Fórmula da Avacalhação

Avacalhações 

 

 

Hoje começa meu último ano, dos meus anos cinquenta. Depois disso, começarei a ver a vida como um sexagenário, segundo me disse um amigo, esses dias.

Se há algo a compartilhar, sem dúvida é o conceito de avacalhação. Isso me faz crer na possível vontade de Deus quando de minha concepção, ou alguém dizendo, esse é anarquista avacalhador, manda para o Brasil.

Enquanto o Kierkegaard descobriu a fórmula da Angústia (ignorância, vazio, angústia e culpa, nessa ordem) eu descobri a fórmula da avacalhação (ignorância, descanso, esculacho e alegria, nessa ordem). Nada mais confortável para um velho anarquista militante dos movimentos da bagunça pacífica e da não violência horizontal, só a vertical.

Para completar, isso só seria possível, mesmo, em terras verde amarelas, as cores da nobreza monárquica do século dezenove.

Funciona assim, leis e decretos não serão nada se, nós os esculachados, resolvermos avacalhar com eles, não lhes dando a mínima e, do alto de nossa preguiça, declararmos: Essa/e não pegou.

Pouco nos interessa se o congresso aprovou e o ditador sancionou. Nós não acreditamos em nenhum dos dois, muito menos nas pesquisas deles.

Pessoal anda preocupado com os decretos do caudilho atual. Sossega meu. Essa gente que vive de fazer leis para explorar crianças inocentes, seja no governo ou na igreja, é broxante. Prefiro não vê-los e muito menos ouvi-los. Nessa altura do campeonato, preciso conservar todas as minhas energias.

Nosso pessoal tem tradição, pode confiar. Nós avacalhamos com a intentona comunista, a revolução constitucionalista, a ditadura militar, com a Bíblia, o AI 5, o hino nacional, o Bin Laden e com a Igreja, especialmente a evangélica.

Atualmente estamos avacalhando com o planeta a partir daqui mesmo, mas é só um pouco, ainda não é a avacalhação final. Naquele dia, aí sim, ai dos que estiverem na praia, especialmente em Angra dos Reis, aí do povo de São Luiz do Paraitinga, da gente sobre a ponte no Rio Jacuí e do pessoal invasor no Jardim Pantanal. Aí haverá pranto e ranger de dentes.

Nós somos a única sociedade capaz de acabar com o capitalismo, mas não somos trouxas de fazê-lo. Alguém precisa trabalhar nesse mundo de Deus e os capitalistas adoram uma boa enxada e a incompreensível rotina diária empregatícia por todos os dias viventes.

Nosso negócio é mais uma boa rede no inverno e outra no verão, embora nessa época, bebamos mais água de coco, caipiroscas e pratiquemos mais sexo, sob um bom ar condicionado.

Enquanto esses ignorantes continuarem acreditando em leis, decretos, burocracia e urnas eletrônicas não há com que se preocupar. Problema será quando resolvermos avacalhar com as leis de mercado.

Na prática, será não pagar mais as contas, não andarmos mais de carro, não arrumarmos mais empregos ou desistirmos de vez de nossos negócios e nos retiramos para uma de nossas praias devidamente poluída, e ficarmos por lá, comendo peixe e bebendo o néctar dos coqueirais.

Agora chega disso, cansei. Não decorei nem a primeira estrofe do samba enredo da Gaviões, ainda. Também, verei o desfile pela TV, tanto faz se decorar ou não. Isso se não pintar algum acampamento de carnaval para eu falar. Nesse caso, irei fantasiado de santo.

Author: Lou Mello

13 thoughts on “Fórmula da Avacalhação

  1. Pingback: Roger
  2. E vc então era o bom amigo a aniversariar!? mau Roger.. deveria ter dedicado um Post hoje pra você!!!
    Feliz aniversário! Tudo de bom pra ti e família!!!
    E um beijão, mano veio!

    Tá bom assim. Ficaria encabulado com essas coisas. Obrigado. Beijo na carecaça.

  3. Pingback: Jorge Oliveira
  4. Que essa data se repita muitas vezes, você não tem substituto. Essa foto aí… deu vontade de ir à praia…

    Estranho, meu objetivo era causar constrangimento ao nosso jeito vagabundo de ser. Não tem jeito, o tiro sempre sai ao contrário. 🙂

  5. Viva o anarquismo, a utopia, o seu aniversário e os seus sessentinha…Parabéns!

    Tá me cumprimentando para o ano que vem já? Sessentinha será daqui um ano. Uma idade muito bonita, acho. Né não?

  6. Anarquistas são como vinho: quanto mais velho, melhor.
    Adorei a fantasia de santo, quase me convenceu, mas hoje a sua fantasia é de aniversariante.

    Abração.

    Obrigado. Reparou como a maioria usa a palavra “velho” nos comentários? Estranho né? Devem estar me achando velho. Só falta eu mesmo acreditar. Eu sempre achei ridículo um cara velho pensando o contrário. Nunca imaginei isso acontecendo comigo. Choquei. Abraço.

  7. Agora li o texto. Esse é o bom e VELHO Lou, que conhecemos, ótimo. Divertido e inteligente, ou pelo menos aparentemente inteligente.

    Texto inteligente é assim, deixa o leitor inseguro, olhando para os lados, desconfiado e, ao mesmo tempo, sentindo um leve prazer correr pela espinha dorsal.

  8. Cara,
    voce tem o dom da escrita mesmo – e sempre nos surpreende e nos supera com sua picardia e ironia.

    Vamos nessa que o ano está passando depressa.

    Parabéns né!

    Obrigado! Ainda bem que Deus me deixou alguma coisa. Levou meus cabelos, minha juventude, etc. Só faltava ter me tirado essa. Psiu! Melhor não lembrá-lo disso. De repente foi só um esquecimento.

  9. Chega de puxar o saco do aniversariante! Ele tá velho, não tem como tampar a careca com uma peneira!!! Aliás, tá na “idade que não tem nada a ver com o nome”: sex-agenário, ha,ha,ha!!!
    E, Lou, não avacalha o anarquismo, não!!! Ou não anarquisa a avacalhação, sei lá!
    Tô contigo e não abro! Envelheço!!!

    Um cara velho, embora ainda não sex-agenário, tem poucas opções. Já tinha tendências anarquistas, desde jovem, assumir foi muito conveniente. Mas ainda não descobri como fazer isso dar dinheiro. Talvez o Brabo tenha descoberto o caminho das pedras. Estou de olho. Nosso grupo é grande, embora não tenhamos noção de nossa força. Torno a lembrar do filme do Clint Westwood sobre os quatro velhinhos astronautas. Pode ser que a máquina só possa ser consertada por gente com nossa experiência. Espero que não.

  10. Parabéns.

    Ter mais idade pode ser bom ou ruim, a depender da visão otimista ou pessimista.

    O conheço pouco mas sei que viveu muito bem os anos que já se passaram.

    Sua sabedoria, experiência e modo de ver a vida, principalmente no que se relaciona o cristianismo, apenas me remetem a admirá-lo mais e mais.

    Abraço Lou, querido amigo.

    Meu plano é viver melhor os anos que ainda viverei. Espero que o Divino me abençoe nesses, pelo menos. 🙂

  11. Putz, perdi o parabéns! E também não quero desejar felicidades, o texto diz praticamente, “larga toda essa merda e segue o Caminho.” E tô aqui com um nó entendendo algumas coisas e, ao mesmo tempo, fazendo parte. Mas a oração foi para não nos tirar do mundo, mas nos livrar do mal, e meu desejo de parabéns agora pra você é que não opte pelo mal. =S

    Putz! Não sobrou bolo. Agradeço seu desejo, o mestre deve ter tido problemas para chegar a essa conclusão. Afinal, uma das missões dele seria justamente nos tirar do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *