A Gruta do Lou

Bom Dia! Com o Homem de Nazaré

Quando o homem de Nazaré jejuou quarenta dias no deserto, aparentemente, seu melhor resultado foi uma conversa com o desprezível diabo. Tal diálogo manteve uma tônica irônica que redundou em desistência por parte do malvado em demover o santo de sua obstinada sina de Filho de Deus.

Quanto a mim, não levaria mais do que quarenta segundos para ser demovido de meu intento em manter minha filiação divina. Basta acenar com algum dinheiro suficiente para o supermercado nosso de cada semana, aluguel e contas básicas para eu pular do alto de qualquer morro, aceitar a direção do mundo ou o que for oferecido.

Ainda bem que o Filho de Deus era um obstinado. Eu não passo de um volúvel filho da terra, incapaz de permanecer acordado, nem meia hora, no Guetsêmani.

Falamos mais tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *