Um Missionário Errante

1ª Parte

Essa história foi contada ao Khalil. Ele teve o cuidado de gravá-la para não perder nada importante. Agora eu a reproduzo aqui:

O missionário recebeu uma ordem de Deus: “Vá depressa à grande cidade formada por aqueles chamados “os crentes” e pregue contra ela, porque sua maldade subiu até a minha presença”.

Mas, o missionário fugiu da presença do Senhor. Acabara de contender com os habitantes daquela cidade em uma causa onde pastores estavam envolvidos. Correu para o aeroporto onde encontrou um avião, comprou uma passagem e embarcou para uma cidade distante, a cidade dos alienados e conformados.

O Senhor, porém, fez soprar um vento forte sobre o avião e surgiu uma tempestade tão forte que desestabilizava o vôo e colocava em risco a aeronave. A tripulação ficou amedrontada e cada um clamava ao seu deus.

Enquanto isso, o missionário dormia pesado. Uma das comissárias sacudiu-o e perguntou-lhe: “ Como você pode ficar ai dormindo? Levante e ore por todos nós. Talvez você convença a Deus para nos salvar da morte.

O missionário disse a moça, eu sou a causa dessa tormenta. Se eu sair daqui, todos serão salvos. Ela não apenas acreditou, convenceu os outros membros da tripulação e eles lhe deram um pára-quedas.

Abriram a escotilha da cabine de comando que dá acesso ao trem de pouso, para não despressurizar toda a cabine e, por lá o missionário saltou. Assim que ele deixou o avião a tempestade parou, completamente. Assim, a aeronave seguiu sua viagem em tranqüilidade.

O missionário caiu em um campo, distante de tudo. Como não tinha prática em saltos, sua queda foi desastrada. O que não era novidade, pois, ele sempre fora um grande desastrado. Ficou desacordado por três dias e três noites. Nesse tempo, sonhou estar na barriga de um grande peixe todo emaranhado em algas e todo tipo de objetos do mar. Então, orou ao Senhor e Ele lhe respondeu:

Do ventre da morte gritei por socorro e ouviste meu clamor.
Jogaste-me nas profundezas, no coração desse mundo;
Problemas humanos formavam um turbilhão ao meu redor;
Todos os teus incômodos passaram por mim.
Eu disse: Fui expulso de tua presença; contudo, olharei de novo para o teu santo templo.
Os problemas me envolveram,
O abismo me cercou.
Os insultos se enrolaram em minha cabeça.
Afundei até chegar aos fundamentos dos montes;
À terra embaixo, cujas trancas me aprisionaram para sempre.
Mas, tu trouxeste a minha vida de volta da sepultura,
Ó Senhor meu Deus.
Quando a minha vida já se apagava,
Eu me lembrei de ti Senhor
E a minha oração subiu a ti, ao teu santo Templo.
Aqueles que acreditam em ídolos inúteis desprezam a misericórdia.
Mas eu, com um cântico de gratidão, oferecerei sacrifício a ti.
O que eu prometi cumprirei totalmente.
A salvação vem do Senhor.

E o Senhor deu ordens e o missionário acordou do sonho e viu que estava em terra firme.

Author: Lou

3 thoughts on “Um Missionário Errante

  1. Linda oração, linda história.
    Ai, Lou, não sei se a indiferença é definitiva.
    Nossos sentimentos oscilam, nossa visão do mundo também, logo o que nos era indiferente, digo, o que não nos importava, surge como novo, o novo sempre nos atrai, mesmo que por um instante.

  2. Aquele outro blog, que aconteceu?
    Cliquei no link que eu tenho do meu para o seu e não encontrei.
    Tirou do ar?
    Este aqui é o mesmo outro.
    Aí, me confundi inteira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *