A Gruta do Lou

Depressão ou pessimismo

John Piper
John Piper

Não sei quantos leitores serão escolhidos para a leitura desse post. Ultimamente, os blogs perderam muitos e não sei quantos têm aparecido, pode ser que ninguém mais se detenha aqui, tempo suficiente para ler. Segundo o Google Analytics, nossos visitantes gastam, em média, 1,57 ms no site. Esse tempo dificilmente seria suficiente para ler meus textos, fora o tempo necessário para a decisão de comentar, xingar ou babar ovo (opção bem incomum em nosso caso. Já em outros blogs…mais politicamente corretos…). Isso me faz supor que a Gruta caiu no limbo do desnecessário ou irrelevante. Se a avaliação geral não for pior ainda. Inclusive, removi os contadores (não sei ainda se em definitivo) afinal não sou masoquista a esse nível.

Entretanto, se você está aqui, e na qualidade de leitor (a), pior, ainda está lendo até agora, certamente é um predestinado cumprindo um mandamento celestial. Repito o que aprendi dos meus mentores em questões bloguísticas: escrevo para mim e, nesse caso, quem tem a obrigação de vir aqui, todos os dias, e ler até não poder mais, é o papai aqui. Se possível, deixar um lindo comentário ácido, antes de sair, pois esses são os melhores, quando frutos de amor.

Enfim, vamos ao que interessa. O que esses dois fenômenos do comportamento humano têm a ver um com o outro? Tirando a minha indignação contra os que insistem em achar alguma conexão entre eles, acredito que não haja a mais remota chance da existência de algum fio conectando-os.

Se não me engano, Depressão pode chegar a ser doença psíquica séria, se virar crônica. Alguns casos só são resolvidos à base de longos tratamentos psicoterápicos e, muitas vezes, acompanhados de medicação alopática ineficaz (pois não há remédios específicos para combater a depressão, que não é doença física, como afirma o Dr. Patch Adams, aquele que vive vestido de palhaço e foi personagem de um filme famoso, mal interpretado pelo inadequado Robin Willians, que de bom só fez Sociedade dos Poetas Mortos, a meu ver). Os melhores resultados, nesses casos, são obtidos por terapias comportamentais, se não me engano, e os livros de Autoajuda podem ser muito uteis, então, se o terapeuta souber indicá-los, como bem faz o Zenon Lotufo Jr.

Quando o assunto é o pessimismo a história é outra. Sou sócio do clube desde que nasci. Ele me salvou de muitas situações perigosas, algumas onde eu poderia ter partido dessa para melhor. Entretanto, esse detalhe nem é o mais importante, acho. No meu caso, é modo de vida, escolha, livre arbítrio e a minha melhor inspiração. O rol dos companheiros nessa jornada inclui gente como Schopenhauer, Fernando Pessoa, Tolstoi, Dostoiévski, Machado de Assis, Borges e muitos outros famosos, sem falar em gente inexpressiva como eu e o Khalil. Imagino que o mundo seria muito pior, para não dizer bizarro, se todo mundo fosse otimista. Aliás, com raras exceções, otimistas costumam ser uns chatos de galocha.

Jesus foi mais um pessimista quando andou por aqui. Entre outras coisas, profetizou: “No mundo tereis aflições”. Dito por ninguém menos que o filho de Deus, isso teve impacto atroz, por isso resolveu amenizar com alguma gota de otimismo, logo depois, dizendo: “Mas tende bom animo, eu venci o mundo” uma frase paradoxal e ambígua, pois inclui o significado de: vocês estão ferrados e só eu posso livrar as vossas caras feias, mesmo assim, só para outro plano.

Não me canso de indicar a pregação do John Piper “Você irá sofrer”, um cara que difere de mim em quase tudo, especialmente devido ao calvinismo latente dele e aquele terno marrom horroroso, mas tiro o chapéu para essa pregação, fruto de um contexto duro para ele.

Em dias duros para mim como hoje, onde o mundo parece estar desabando sobre a minha cabeça, é claro que estou totalmente pessimista. Nada seria pior do que ouvir alguma daquelas banalidades otimistas ou positivistas. A minha realidade é de dores e não vejo nada melhor no futuro, quando olho para a minha bola de cristal. Claro, tentarei fazer o melhor para mim e minha família, enquanto puder, mas as perspectivas não são nada boas. Tomara que o Piper, cheio de pessimismo, esteja certo, pois isso é o que cabe a um cristão, nesse mundo tenebroso. Isso me conforta, um pouco.

morcego-12

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.