreditamos, a saber o Evangelho de Cristo.

  5. Só pra matar minha curiosidade. Qual o motivo de você não postar textos de 2007? Obrigada.

    Alguns textos ainda estão no porão esperando minha boa vontade em subí-los para a sala de arquivos. Não houve uma seleção, no máximo, foram resgatados por tempo de postagem, mas nem sempre. Logo, estarão por aqui. Só passar esse vendaval de mudança de cidade e tudo se arruma. Obrigado por lembrar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.