A Gruta do Lou

As nossas ditaduras dentro da mãe ditadora

As nossas ditaduras

Tive um papo bem sinistro com o médico do INCOR que pode cuidar de meu filho, no futuro.

Antes de mais nada, para conseguirmos tratamento no INCOR, hospital público estadual, construído e mantido com dinheiro público, precisei fazer um novo convênio médico para ele. Ainda não está valendo porque está faltando um laudo clínico descrevendo o problema todo. Solicitamos à cardiologista que cuida dele em Sorocaba e estamos aguardando. Vale lembrar que ele tem um convênio em Sorocaba, mas não é nacional, nem estadual, só local. Para ele ser tratado pelo SUS, precisaria passar por todo o procedimento de matricula novamente, porque uma médica infeliz e mal amada resolveu cancelar a matrícula dele, originária desde o tempo em que ele ainda não completara nem seu primeiro ano de vida. Isso incluiria ser avaliado pela junta médica do ambulatório, que faz o que? Verifica se o cara é um cardiopata mesmo. Não é piada não.

O pior é que não há outra opção, com tudo isso, o INCOR é um dos centros de cardiologia melhorzinhos por aqui (deve haver uns dois ou três que atendem SUS), ainda mais para cardiopatas congênitos adultos, que ninguém está nem aí. Os outros fariam mera experiência com um caso como o do meu filho.

Tudo isso me leva à sensação de que estou voltando à Gruta. Pode parecer paradoxal, mas é o único lugar onde posso ser eu mesmo. É quase perfeito, tirando só um ou outro comentário desconfortável e as mulheres descasadas com menos de sessenta, as quais Paulo mandou que tomássemos muito cuidado. Tá vendo, até isso posso escrever por aqui, afinal perdi todas as leitoras que se enquadravam nesse perfil, faz tempo.

Mas voltando ao amado irmão médico, uma sumidade diga-se de passagem, ele nos cobra uma atitude obnóxia na qualidade de paciente e parentes de paciente, ou seja, enquadre-se, afinal essa é a atitude mais sensata se você quer manter seu filho vivo. A última parte ele não disse, eu imaginei.

De repente, dei-me conta de que há uma outra ditadura por aqui, a ditadura da saúde. Imagine a grande ditadura, aquela que será ditadorizada pela Dilma, por enquanto está nas mãos e quase todos os dedos do Lula, e depois um monte de ditaduras menores, essa, a da educação que vende resultados do ENEM, a da segurança que quer enganar o mundo todo com aquela palhaçada da invasão militar do Morro do Alemão e adjacentes, a da economia, que jura não haver inflação, etc. etc. Ah, tem a ditadura do futebol, devidamente encabeçada por um ditadorzinho qualquer e safadinho até. Isso sem mencionar as tais agências, como a ANAC, ANATEL e todas as co-irmãs. Eles ditam e nós obedecemos, ajuizadamente.

Agora que o sistema no INCOR é ditatorial, não tenho dúvida. Qualquer um lá, com um jaleco branco, vira ditador. Não tem por favor, obrigado, licença e essas atitudes obsoletas, sem falar em opinião, pacientes são um a corja a ser mal tratada, pois são mesmo o fim da cadeia de alimentação. Jesus, aquele de Nazaré, não seria tratado nesse hospital, primeiro porque simplesmente não o atenderiam e depois porque ele não se submeteria às tais normas médicas incorianas. Acho que preferiria morrer crucificado ou fazer um milagrezinho qualquer a isso.

morcego-12

Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

3 thoughts on “As nossas ditaduras dentro da mãe ditadora

  1. É… de certo, certo mesmo só tem uma coisa: a perseverança de um pai em busca do melhor para seu filho. O resto, bem… o resto é o resto.

  2. Oieeee… Será que ainda se lembra de mim?? uahauah

    É fiquei sumida, né?
    Estou no Brasil agora… aconteceram tantas coisas meu amigo… q tem um rascunho enormo pra postar sobre, mas é tão duro falar que ainda não consegui! rs

    Enfim… Estou de volta! 😀
    Tentando voltar pra blogosfera… mas to voltando aos pouquinhoss! rsrsrs

    Caramba, Lou… eu tinha me esquecido de como vc escreve bem! Sobre o post anterior, sobre o que eu tenho a dizer sobre a igreja… mas to num momento mais quetinha, ainda!

    Enfim… vim te dar um beijinho! E rever os meus saudosos amigos! 😀

    Ahh… aproveita e vem buscar seu cartãozinho de Natal!! Um velho habito quase esquecido nos dias de hj, né? bjsssss mil

    http://rumorejo.blogspot.com/2010/11/envie-cartoes-de-natal.html

    Poliane

    Claro que lembro. Bom saber que você voltou, ao Brasil e ao blog. Nada como ser cidadão de verdade. Sei como é isso. Obrigado por ter vindo à Gruta. Nos últimos dois meses, andei com tempo escasso, pois estava trabalhando em tempo integral em São Paulo. Isso terminou nessa sexta e volto a ser dono de todo meu tempo, assim consigo fazer sobrar tempo para blogar e navegar pela rete. Passo para buscar o cartão.

    Seja vem vinda de volta e um abraço
    Lou

  3. A burocracia, burra, surda e cega, mata.
    Ela é a cumplice perfeita da mãe ditadora e espalha suas crias assassinas junto a todas as filhotes de ditaduras.

    >Cristina, agradeço sua visita. Espero que tenha gostado da vida grutense.
    De fato, seria melhor que não existisse burocracia.
    Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.