A Gruta do Lou

Colha o dia

O DAS QUINAS

Os Deuses vendem quando dão.
Compra-se a glória com desgraça.
Ai dos felizes, porque são
Só o que passa!

Baste a quem baste o que Ihe basta
O bastante de Ihe bastar!
A vida é breve, a alma é vasta:
Ter é tardar.

Foi com desgraça e com vileza
Que Deus ao Cristo definiu:
Assim o opôs à Natureza
E Filho o ungiu.

Fernando Pessoa


Falando sério, Deus deu ministérios diferentes às pessoas dispostas a caminhar com ele servindo ao próximo. Uns receberam a missões mais nobres, cheias de pompa e glória e outros foram convocados a tarefas mais espinhosas, em meio à dor, desesperança e desprezo.

Se não caminhasse pelos mesmos caminhos daqueles a quem o magnânimo criador me enviou, não saberia ler esses corações sofridos e carentes. Bem que Jesus avisou sobre o preço de segui-lo e, como já disse outras vezes, fui imprudente o bastante para tomar essa decisão um dia. Prepotente como sou, fui logo escolhendo comer as fressuras e as partes mais duras do cordeiro. Isso me lembra aquela vez que fui escolher as minhas aulas e optei por uma escola no Km 26 da Rodovia Anhanguera. Se o diabo descobrisse aquele lugar, trataria de fazer do inferno algo parecido.

Foi assim que resolvi oferecer ao chefão meus préstimos aos membros da Gruta, com base na história da Caverna de Adulão e Davi. Pensei comigo, farei um grande exército dessa gente esquecida e sofrida com o qual me defenderei de Saul e sua inveja eterna. Só não tinha noção da real necessidade desse pessoal. Não sabia o que fazer, exatamente, para alcançá-los, afinal as grutas andam escassas, em nossos dias. Daí surgiu o blog e vislumbrei a possibilidade de caminhar por aqui. Três anos se passaram e a responsabilidade só fez aumentar.

Pessoal seguidor de Davi precisa de muito carinho e motivação. Não é fácil prover essa necessidade quando se é tão carente e necessitado quanto o povo que espera de você essas insignificantes providências. Agora entendo meu irmão adúltero e assassino e, ainda assim, amado de Deus. Mas, aos poucos, fui tomando consciência e me sentindo mais a vontade, nesse papel.

Faço troça com os meus irmãos que escolheram funções mais, digamos, iluminadas. Alguém tinha que preparar a posse do Obama e não invejo o cara escolhido para isso, acho que é um desperdício de talento, apenas. Uma coisa é óbvia, não tinha o menor sentido um pobretanas, todo endividado, preocupado com a família e nosso exército de dissidentes do sistema de crédito vigente ou sócios dos AA ou NA, etc., com uma única calça de missa, mal falando a língua pátria, em inglês, fazer o discurso de abertura da posse do primeiro presidente negro, com nome mulçumano dos Estados Unidos.

Se o Warren tivesse que falar aos grutenses meteria os pés pelas mãos. Ele nem imagina haver gente como nós, nesse mundo. Para ele tudo tem um propósito. Mas nós não vemos propósito algum nas coisas que nos sucedem. Os imitadores tupiniquins desse senhor, do mesmo modo, não agüentariam um dia sequer caminhando conosco. Teríamos que carregá-los em nossos lombos, se viessem andar em nossas trilhas. Melhor deixá-los em seus castelos do Morumbi e Zona Oeste onde eles se bastam.

Queridos, não esqueçam nunca, Deus ungiu o filho dele para carregar a mais espinhosa cruz dentre todas. Faz-me um bem danado lembrar esse detalhe. Fomos concebidos em meio a muita dor e lágrimas do criador. Como percebeu o esplêndido Pessoa, os felizes passam. Não tem muito a dar. Para carregar esse madeiro de desgraças e humilhações é preciso lastro e lastro celestial, coisa de alguns poucos privilegiados.

Façam o que quiserem para me derrubar daqui. Tirem meu telefone, minha conexão, como se já não bastassem as outras misérias, e mesmo assim, voltarei e permanecerei. Se não conseguir, temos centenas prontos a dar continuidade na propagação do evangelho emergente que Jesus nos delegou. Cada vez mais o número de pessoas se multiplicará pelas grutas desse mundo, infelizmente. Os carrascos e verdugos jamais satisfarão sua sede de poder e riqueza que só faz multiplicar a miséria e o sofrimento.

Deixem os bancos, as fobias, os patrões, os parentes e seus pares para o ano que vem. Carpe diem! Nem precisa tirar a roupa, se preferir.

Amo a todos vocês igualmente e deixo-lhes aquele beijão em suas carecas e perucas, como sempre.

4 thoughts on “Colha o dia

  1. Já linkando a Gruta 2. Você também, amigão, se de repente não vir mais a minha padaria atualizada, porque o speedy tá pela hora e o emprego foi pro espaço, sabe onde me achar. Mas a culpa é minha mesmo, quem mandou brincar com essa coisa de Elias? Pois agora é sério, já não é mais brincadeirinha de blogue: a farinha e o azeite é só pra hoje MESMO.

    E aproveitemos o dia. Na verdade eu tenho é pena de quem ainda não aprendeu fazer pão com pouca farinha. Todos terão de aprender, é só uma questão de tempo. Quando esse dia chegar, estamos aí pra ensinar.

    Mas eu ainda tenho cabelo. Um beijo na SUA careca.

    e se o profeta aparecer, ele vai querer o tal “só pra hoje MESMO”. “Haverá fé na terra, naquele dia?” Obrigado por tudo.

  2. Eu, apesar de grutense, ainda tenho cabelo na cabeça…mas sei que talvez um dia eles se vão..

    Gostei de te ver falando sério, pois realmente, é tua função motivar os grutenses…

    Em meios as estalactites e estalacmites, a gruta vai se enchendo.

    Abraços.

    Quando foi que não falei sério? 🙂 Pelo menos, esse é o cumprimento de uma profecia bíblica, “as grutas se encherão, naquele dia”. Aproveita o cabelo, logo ela virá.

  3. Dias,anos,uma vida inteira andando no deserto…
    encontro uma Gruta,onde refrigero o meu corpo e
    alimento o meu espírito.
    Eu tenho aproveitado todos os dias, desde então.

    Bom que assim seja. Saber da relevância do que se faz é muito bom, mas a idéia é divina. O primeiro a construir essa ponte salvadora foi Davi, salvo engano. Nossa Gruta é cibernética, pois essa é a nossa era, só isso. Então cabe a Ele, só a Ele, mantê-la funcionando. Nós ficaremos apenas com o sacerdócio, humildemente.

  4. Que Deus nos conserve assim,comendo das partes menos nobres,como Seu Filho fez!Uma vez com a mão no arado,somos mesmo participantes de Seu amor e co-participantes de seu sofrimento.Amém.

    Beijos a todos,

    Jacira

    É, e como nós sabemos dessa verdade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *