A Gruta do Lou

Cara de Tacho

De forma cíclica, como o tempo e o vento, as situações desconfortáveis da vida se repetem. De tempos em tempos, aqui em casa, alguém acaba repetindo a frase: Tudo estava indo bem e, de repente, as portas parecem ter fechado. Então, sentimos como que entrássemos em uma zona de turbulência, às vezes passageira, outras vezes duradoura. Foi assim com os discípulos do Homem de Nazaré, eles estavam no barco, em meio ao mar, com Cristo no barco e tudo ia bem. Mas o tempo mudou e eles pegaram uma turbulência terrível, ventos tremendos e uma tempestade horrorosa. Então aconteceu o inusitado, o Mestre despertado de seu sono tranqüilo, levanta e repreende os ventos, as tempestades e volta a reinar a paz, para assombro dos que ali estavam: “Quem é esse que até os ventos e as tempestades se lhe obedecem”?

Não canso de dizer que o “Evangelho Maltrapilho”, do Manning dorme a meu lado. Preferencialmente, abro no capítulo “Biguás e Gaivotas” e me deleito. Gosto muito daquelas histórias que o autor reproduz do rabino no leito de morte dizendo que tudo que sempre pediu a Deus foi assombro, ou as lembranças da série do Bill Cosby com suas lições com bom humor e do ex-prefeito La Guardia de New York perdoando uma senhora que roubara pão para alimentar os netos famintos, para a perplexidade de todos em um tribunal.

Assombro, perplexidade, caro de tacho ou sei lá, o fato é que quando tudo vai mal e não conseguimos mais divisar as portas de saída, criamos o cenário e contexto ideais para ele despertar, mesmo contrariado com nossa falta de fé, e nos assombrar. Lembro da Regina, uma jovem que conhecemos na Igreja do Tio Cássio. Certa manhã, não tínhamos leite para a primeira mamadeira do dia de nossa filha. Xi! E agora? Decidi sair em busca de uma solução. Enquanto estava fora de casa, a campainha tocou, quando a Dedé abriu, surpreendeu-se com a presença absolutamente inesperada da Regina que disse: Desculpe aparecer aqui a essa hora, mas senti uma vontade incrível de vir agora. Entrou ouviu o choro de fome de nossa filha e entendeu sua missão ali. Ficamos perplexos com esse acontecimento. Em tempos de vacas gordas, protagonizei inúmeras missões de assombro em favor de pessoas em necessidades de todos os tipos. Essas também me deixaram com cara tacho.

Ele é o Senhor dos ventos, das tempestades, das doenças, da fome, do desemprego, dos hospitais, dos tribunais, dos bancos, das financeiras, dos governos, das companhias de serviços, das imobiliárias e se os repreender eles lhe obedecerão, incontinentes. Restará a nós o assombro, a cara de tacho.

O Zigfried Zils me falou sobre isso há mais de vinte anos, o Manning e o Brabo repetiram, eu também já escrevi a respeito. Provavelmente, muitos o fizeram. Essa é uma lição a ser repetida infinitas vezes, sempre que alguém estiver em meio aos ventos e tempestades da vida, pois esse é o momento do Senhor da Galiléia.

Amanhã, não sei como será. Não pedirei a Deus que me dê isso ou aquilo. Deixo aqui meu pedido: “Senhor assombre aos meus leitores e a mim sempre que for necessário. Deixe-nos com cara de tacho, por favor”.

22 thoughts on “Cara de Tacho

  1. Cara de tacho, tá aí, boa expressão!
    Não vou gastar um post com isso mas queria deixar registrado o que acabo de experimentar.
    Alemanha, Munique, 10 anos longe da pátria amada idolatrada. Fazemos um passeio de domingo. Uma “Frühlingsfest”- festa de primavera está rolando aqui perto. Tudo tradicionalmente bavária, cerveja, chucrute, banda de música. Resolvemos entrar. “Vamos escutar uma música e vamos pra casa”, sugere minha mulher.
    Não é que os alemães começam a tocar aquarela do Brasil!
    Na verdade não sei quem de fato está por traz destas coincidências, mas é de um senso de humor muito refinado e estranho.
    Se ele quiz me agradar, conseguiu, fiquei mesmo com cara de tacho. Mas isso tudo dói muito…

  2. costumo pensar Lou, que Deus gosta de nos deixar com cara de tacho pois tem um tremendo senso de humor dos grandes e isso me agrada muito!:)
    🙂
    muito mesmo… saber que meu Deus nao é Deus de cara amarrada, zangadão, de testa franzida.
    beijos,
    alê
    e viva os “momentos de cara de tacho”
    que venham e nos marquem os dias!!!

  3. V. Carlos

    De fato, Minas tem tudo de bom, um grande povo, uma terra maravilhosa e um queijo inigualável. O João Alexandre e suas músicas é uma lambuja de Deus para oceis, ué!

  4. Lou, o Mannig tb é meu companheiro de cabeçeira, mas meus capitulos são “Segunda Chamada e Bijuterias e Pasteis de vento”…. mas apesar de Manning, eu queria muito tb ficar com cara de tacho, mas vivo uma certa ausencia de graça, ou de ventos, ou se Deus se levantar no meu barquinho, sei lá… é por aí. Ta o maior maremoto aqui e eu to começando a ficar mareada.
    Abraços
    Alice

  5. Alê

    Certamente essa igreja crescerá de forma descontrolada. Nós já estamos nela e nem percebemos quantos mais também estão.

  6. Lou, ficamos ontem com cara de tacho ao presenciarmos as maravilhas de Deus vinda em nosso socorro. Explico: Precisávamos muito falar com alguém, pegamos o endereco e fomos prá lá. Navegacao no carro, tranqüilos estávamos, mesmo assim erramos o caminho, fomos parar num caminho dentro da floresta sem sabermos mais como retornarmos. Resumindo, mas a frente, encontramos a pessoa que precisávamos falar. Ele havia saído com seu cachorro para um passeio pela floresta.
    Ficamos com cara de tacho. Por que? Homens de pouca fé, mesmo que tivéssemos orado para que Deus providenciasse todas as coisas, estávamos confiantes na navegacao. Somos mesmo uns Tachos.
    Deus tenha misericórdia de mim!!!

    Tô nessa igreja também. Mais um membro…

    Boa semana

  7. Vilma

    Não tema suas tempestades. Lembre sempre que o Senhor está no Barco e você pode acordá-lo para ele te deixar com Cara de Tacho. 🙂

  8. Faz algum tempo que não fico com “cara de tacho” diante das maravilhas do Senhor. Isso me aflige, pois denuncia certo distanciamento dEle, visto que para todos que andavam em Sua companhia essa expressão era peculiar. Isso é preocupante…
    Abraço!

  9. Célia

    Com minha larga experiência em ficar com cara de tacho posso lhe dar uma dica: Você anda prestes a ficar com cara de tacho.

  10. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *