A Gruta do Lou

Comunicação de Deus em plena era da cibernética

Não é fácil comunicar-se com Deus, ou melhor, entendê-lo. Infelizmente os homens tentaram edificar uma torre para chegar aos céus e o Criador foi obrigado a dispersá-los e embaralhar suas línguas, multiplicando-as sem medida. Agora, sua majestade fala inglês e entende um pouco de Hebraico. Devido ao desuso, esqueceu o grego e o aramaico. As outras ele nunca chegou a aprender, especialmente as línguas latinas. Outra língua que o Magnânimo não entende é a tal língua dos anjos, afinal é a língua dos alados. Sendo assim, faz-se necessária uma rigorosa ginástica para fazer os humanos entenderem os recados de Deus. Some-se ao problema lingüístico outro de igual magnitude que é a escrita, ou as escritas. Quando aprendemos a ler e escrever, somos (os ocidentais) guiados pelo conceito aceito por todos de que língua é o sistema de signos vocais de uma comunidade. Signo é o complexo sonoro (por exemplo: casa) e o significado que esse complexo comunica (a idéia de casa) ou a idéia acústica. Já os chineses utilizam o método visual onde a escrita utiliza signos que determinam o complexo visual e seu significado a idéia visual das coisas. A língua é uma dispersão causada pelo pecado e a escrita uma tirania sacerdotal, a mais, a nos afastar de Deus e dos nossos semelhantes. Nós lemos e escrevemos Deus, mas não o ouvimos e muito menos o vemos, devido às nossas linguagens e escritas.

“Quando pela primeira vez falou o Senhor por intermédio de Oséias, então lhe disse: “Vai, toma uma mulher de prostituições, e terás filhos de prostituição; porque a terra se prostituiu, desviando-se do Senhor.” “Disse-me o Senhor: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, e adúltera, como o Senhor ama os filhos de Israel, embora eles olhem para outros deuses, e amem os bolos de passas.” Oséias 1:2 e 3:1.

Coisa estranha. Deus é mesmo capaz de implementar idéias totalmente loucas. Onde já se viu mandar um profeta como Oséias, ou eu, amar prostitutas e mulheres adulteras, gerando filhos e filhas com elas. Isso não teria o menor sentido se não fosse uma estratégia de comunicação entre um Deus e sua criação, que não se comunicam pela mesma língua e escrita. Agora, o pescador desatento vem a mim e envia-me a blogar de uma Lan House. Sem dúvida, uma prostituição para servos de Deus com estatura espiritual tão elevada quanto eu. E mais, ele me quer amando essa vadia, como o Senhor ama a seus filhos desviados e adúlteros espirituais. Em sua língua, ele está dizendo: meus filhos se prostituem em Lan Houses. Nesses prostíbulos escrevem sobre mim e lêem outros blogs que sobre mim fazem ousadas asseverações, embora não entendam do que falam e escrevem. Não fosse eu atirado a essa prostituição cibernética, jamais me lembraria de meus irmãozinhos mais pobres, que dependem das Lan Houses para se conectar à grande rede (ou grande irmão) e conectar-se aos verdadeiros filhos de Deus, todos devidamente conectados na comodidade de suas casas, junto ao aconchego de seus familiares e seus notebooks de última geração. Ainda ontem, conheci pela TV, uma cubana (Yoani Sánchez) que tornou-se celebridade ao escrever um blog sobre sua ilha socialista. Foi parar na capa da TIME. Acontece que ela não tem banda larga nem conexão discada em casa. Usa um notebook herdado de Matusalém para preparar o texto e depois vai a uma das duas Lan Houses disponíveis gratuitamente à população cubana e enfrenta uma demora de três horas para postar em seu blog “Generacíon Y”. Pessoal, tratem de abandonar o pecado, especialmente esses mais atuais relacionados às coisas da web vida, cuja prática lhes torna insensíveis em relação aos milhares de segregados cibernéticos de nossos dias, para o Senhor restituir logo minha banda larga querida. Caso contrário ele continuará me fazendo amar essa prostituta adultera indefinidamente, já que não fala e, muito menos, escreve em português e só se expressa através do sofrimento de seus profetas.Pronto Senhor, dei o recado. Que tal liberar minha banda larga agora?

13 thoughts on “Comunicação de Deus em plena era da cibernética

  1. ..e viva las lans houses !!…pois é, Deus escreve certo por Lans Houses erradas…hehehee… e o melhor e encontrar com vc aqui na Gruta nossa de cada dia.

    Super abraço

  2. Lou, Deus vai tirar vc deste prostíbulo! 🙂

    Vc se lembra do velho Logos?

    “meu servo, não temas!
    Não temas, pois eu te escolhi!
    Sei que é difícil, mas confia em mim!
    Confia em mim e então,
    Tu verás o meu poder!”

  3. oi Lou…
    pois é…
    pois é…
    a vida nos traz surpresas,
    mas o importante é perseverar!
    (que comentário mais chato né?!)
    🙂
    🙂
    beijos,
    alê

  4. É, pensando bem, estranho mesmo.
    Mas nós conseguimos ser bem piores.
    E depois procuramos limpar a sujeira p´ra cima de alguém ou Alguém, pensando que assim ficamos livres.
    Mas Deus nos chama à responsabilidade.
    A responsabilização dos actos é o maior “castigo” que alguém pode suportar.
    então, sejamos responsáveis, e tomemos nós a responsabilidade dos nossos próprios actos.
    God bless you,
    T.

  5. Lou
    Às vezes a Gruta enche d’água e temos que sair – passar no relento. Acho que é isso.

    Mas seus textos já são alguns bons manuscritos que a gente precisa por na prática de um segundo ato. Ato de amor, sem dúvida. E a participação dos grutenses é o toque da cereja.

    Mas, como sempre, estou sonhando e planejando … como cê sabe, é um defeito e virtude.;)

    abraços

  6. Do fundo do baú … ou melhor, das profundezas da Gruta .. citaram o bom e velho grupo Logos !!!

    PS: eu já trabalhei por quase um ano em uma lan house … me solidarizo com o Lou .. isso é uma zona mesmo rss … ele deve ficar tentando se concentrar, e os pentelhos gritando e jogando CS e outros jogos de guerra do lado dele.

  7. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *