A Gruta do Lou

Crianças Exóticas

Madonna_Litta

Madona Litta
Autor: Leonardo da Vinci

Creio ser do interesse geral a logística celestial, em relação à distribuição de crianças. As Caixas Postais do Céu vivem abarrotadas de perguntas, reclamações e críticas. Há todo tipo de queixa. Por exemplo, as mães afrodescendentes perguntam por que só lhes nascem bebes afrodescendentes. Na nossa lógica parece tudo bem, pois somos mais adeptos da genética nesse quesito e encaramos esse detalhe normalmente. Mas no céu, ninguém fala em genética, aliás, esse tipo de consideração chega a ser e soar ridículo por lá.

Por outro lado, as mães brancas do planeta vivem enviando sonoros avisos aos céus ameaçando protestos, greves e movimentos pró-aborto caso lhes nasça um bebe afrodescendente. Pessoal do andar de cima anda pensando que as crianças afrodescendentes não são bem vindas por aqui.

Mas a coisa é ainda pior. Mães brancas e afrodescendentes rejeitam peremptoriamente crianças com defeito. É bom ressaltar o preconceito bíblico em relação a essas anormalidades. Lembrem a necessidade de se escolher um macho sem defeito e na cor certa para qualquer sacríficiozinho que se apresentasse. Nada de sacrifício com bebes defeituosos ou fêmeas.

Assim, somos levados a pensar que nossos pais judaico-cristãos eram racistas e machistas, como me batizou meu professor de mestrado, motivado pelo meu discursos a favor de uma limpeza étnica no mundo atual. Nada tipo nazista. Só queria estimular as classes mais pobres a ter menos filhos distribuindo televisões grátis por aí, pois elas são mais vantajosas que as camisinhas já que, além de inibir a procriação irresponsável, inibem a prática sexual como um todo, essa coisa horrorosa que os humanos vivem praticando sem pudor, desde criancinhas.

Sempre que uma mãe ganha um bebe com defeito, não importa a sua cor, sexo ou religião, essas mães enviam E-mails aos céus com pesadas reclamações. Segundo relatório do ministério celestial de distribuição de bebes (MCDB), elas chegam a absurdos nesse caso, como argumentar não ser justo que ela tenha um bebe com defeito enquanto a vizinha afrodescendente ganhou uma dúzia de bebes sem defeito algum.

Na lógica celestial, enviar bebes afrodescendentes já é um problema complicado para resolver, então preferem enviá-los aos montes e sem defeitos quando a mãe não reclama muito. Segundo me disse um dos participantes desse departamento peculiar, eles não entendem as mães humanas. Para eles, essas senhoras são privilegiadas, já que os céus consideram-nas pessoas especiais e as escolhem a dedo.

Claro que às vezes acontece algum engano, devido à burocracia excessiva existente lá, e uma criança acaba indo para uma mãe inadequada. Só que, nestes casos, uma vez observada a rejeição dessa senhora, imediatamente, uma mãe substituta (geralmente cristãs obnóxias tipo Madonna) é designada para assumir o bebe exótico.

Eles são fãs das mães afrodescendentes, pois elas são as que menos reclamam (só se ressentem um pouco por não ganharem bebes brancos) e as que mais recebem bebes afro descendentes e, no fim, vários com defeitos. No caso delas, não há substitutas disponíveis, na maioria das vezes, e elas são obrigadas a encarar o carinha.

Tempos atrás, estive em um sociedade católica chamada Focolares, criada por uma missionária chamada Chiara Lubish, de quem me tornei fã. Fiquei perplexo ao descobrir que jovens casais focolares candidatam-se voluntariamente para assumir a paternidade de crianças defeituosas. Conheci um casal que havia adotado, até aquela data, cinco crianças com síndrome de down. Barrabás! Vai ser desprendido assim no inferno!

Perguntei ao cara do MCDB (muito amigo do Raniel) se alguma mãe havia enviado um E-mail solicitando uma criança com defeito. Ele ficou pensativo diante da pergunta e ficou de pesquisar, já que não era capaz de lembrar nenhum caso. Disse-me que muitas vezes, mães afrodescendentes entopem a caixa-postal pedindo um bebe afro descendente. Poderia parecer óbvio, não fosse o fato de essas mães terem transado com missionários brancos e estarem com medo de perder a cabeça.

Embora em menor número, atualmente, já que no passado era mais comum, mães brancas também solicitam bebes brancos, depois de terem se deitado com os empregados afrodescendente, em segredo, claro. Sei que parece preconceituoso, mas estou, apenas, relatando os acontecimentos, como eles se dão.

Por que meu interesse nesse assunto? Um dia pequei o Raniel de jeito (o anjo protetor do Thomas) e perguntei a razão de nosso filho ser portador de defeito congênito de tal gravidade e complexidade (cardiopatia congênita de alta complexidade). Ele olhou para todos os lados, provavelmente avaliando a possibilidade de uma retirada estratégica urgente, e respondeu, enfim: Vocês tinham avaliação superior nos quesitos necessários a pais de crianças com esses problemas. Sua esposa é famosa no céu pela elevada estima que é capaz de dedicar ao Thomas, muito acima da média conhecida (ela nunca enviou E-mail reclamando do fato) e você não é dos piores pais.

Aproveitei e mandei outra pergunta: Mas por que a dureza? Não seria melhor se fôssemos mais abastados? Assim poderíamos cuidar muito melhor dele. A isso o anjo incomum deu-me uma longa resposta. Deixe-me resumi-la para você: Se nós tivéssemos grana, sairíamos por esse mundo buscando todo tipo de ajuda para nosso filho. Mimaríamos o cara até, muito mais do que já fazemos e não deixaríamos ninguém participar de nossas dores.

Se você foi tocado por Deus para participar no tratamento do Thomas, clique em “Coração Valente” aí em cima e em “Como Participar”. Depois é só mandar ver.

Os planos de saúde (públicos e privados), logicamente, não participarão da festa.

cropped-Capricornio-PB.jpg

4 thoughts on “Crianças Exóticas

  1. Por favor!
    Faz alguma coisa pela “justiça” brasileira.
    Flávia vive em coma e a “justiça” brasileira também.

    (a resignação é parar a evolução. David Santos, in tempos de sempre)

    Obrigado
    David Santos

  2. Lou, quando eu fiquei grávida da Viviane aos 42 anos, os médicos que acompanhavam a gravidez nos disseram que teríamos que fazer um exame especial porque a crianca poderia nascer mongolóide ou com uma outra deficiência. Meu esposo e eu conversamos se queríamos mesmo saber se o bebê nasceria com algum problema e se sim o que faríamos com o bebê. Resolvemso nao fazer o tal exame, pois nao mandaríamos o bebê de volta caso ele nascesse com algum problema. Perguntamos aos medicos se eles estavam vendo pelo ultrasom alguma coisa que justificasse esse tal exame especial, nao puderam afirmar com certeza. Entao dissemos a eles que uma crianca com problemas poderia acontecer até mesmo depois que ela nascesse. Viviane nasceu, perfeita para nós, linda! Os riscos ainda estao por ai, num acidente, ou qualquer outra situacao, mas jamais iremos sacrificá-la. Belo texto

    Grande abraco

  3. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *