A Gruta do Lou

Andarilho do amor

010510_1359_Andarilhodo1

Não é muito fácil imitar um andarilho do amor. Eles andam por aí discretamente, tanto que não prestamos muita atenção a eles.

Fiz uma visita ao Brian Mclaren e bati um papo com ele, agora a pouco, embora ele não saiba disso. Essa é uma das possibilidades de nossos dias, enfim. Como estamos longe, em outro sentido, imagino poder imitá-lo sem constrangimentos. Apesar dele ser bem mais novo (5 anos menos), uma criança, vejo nele várias coisas imitáveis, embora ele não tenha tido a humildade para me convidar a passar de quinze a vinte dias na casa dele, com tudo pago, a fim de termos uns particulares. Antes de ser alvo de suas pedradas, deixe-me informar algo: Paulo não foi lá nenhum Pedro, mas chegou a dizer uma ou outra frase de efeito. Nesse caso, aplico a tal: “Sede meus imitadores como sou de Cristo”, pois vejo algo do Filho pródigo de Deus nele. Isso quero imitar no Brian. Bom, posso pegar um ou outro plugin, uma ou outra ideia, sem culpa, também.

Veja o caso de Jesus, esse jovem senhor cujo andar teimamos em imitar. Mesmo tendo vivido há mais de dois mil anos (estranha essa frase) ele me emociona. Muitas vezes, ao ler suas palavras, sinto o canal lacrimal se expandindo e preciso me esforçar para não ser pego com lágrimas nos olhos. Ele nunca disse para o povo não ir à igreja. Em algumas situações foi e levou sua trupe com ele. Mas a ideia geral é de não haver estabelecido regras para isso ou ter apregoado alguma nova seita. Chegou até a menosprezar dogmas, como a guarda do sábado e a entrega do dízimo.

Não consigo formular, ao ler suas palavras, alguma proposta de algo parecido com uma nova igreja, ou um novo tipo de culto. Não me sai da cabeça sua rota, da Galileia para Jerusalém. Ele tinha propósitos, e nisso sou obrigado a concordar com o Rick e o Ed, embora o pai da ideia seja o Napoleon Hill, e um porto de destino bem definido. Suspeito até, dele ter caminhado resoluto, mas sabedor da cruz à sua espera naquele morro calhorda.

Embora não comungue dessa bobagem dele ter sido sacrificado, como se fosse um cordeiro sem defeito, como uma paga por nossos pecados. Deus cansou de dizer sua contrariedade em relação a essas atitudes pagãs. Negócio do velhinho é mais ligado a misericórdia e ao perdão. Jesus morreu como Gandhi e Martin Luther King, no século passado, pois os homens não toleram pacificadores e essa gente cheia de amor para dar. Era algo inevitável e ele sabia disso. Se ousarmos imitá-lo nisso, teremos fim igual ou semelhante. Melhor bancar o durão.

Enquanto caminhava, distribuía seus presentes de natal. Umas curas aqui, umas ressuscitações acolá, santinhos contendo convite para o Reino de Deus, beijos nas carecas dos marmanjos e nos véus das senhoras, reunião a portas fechadas com as crianças nas vilas e com os anjos e o demônio no deserto, e perdão total e irrestrito generalizado, essas coisas imerecidas. Acho-o meio pentecostalizado para meu gosto, mas fazer o que. Tentaram evitar sua obsessão em relação à cidade santa, mas não lograram êxito. Ele foi.

Capricornio PB

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 thoughts on “Andarilho do amor

  1. Cansou.

    Não diria pentecostal, mas sim sensual, a la Brabo.

    Abraço Lou.

    Pentecostal por causa dos milagres, ressuscitações e essas coisas sobrenaturais. Agora, se isso reflete sensualidade, de fato, só Brabo explica.

  2. Pingback: Roger

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.