A Gruta do Lou

Como prosperam os maus

“Olha, com certeza, ou melhor, sem qualquer dúvida ou desconfiança, Deus é bom para com o povo dele, formado de pessoas de coração limpo e reto.

Quanto a mim, vira e mexe, tropeço aqui e ali, quase me desvio e quase permito que meus passos me levem em outras direções. A razão disso será fraquejar cheio de inveja dos arrogantes, ao constatar a prosperidade dos perversos, bajuladores e falsos adoradores.

Para esses caras não existe preocupações, é incrível, mas eles não sabem o que é uma doença, nem mesmo as mais simples, quanto mais, as complicadas. Muitos me olham como um pecador desmiolado por causa do complexo problema de saúde de um dos meus filhos, pois eles e seus filhos estão sempre sadios e sarados. A impressão é que eles não são susceptíveis às dificuldades dos mortais e nem são afligidos igual aos outros homens, como no meu caso.

Provavelmente, essas são as razões pelas quais essas figuras se enchem de soberba, visível até em suas roupas caras e seus carrões ultimo tipo. Sem falar na violência que habitualmente destilam em suas falas mansas, envolvendo-se como se fossem um manto da hora. Se olharmos em seus olhos, veremos menosprezo quando nos olham e quando falam, pois em seus lábios brotam só fantasias e palavras vazias, embora cheias de pompa e falácias. Se ouvirmos-lhes com cuidado, perceberemos o desdém insuportável em suas expressões a nosso respeito e bastante opressão enquanto falam com altivez.

Muitos deles, sem cerimonias, ridicularizam os céus e nossas crenças sobre Deus, menosprezando tudo o que construímos sobre a terra como serviço ao Senhor. Por essas razões, eles estão cheios de seguidores até a tampa, considerando-os como os baluartes da existência a serem copiados a passos largos. Para eles, Deus e suas intransigências tornou-se ultrapassado e desnecessário

Esses são os caras que mais prosperam em nossos dias, enquanto, sempre tranquilos, aumentam suas riquezas e excentricidades.

Com um sentimento de inutilidade insuportável, conservei meu coração puro e me nutri de inocência quase pueril. Afinal, continuamente sou afligido com a mais completa variedade de golpes de todos os tipos de maldades e não há uma manhã sequer, cujo gosto amargo do desprezo à vida e tudo que ela me reservou de ruim não me assalte. Só de pensar ou escrever aqui tais palavras, já estaria traindo os meus filhos, bem como a mãe deles.

Reluto em pensar nessas coisas, sobretudo em minha sina, pois é demasiadamente pesada para mim.

Em uma manhã dessas, tomado de desespero e impotência diante do meu destino, por alguma razão inexplicável, entrei no santuário espiritual do Deus interior e bati de frente com o fim deles. O Senhor é mesmo tinhoso e os coloca em lugares escorregadios, verdadeiras armadilhas sobrenaturais e os faz caírem em destruição. Basta olhar em volta, ou assistir ao Jornal Nacional. Subitamente, ficam assolados e totalmente aniquilados pelo terror impregnado nas notícias.

Como se estivesse acordando de um sonho, assim o Senhor os desprezará e às suas imagens ridículas.

Quando meu coração se apertou insuportavelmente e as minhas entranhas se comoveram, percebi como estava embrutecido e tomado por minha ignorância. Para minha vergonha, me comportava como um irracional na tua presença. A grande verdade é que estou sempre contigo, mesmo quando tento escapar-lhe e me seguras pela mão direita. O Senhor sempre me guia com o seu bendito conselho e deixa bem claro sua intenção de me receber em glória, no porvir.

A quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu mais me alegre na terra. Ainda que meu corpo desfaleça e meu coração pare de bater, Deus é a fortaleza do meu ser e a minha herança eterna. Os que se afastam do Senhor, certamente morrerão eternamente, pois os infiéis se destruirão.

Quanto a mim, bom é estar junto a Deus. Nele me refugio para poder proclamar todas as suas realizações”.
§§§§§§

O texto acima é uma tentativa de paráfrase ao Salmo 73 de Asafe.

Dia desses li no perfil Facebook do Pr. Ari Velloso que ele pedia orações por sua iminente viagem à Inglaterra para visitar a filha, genro e netos. Lembrei de quando, em 1997 falei com ele ao telefone e ele mal conseguia se expressar, pois faltava-lhe oxigênio para completar as palavras, devido à uma grave cardiopatia que roubou-lhe o vigor durante muitos dias. Tempos antes disso, ele ministrou esse salmo em nossa igreja e certamente falava de si próprio. Agora tanto tempo depois, transplantado, segue abençoado e feliz para essa alegria dos que nele se refugiam. Pena que ainda não tenha sido liberto dessa palmeirisse horrorosa e essas ideias eclesiásticas retrogradas sobre liderança, etc.. Salvo o que ele diz sobre pregação expositiva, caráter e ser confiável, claro.

Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.